Coimbra, situada no centro de Portugal, foi capital do nosso país entre 1131 e 1255. Sim, é a cidade onde a primeira dinastia de reis portugueses se instalou, onde nasceram seis dos nossos monarcas, onde surgiu a primeira universidade portuguesa (em 1290, fundada por D. Dinis)... Por isso, não há como negar: Coimbra tem um valor histórico inigualável.

Além disso, Coimbra é considerada uma das cidades portuguesas mais carismáticas, sendo amplamente conhecida por ser a cidade dos estudantes, a cidade dos amores de Pedro e Inês, a cidade do maravilhoso rio Mondego. Há, aliás, quem diga que é uma cidade que não se esquece, que deixa marcas na alma de todos os que por ela passam... E os estudantes da Universidade de Coimbra que o digam, dado que vivem o espírito estudantil desta cidade nos seus verdes anos, vivem as saudades de casa, mas também um especial amor por Coimbra – a cidade que tão bem os acolheu.

Fotografia da cidade de Coimbra, tirada da margem do Mondego.
Não é difícil encontrar inspiração para interpretar diversas partituras para piano em Coimbra... | Fonte: Pixabay

Assim, Coimbra é um local evidentemente propício à aprendizagem e, também, à inspiração. É, portanto, a cidade ideal para quem queira aprender a tocar piano, tornando-se num pianista portugues de topo!

E numa cidade com um valor histórico como este, porque não utilizarmos nós também a metodologia de ensino mais clássica e começar por saber tudo sobre a história do piano, a importância da formação em teoria musical – e do domínio das notas musicais – e a diferença entre os vários tipos de piano.

Sim, tudo isto é verdadeiramente essencial para quem queira ser um verdadeiro ás ao piano em qualquer cidade portuguesa, porque tudo isto ajuda os alunos a compreender o instrumento, a ler e interpretar corretamente uma pauta musical e, acima de tudo, a ser um músico sensível e, consequentemente, um pianista sensacional.

História do piano: o 1.º passo para quem quer aprender a tocar piano

Não há aluno de piano que se preze – seja ele iniciante ou um estudante que já saiba tocar piano a um nível avançado – que possa vir a ser um grande pianista sem saber nada sobre a história deste instrumento.

Por isso, se o nosso leitor está a pensar ingressar num curso de música ou em ter aulas de piano particulares para aprender a tocar piano como ninguém, deve saber que o piano é um instrumento que tem origem e pertence à família do 'cravo' – nome dado a qualquer instrumento de teclas – e em que o som é gerado pelo acionamento de vários martelos de madeira que percutem as cordas percursivas que se encontram no seu interior.

Mas, afinal, qual a sua história?

Ora bem, o primeiro piano surge por volta de 1700, tendo sido criado pelo conhecido construtor de cravos italiano Bartolomeo Cristofori (1655-1731). Conta-se que, na verdade, a construção deste piano foi totalmente incidental, dado que é um instrumento muito semelhante ao cravo que apenas se distinguia do mesmo pelo facto de, com ele, o músico poder emitir sons suaves e fortes, de acordo com a intensidade desejada. Aliás, a palavra piano significa, em italiano "suavemente", "lentamente", "com calma", e por isso se explica que ao primeiro mecanismo por ele inventado Cristofori tenha dado o nome de "piano e forte".

Fotografia do teclado de um piano acústico com umas flores secas em cima.
Para bem tocar piano é essencial compreender a história e o mecanismo deste instrumento | Fonte: Pixabay

Contudo, embora Christofori tenha criado o primeiro modelo "comercial" deste piano por volta de 1720, a verdade é que só começa a ser reconhecido como um instrumento nobre entre 1765 e 1770, tendo sido aperfeiçoado ao longo de todo o século XVIII, até chegar ao instrumento que hoje conhecemos e através do qual músicos muitíssimo talentosos interpretam as pautas musicais mais difíceis e fazem-nos chegar as melhores e mais agradáveis combinações de notas musicais.

Posto este brevíssimo resumo da história do piano, qualquer aluno interessado em aprender o compasso musical deste instrumento poderá ingressar nas tão desejadas aulas de piano com alguma noção do valor histórico do mesmo. Assim, quer estude em Coimbra, quer queira aprender piano no Norte de Portugal, no Porto, ou aprender piano junto às praias de Faro, o estudante saberá por onde começar.

Notas musicais e tipos de piano: da teoria à prática

Outro aspeto verdadeiramente importante para quem deseja aprender a tocar piano é a necessidade de reconhecer que a aprendizagem deste instrumento implica uma preparação que vai bastante além da prática de exercícios ao teclado do piano.

Sim, além da importância de conhecer um pouco da história deste instrumento, o aluno deverá começar por investir numa breve preparação teórica – que, até certo ponto, poderá ser relativamente autónoma – e aprender notas musicais, acordes de piano, escalas, e tudo quanto for do âmbito da teoria musical e da interpretação.

Depois – mas ainda antes de mergulhar no teclado e nas partituras para piano – deverá também procurar saber tudo sobre o mecanismo do piano, já que só assim poderá tornar-se num ás deste instrumento.

