Sonha com pisar o palco e dançar em frente a uma grande plateia? Tem vontade de aprender uma qualquer dança de salão, fazer aulas de ballet, sapateado, hip hop, dança do ventre ou outro estilo de dança? Quer saber como aprender a brilhar nas danças de salão ou no pirueta em pontas? Quer fazer exercício físico mas não suporta o ambiente do ginásio e vê na dança uma boa alternativa? Pretende tonificar o seu corpo e, ao mesmo, tempo divertir-se, fazer novos amigos, aumentar a sua autoestima e até reduzir o stress e a ansiedade? Quer partir à  descoberta dos melhores locais para aprender danças de salão ou sapateado e tornar-se exímio nestes (ou noutros) estilos?

Ora bem, se a resposta a alguma destas questões for sim, então deve continuar a ler o nosso artigo inteiramente dedicado aos diferentes tipos de dança que pode aprender com os professores Superprof. Mas, antes de aí chegarmos, vamos conhecer melhor alguns dos estilos de dança, como o dinâmico hip hop, a sensual dança do ventre ou o virtuoso sapateado, que temos para oferecer àqueles que têm vontade de deixar o corpo fluir ao som da música e no embalo da expressividade.

Aprender a dançar hip hop: os primeiros e os mais avançados passos

Comecemos pelo hip hop. Este é um tipo de dança nascido da cultura hip hop, nas ruas de bairros desfavorecidos, nos EUA, por volta dos anos 80. Nesse sentido, este estilo acaba por metaforizar uma certa emancipação das classes sociais que veem no hip hop uma forma de afirmarem artisticamente, a sua voz — não fosse este o caminho escolhido por muitos jovens oriundos de um raízes humildes que lhes permitiu não só afirmar-se mas também afastar-se da alta probabilidade de aderirem a comportamentos desviantes, tão comuns nos meios em que viviam. Como um verdadeiro "melting pot", este é um género de dança que integra outros estilos nascidos nos anos 70, como o breakdance, locking e o popping, desenvolvidos por latino-americanos e afroamericanos.

 

Bailarino de hip hop a fazer uma acrobacia
Há muitas acrobacias e passos virtuosos que os bailarinos de hip hop devem dominar. | Fonte: Unsplash

Além disso, o hip hop tem também uma forte vertente de freestyle e improviso — que apenas é possível para aqueles que dominam perfeitamente a técnica e estão aptos a criarem, no momento, uma coreografia — sendo também dançado numa espécie de "batalha" — uma competição de dança que leva os bailarinos a mostrarem a sua máxima expressividade, técnica e virtuosismo para poderem (artisticamente) bater o seu adversário. Contudo, obviamente que só um bailarino muito experiente e talentoso pode sagrar-se vencedor em célebres competições de hip hop como a Hip Hop International World Battles. Porém, nem só nestes contextos o hip hop acontece. Afinal, muitas são as vezes em que, por exemplo, na baixa Chiado, em Lisboa, vemos bailarinos de hip hop extremamente talentosos a dançar, atraindo um grande número de curiosos que, rapidamente, ficam fascinados com os movimentos executados.

Mas, no caso de também o nosso leitor ter esse sonho no horizonte, e todavia só agora estar a pensar em dar os primeiros passos no hip hop, deixamos aqui algumas dicas para se preparar para a primeira aula. São elas:

