No final da formação universitária, há várias saídas profissionais à espera dos estudantes de matemática e das ciências exatas — e não só para as profissões mais óbvias como professor de matemática ou engenheiro. Os números, as funções e as equações também são muito bem-vindos, por exemplo, na área de ciências humanas e biológicas.

Mas, se a pessoa for realmente apaixonada por aprender matemática, isto é, pelos números, cálculos e figuras geométricas que aprendeu nas aulas de matematica claro que há sempre a opção de fazer matemática pura e dura — com muitas vantagens futuras.

Isto porque os conhecimentos matemáticos e o gosto pelas ciências exatas podem abrir várias portas para um futuro como profissional da matemática. Só na área das engenharias, um aluno pode optar por mais de 20 tipos de curso. Se quiser algo mais relacionado com artes, a arquitetura pode ser uma boa opção. Sim, é verdade, mesmo querendo fazer artes, os alunos não se afastarão da matemática!

E, como sabemos, muitos cálculos estão também na base de ciências como a física e a química. Por exemplo, a física abrange o universo das forças, a resistência, e materiais sem fim — além de muito cálculo. Já a química, com os seus átomos, moléculas, reações e (mais) cálculos também não fica atrás na sua forte ligação à matemática.

E esses são somente três eixos das ciências exatas — existem muitos outros que o mercado de trabalho converte em diferentes cargos e postos de trabalho. Vamos, então, conhecer em mais detalhe cada ramo profissional da matemática, na esperança de que os alunos que nos leem possam escolher aquele com que mais se identificam.

Matemática, Química e Física

Normalmente, a universidade é o destino de vários “loucos por problemas de matemática, física e química”. Porém, mesmo para os apaixonados por matemática, é preciso estar preparado para longos anos de estudo — sobretudo se, depois de uma licenciatura e de um mestrado, o estudante pretender ainda ingressar num doutoramento.

Contudo, se um aluno quiser, no futuro, dar aulas de matematica, química ou física no ensino básico e secundário, não é necessário ter dez anos de estudo superior. É antes necessário tirar uma licenciatura — de matemática, física ou química — específica que o habilite a dar aulas. Ainda assim, o ideal é ter o mestrado nessa área — quanto mais formação, melhor!

Esta afigura-se uma boa aposta profissional, já que as escolas precisam sempre de professores de ciências exatas. Por isso, é provável que as vagas estejam asseguradas!

Matemática

A matemática é uma língua como o português ou outra qualquer. Por isso, desenganem-se os amantes de ciências humanas que pensam que as aulas de matematica não têm nada a ver com as letra — ainda que se trate de uma linguagem com uma lógica completamente diferente da utilizada em línguas como o inglês, francês, árabe…

A matemática é a língua dos números, dos símbolos, e dos cálculos. Através dela, podemos explicar o mundo, criar teorias, teoremas e hipóteses sobre ele, além de compreender os espaços, as quantidades, os volumes, os pesos, as medidas etc. — conceitos que são avaliados, na escola, em vários testes e exames de matemática do ensino básico ao secundário, e com que várias profissões lidam.

De facto, a matemática oferece uma variedade enorme de campos de trabalho. Por isso vamos conhecer as profissões que, futuramente, os estudantes poderão exercer depois de terminado o seu curso de matemática ou outro na área das ciências exatas!

Química

Os profissionais de química estudam as matérias e as suas composições. Eles analisam quais são as reações provocadas pela interação de várias substâncias, quais são os seus compostos e as suas caraterísticas. E claro, o laboratório é a segunda casa do químico!

Homem a olhar para um microscópio
A investigação em laboratório pode levar a descobertas surpreendentes | Fonte: Unsplash

Física

Este domínio das ciências exatas trata de todas as relações entre a matéria e a energia. Não é à toa que a equação de Albert Einstein — E=MC2 (E = energia, M = massa e C = velocidade da luz no vácuo) — é o símbolo mais famoso desta área.

Os estudos de física podem abranger desde a mais pequena partícula do universo até às galáxias (mas isso já é trabalho do astrónomo, de que se falará adiante). As interações entre diferentes corpos, matérias e energia também fazem parte dos estudos físicos e dois dos grandes pontos desta ciência são a física nuclear e a radioativa — ambas áreas fascinantes que implicam muita matemática!

Astronomia

Pode não chegar a ter a oportunidade de ir à Lua, mas o astrónomo estuda os planetas, os astros, as estrelas, o cosmos, as galáxias e todo o universo — investigando ainda os movimentos dos astros bem como as suas relações e interações.

Universo
Ser astrónomo é ter uma vida dedicado ao estudo do nosso misterioso Universo. | Fonte: Unsplash

Esta é, sem dúvida, uma profissão apelativa para os apaixonados pelo misterioso e complexo universo que nos rodeia e, obviamente, que só um génio da matemática se pode tornar num daqueles astrónomos que vemos nos filmes.

Engenharias

Quantos engenheiros ajudaram a construir o mundo? Incontáveis! Na verdade, esta profissão é muito nobre e reconhecida no mundo inteiro. Os bons engenheiros têm normalmente bons empregos e uma vida profissional estável.