Neste sentido, o estudante deverá informar-se a respeito dos vários tipos de piano (acústicos e digitais):

  • piano de cauda (ou horizontal) – o piano mais tradicional de todos, um piano acústico cuja armação das cordas é horizontal (no sentido das peças do teclado), que pode ter diversos tamanhos – adaptáveis à sonoridade que se pretende e às restrições de espaço em que é tocado. Neste modelo, o músico pode alcançar um maior volume sonoro se abrir a tampa do piano de cauda, deixando expostos os martelos que percutem as cordas;

 

  • piano vertical (ou de armário) – um piano acústico que tem as cordas dispostas na vertical, perpendicularmente ao teclado do instrumento. Este tipo de piano também pode ter vários tamanhos, mas, embora a precisão seja elevada, o seu volume sonoro é frequentemente menor do que o dos modelos de cauda. Assim, o seu tamanho e o seu mecanismo tornam este modelo ideal para espaços mais pequenos.

 

  • piano digital – um piano cujo mecanismo de funcionamento resulta do avanço da tecnologia e das cada vez mais aprimoradas técnicas de amplificação de som, e em que as notas musicais tocadas ao teclado são digitalizadas e amplificadas através de saídas de áudio. Estes modelos simplificam o funcionamento de cada tecla do instrumento, reproduzindo a gravação dos acordes de um piano real cada vez que é pressionada uma tecla. Assim, neste caso não há cordas ou martelos.

 

Um piano de cauda preto, com a tampa aberta, numa sala vazia.
O piano de cauda é o tipo de piano mais elegante, impactante e tradicional | Fonte: Pixabay

Há ainda o teclado musical, que se distingue do piano por ter uma gama de efeitos e timbres muito mais ampla e diferente, já para não falar de o volume poder ser ajustado manualmente, de ser mais compacto do que qualquer piano (e por isso portátil) e, consequentemente, mais versátil, adaptando-se facilmente a diversos estilos musicais.

Esta é outra distinção importante para quem esteja desejoso de aprender a tocar piano. E sim, será útil para quem viva em Coimbra, mas também para quem queira aprender piano em Viseu ou estudar todos os aspetos teóricos e práticos do instrumento antes de ingressar em aulas de piano no Funchal.

Aulas de piano particulares em Coimbra

Conhecidos todos os principais detalhes da história do piano – e quem sabe até sobre todos os constituintes do seu mecanismo, dos pedais ao teclado – o aluno estará pronto para escolher o modelo de ensino de piano que prefere.

E a primeira – e talvez a melhor – hipótese para quem quer aprender piano na bela cidade dos estudantes são as aulas de piano particulares! Com este modelo o aluno pode escolher todos os detalhes da sua formação, isto é, escolher desde o professor mais próximo de si, com uma taxa dentro do seu orçamento, com mais experiência teórica ou mais aptidão para a performance e, sobretudo, com uma metodologia adequada às necessidades do estudante.

Assim, se o leitor estiver interessado em aprende o básico sobre tocar piano, pode optar por um professor jovem, virado para a prática que cobre, por exemplo, cerca de 12€ por hora e se desloque a sua casa.

Se o aluno se quer tornar num pianista profissional e, quem sabe, um dia ingressar no mundo da música, pode procurar ter aulas de piano com um professor altamente experiente, que lhe possa passar todo o conhecimento teórico e prático para prestar provas de piano avançadas e ingressar no ensino superior de música.

Como Coimbra, muitas outras cidades do país estão carregadas de professores de piano particulares dispostos a ser mentores neste teu caminho rumo aos solos de piano das grandes orquestras. Contudo, claro que é na capital portuguesa que se concentram mais professores e escolas de piano, pelo que Lisboa será certamente uma ótima hipótese para quem queira aprender piano.

Aprender piano no âmbito do ensino superior e profissional de música

Se o estudante deseja transformar-se num conhecido pianista portugues, talvez seja boa ideia investir em aulas de piano particulares como uma forma de ingressar no ensino superior.

 

Um auditório de uma escola ou universidade com inúmeras cadeiras de madeira.
Aprender a ler pautas musicais e a tocar piano como um profissional implica muito estudo | Fonte: Pixabay

E também nesse ramo a cidade de Coimbra oferece, pelo menos, três boas hipóteses que os alunos que desejam ingressar nas artes performativas devem considerar:

  • Formação em piano no Conservatório de Música de Coimbra – a escola ideal para quem aprender a tocar piano desde pequeno, para quem se quer preparar para uma licenciatura na área da música ou que deseja ingressar num curso profissional de música e fazer do piano a sua profissão.
  • Licenciatura em Estudos Artísticos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra – um curso da Universidade mais antiga do país (que foi, durante séculos, a universidade do império português por excelência) que visa dotar os estudantes para trabalhar no mundo cultural e artístico e, entre várias áreas, na área da performance ou do ensino da música.
  • Licenciatura em Estudos Musicais Aplicados na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra – curso que tem por objetivo formar músicos profissionais aptos a trabalhar em inúmeras áreas do mundo musical e, consequentemente, do piano.

Estamos ansiosos por ver os nossos alunos passar das suas partituras de piano para iniciantes para as pautas musicais mais complexas! Bom estudo!

Precisa de um professor de Piano ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Marta

Sou, desde sempre, uma ávida leitora, com o coração apontado para a escrita, e uma bibliófila incurável, com um fraquinho por arquivos e espólios. Hoje, trabalho como revisora, editora e produtora de texto freelancer e sou colaboradora do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.