  • usar roupas confortáveis e descontraídas — preferencialmente mais largas — que permitam liberdade total de movimentos;
  • usar ténis que não adiram demasiado ao chão, já que, o calçado errado pode prender o corpo em demasia e provocar uma eventual lesão, e no hip hop, há muitos movimentos que se querem fluidos e deslizantes. Pode sempre aconselhar-se com o seu professor para que este sugira um tipo de ténis mais indicado.
  • relaxar o corpo, libertando a tensão, e deixando os músculos disponíveis para qualquer movimento. Se no ballet clássico, por exemplo, a postura exige, quase sempre, costas direitas, peito para fora e queixo muito erguido, no hip hop é totalmente diferente: aqui a descontração, uma certa moleza e disponibilidade do dorso são essenciais.
  • manter os pés afastados à largura dos ombros, com os joelhos ligeiramente fletidos e os braços ao longo do corpo, evitando tiques e movimentos a mais. Esta é a posição ideal para quem começa numa primeira aula de hip hop, uma vez que favorece a descontração do corpo e a sua disponibilidade para realizar qualquer passo.
  • estar pronto para mexer bastante os quadris para a frente, para trás e para os lados!
  • estar pronto para ouvir nomes de passos como: doggie, stanky leg, body pop, moonwalk e outros — em breve estes serão termos familiares que o professor usará na aula e que o aluno imediatamente identificará.
  • seguir o professor e, no caso de os principiantes não deixar que o desejo de perfeccionismo os condicione — isto porque, numa fase inicial, as falhas são perfeitamente normais e, com o tempo, depois de muito trabalho e da aplicação das correções do professor, elas tornar-se-ão, decerto, verdadeiras façanhas! É tudo uma questão de tempo e de dedicação.

Por fim, importa mencionar alguns dos mais célebres grupos de dança dedicados ao hip hop, como os afamados The Lockers, Rock Steady Crew e Electric Boogaloos — excelentes fontes de inspiração nas quais os aspirantes a bailarinos de hip hop podem e devem ir buscar motivação!

Aulas de dança do ventre para todos os níveis

Passamos agora a um estilo de dança muito diferente: a exótica e sensual dança do ventre. Pensa-se que este estilo de dança terá surgido na Ásia Meridional e noutras regiões do Oriente, remontando entre 7000 e 5000 a.C., apesar de não haver categorias certezas quanto à sua origem. Além do mais, acredita-se que fosse dançada como culto à Deusa-Mãe (que a Vénus de Willendorf tão bem corporiza), representativa do poder da natureza e da fertilidade.

Composta por movimentos do quadril e tronco ora fluidos e lentos ora inesperados, repentinos — dando quase a impressão de uma quase vibração — esta é uma dança que exige muito controlo da anca e dos movimentos abdominais. Marcada ainda por gestos ondulantes de mãos e braços, a dança do ventre (apesar do nome) não se restringe à zona do ventre, envolvendo todo o corpo e, por isso, podendo ser uma excelente forma de perder as calorias a mais e de esculpir as suas linhas corporais.

Apesar de pareça incompreensível, ainda hoje a dança do ventre não é vista com bons olhos em países árabes profundamente conservadores, em que a mulher se vê, infelizmente, coibida e inibida de exibir o seu corpo e sua beleza. De facto, esta dança trata-se de um verdadeiro hino à sensualidade feminina e, por isso, pode mesmo ser o meio ideal de desinibição das pessoas mais envergonhadas, levando a que se soltem, celebrem o seu corpo e reforcem a sua confiança. Não acha que está na hora de a experimentar?

Rapariga a dançar de braços abertos
A dança pode ser uma excelente forma de uma pessoa envergonhada se desinibir e descontrair. | Fonte: Unsplash

Aprender a dançar sapateado como Fred Astaire

Todos nós ficamos boquiabertos quando vemos um filme como "Follow the Fleet", em que Fred Astaire e Ginger Rogers nos brindam como uma virtuosíssima coreografia de sapateado. Na verdade, o sapateado foi amplamente disseminado nos filmes através de Fred Astaire e de de outros bailarinos que nos fizerem e fazem sonhar com passos rápidos, virtuosos e graciosos! Com duas vertentes — a broadway e a rítmica —, o sapateado resultada da fusão de numerosas danças e terá florescido sobretudo no século XIX, nos EUA. Deve ser dançado com uns sapatos próprios, com uma sola de metal que permite que os bailarinos, ao dançar, produzam aqueles ritmos e sons diferentes que tantos nos entusiasmam e fazem querer saltar para o palco.