Além de ser uma profissão bem paga no mercado de trabalho, a engenharia é muito vasta e é possível escolher entre mais de 20 opções de cursos. Os mais tradicionais são os de engenharia civil, engenharia mecânica e engenharia química.

Linha de um metro em construção e engenheiro
As várias engenharias também implicam uma boa dose de matemática. |Fonte: Unsplash

Obviamente que, para que o aluno siga um curso nesta área, convém que mostre um certo interesse por números, cálculos e tantos outros conteúdos programáticos (do 1.º ao 12.º) de matemática que aprofundará na universidade, optando pela especialidade ideal, de acordo com os seus outros gostos. Por exemplo, existe também engenharia de alimentos, agrícola, ou engenharia de minas, biomédica, florestal, metalúrgica… a lista é realmente grande!

Arquitetura, estatística, contabilidade

Arquitetura e estatística são duas áreas profissionais que unem as áreas das ciências humanas e exatas. Não se pode pensar num espaço para o ser humano viver ou os fatores culturais, sociais e económicos envolvidos sem considerar a matemática, não é? E claro, além disso, é importante fazer muitos cálculos e medições para o projeto do arquiteto não se parecer com A Casa da canção do famoso músico brasileiro Vinicius de Moraes (“não tinha teto, não tinha nada, não tinha nem chão").

Arquitetura

Os arquitetos pensam na maneira como o ser humano habita o espaço: pode ser numa casa, na rua, num bairro etc. Além disso, refletem sobre a melhor maneira de viver nesses espaços, criando o projeto que se concretizará, mais tarde, nas mãos de um engenheiro civil, por exemplo.

A beleza da arquitetura é ligar a área das ciências humanas às ciências exatas com muito equilíbrio, já que, para projetar uma casa é preciso considerar fatores culturais, sociais e económicos. E claro, fazer cálculos matemáticos para tudo bater certo!

Estatística

Se o aluno gosta de pesquisas que envolvem probabilidade, percentagens, gráficos, questionários, bem como calcular, analisar e interpretar esses dados, então, o caminho certo é a estatística.

Pessoa a escrever no computador, numa secretária
Os profissionais da estatística lidam com matemática mas também com fatores sociais. | Fonte: Unsplash

Os profissionais da estatística são responsáveis por recolher, analisar e interpretar dados para explicar fenómenos naturais, sociais e económicos. Por isso, ela está também relacionada com as ciências humanas porque considera o lado social e económico. Estes profissionais preparam os questionários e trabalham em pesquisas de marketing e testes de qualidade repletos de números!

Contabilidade

É o contabilista que faz sempre as contas de uma empresa, instituição, organização etc. Ele faz todo o balanço dos bens materiais, da caixa, e das transações financeiras — tanto para as pessoas jurídicas quanto físicas.

Nas empresas, ele assume o controlo de todos os gastos e lucros. Além disso, fornece dados importantes, de modo a que os gerentes e patrões tomem decisões relevantes para a organização do grupo empresarial — tendo, por isso, uma grande responsabilidade em mãos. E para os que estão mais virados para esta faceta da matemática, a Superprof diz-vos tudo sobre como passar no GMAT — o grande teste de matemática aconselhado a quem quer trabalhar no mundo dos negócios.

Computação, Informação e Tecnologia

Estas três áreas estão interligadas. Os profissionais de computação são responsáveis por quase todos os programas para computadores que existem. Eles pesquisam as necessidades dos clientes e criam softwares e aplicações adaptadas às necessidades dos clientes. A profissão permite a elaboração de bancos de dados, tratamento de dados, pesquisas no Big Data, entre outros aspetos.

Além disso, os engenheiros de computação constroem hardwares, montam e desmontam computadores e máquinas inteligentes. Mas, para seguir uma carreira nesta área, há que ter uma boa base de cálculos e engenharias, já que as tarefas dos programadores passam por desenvolver computadores e máquinas para indústrias, hospitais, universidades, ONGs e outros.

Com todas essas opções, não vai ser difícil escolher qual a área que mais corresponde à personalidade, aos gostos e às expetativas do ás da matemática que nos lê.

A vantagem das ciências exatas é a grande demanda de profissionais no mercado, principalmente depois das evoluções do Big Data e das tecnologias em geral — portanto, é sem dúvida, uma boa aposta!

Porém, fica a dica: para fazer qualquer um desses cursos, convém que o aluno adore cálculos, goste de solucionar problemas, e de ficar horas e horas a ler símbolos e números. O amor pela matemática e as excelentes notas a esta disciplina são bons indicadores de que, talvez, o futuro do aluno passe por uma profissão vinculada a esta ciência exata.

De facto, o mais importante na escolha da profissão é gostar daquilo que se faz e ser-se competente a fazê-lo. Assim, será bem mais fácil para os estudantes transformarem-se em profissionais da matemática competentes e dedicados!

 

Precisa de um professor de Matemática ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Elsa

Trabalho na área da consultoria linguística e produção de texto há três anos e sou, actualmente, professora de português para estrangeiros. Dedico a maior parte do meu tempo livre à leitura e à escrita, tendo já publicado crónicas e poesia em revistas culturais e literárias.