Se planeia fazer aulas de sapateado, prepare-se para adquirir os sapatos com sola metálica (próprios para o efeito), que pode comprar em lojas que vendam artigos de dança e para se familiarizar com os nomes dos passos. Step, stamp, stomp, tap e dig são só alguns dos termos que irá ouvir da boca do seu professor de sapateado e que consistem em modos diferentes de bater com o sapato no chão, produzindo sons diferentes. É muito importante compreender bem como executar os passos — o professor encarregar-se-á disso mesmo — não só para os fazer corretamente mas também para evitar qualquer tipo de lesão. Ah! E, também aqui, manter os joelhos ligeiramente fletidos ajudá-lo-á a sapatear melhor!

E quanto aos artistas do sapateado? Pois bem, uma referência incontornável do sapateado são os espetáculos "Riverdance", "Lord of the dance", "Fleet of Flames" ou "Celtic Tiger" — que ainda hoje atraem multidões — criados por Michael Flatley, o afamado coreógrafo, bailarino (e também flautista) conhecido por reinventar o sapateado. Ao longo da sua carreira, Michael Flatey renovou o sapateado irlandês, no qual integrou laivos do jazz moderno — já por si bastante distinto do sapateado americano, por ser marcado por uma postura mais direita no tronco e centrar-se nos movimentos de pés para os lados em vez de para a frente. Além disso, nas suas criações é sempre muito visível a marca da influência da dança irlandesa mas sempre com um toque de inovação que o distinguiu dos demais.

 

Bailarino de sapateado no palco
Aprender sapateado na Superprof é garantia de dançar com os melhores bailarinos e professores. | Fonte: Unsplash

Aulas de dança Superprof

Se o nosso leitor ficou entusiasmado com algum algum destes estilos de dança (ou qualquer outro), está na altura de consultar o site da Superprof e procurar o seu estilo de dança e o professor mais indicado. Na nossa plataforma poderá ver o perfil de numerosos professores — muitos deles atuais ou ex-bailarinos e com formação específica na área da dança e/ou ensino da mesma —, podendo mesmo ver os certificados das suas habilitações e, assim, comprovar as suas apetência para lecionar dança.

Poderá ainda consultar a metodologia normalmente adotada pelo professor com quem está a ponderar ter aulas, o preço cobrado por hora de aula — tendo em conta que professores mais experientes e com mais formação tendem a cobrar mais. Assim, se quer saber, por exemplo, quanto custa ter aulas de danças de salão com um determinado professor, basta consultar as informações do seu perfil — mas saiba que, quase sempre, a primeira aula é grátis! Ademaias, poderá combinar com o próprio um horário de aulas que seja conveniente para ambos, assim como definir (no caso de aulas particulares) os objetivos do aluno no que toca à dança.

 

Rapariga em pose de dança
Dê os primeiros passos na dança contemporanea com a Superprof. | Fonte: Unsplash

E não há que ter receio de não encontrar o tipo de dança indicado a si. Afinal, são variadíssimos os estilos de dança que os professores Superprof oferecem: dança contemporanea, ballet clássico, dança do ventre, diferentes danças de salão, pole dance, zumba, hip hop, sapateado, danças africanas, entre muitas outras. Basta pesquisar e decerto encontrará o estilo que procura. Existem duas modalidades de aulas: por um lado as aulas em pequenos grupos e, por outro, as aulas individuais, mais personalizadas e, portanto, permitindo ao professor focar-se exclusivamente nas necessidades de um só aluno — de modo a poder dele extrair o melhor bailarino possível.

Com tantas razões para aprender a dançar dança contemporanea ou qualquer estilo que ponha o seu corpo a mexer de que está à espera?

Precisa de um professor de Dança ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Elsa

Trabalho na área da consultoria linguística e produção de texto há três anos e sou, actualmente, professora de português para estrangeiros. Dedico a maior parte do meu tempo livre à leitura e à escrita, tendo já publicado crónicas e poesia em revistas culturais e literárias.