Num mundo em que cada vez mais toda a gente fala inglês, o nosso leitor pode até duvidar da importância de aprender francês. Por isso, neste artigo, falamos da importância de saber francês e da possibilidade de aprender esta língua envolvido pelo espírito estudantil da belíssima cidade de Coimbra.

Antes de mais, para além desta ser uma das línguas mais românticas do mundo — agradável de ouvir e repleta de musicalidade —, é também a língua de vários países espalhados pelo mundo inteiro e é o idioma diplomático por excelência, isto é, a língua da União Europeia, usada, por exemplo, nos Tribunais de Justiça da UE.

De facto, ter conhecimentos da língua francesa permitirá aos alunos conhecer melhor o fascinante mundo artístico francês — onde tantos artistas se destacam até a nível mundial. Basta lembrar escritores como Albert Camus e Alexandre Dumas, arquitetos como Le Corbusier, pintores como Delacroix ou Claude Monet.

Além disso, esta é uma das línguas mais fortemente associada à moda, já que Louis Vuitton, Dior e Chanel são grandes marcas francesas que têm uma enorme ressonância em todo o Mundo, afirmando França, em especial Paris, como capital da moda, da elegância e da sofisticação.

Razões para aprender a falar francês em Coimbra

Com a Supreprof é possível aprender e estudar francês de norte a sul, do litoral ao interior, com a promessa de excelentes resultados, com a ajuda de professores de francês que tornarão divertida e entusiasmante a aprendizagem desta apaixonante língua!

Hoje, focamo-nos na cidade de Coimbra e nas razões pelas quais deve aprender francês nesta cidade da Beira Litoral, outrora capital do país e uma das mais antigas cidades da Europa. Devido à Universidade de Coimbra trata-se de uma cidade de longa tradição universitária, por isso esta é, por excelência, a cidade do estudo e da aprendizagem!

Ora, se com a Superprof é possível ter aulas de francês na cidade das sete colinas: Lisboaaprender francês no Porto, a cidade invicta, ou fazer um curso de francês na bela cidade de Viriato, Viseu , obviamente que também em Coimbra existem inúmeras opções para os alunos que pretendem aprender francês nesta cidade culturalmente tão rica, com tanto para oferecer aos seus visitantes e habitantes. Se o nosso leitor pondera estudar francês em Coimbra, convém que saiba que são muitos os motivos pelos quais aprender a falar frances nesta cidade é, sem dúvida, uma boa aposta — para, quem sabe, posteriormente, fazer uma visita a França e treinar a conversação com nativos.

Fotografia do Louvre
Já se imaginou a comprar o bilhete de entrada no Louvre em francês? | Fonte: Unsplash

Por isso, aqui deixamos apenas alguns motivos pelos quais o aluno se aventurar no estudo da língua francesa, em Coimbra. Primeiramente, convém mencionar que esta cidade, banhada pelo rio Mondego,  conta com belas paisagens, um forte espírito universitário — não fosse este o local onde muitos alunos escolhem ingressar na universidade.

Em segundo lugar, além da beleza natural, destaca-se, em Coimbra, a sumptuosidade de determinadas construções. Por exemplo, a Universidade de Coimbra integra a lista de sítios reconhecidos como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, dotada de uma estrutura arquitetónica única, que, sem dúvida, merece a apreciação dos visitantes.

Quanto à música,  o célebre fado de Coimbra — um fado de serenata e de rua, com raízes populares e eruditas — é uma expressão musical mundialmente reconhecida que faz as delícias de tantos ouvintes, com letras/poemas que, maioritariamente, abordam o amor a uma mulher, à academia ou à própria cidade. Deu também origem ao chamado canto e à canção de Coimbra.

Coimbra é também uma cidade com uma vasta tradição literária. Foi aqui que, por exemplo, se formou um dos movimentos literários formados pela chamada Geração de 70 — grupo de escritores e intelectuais que, na época, estudava na Universidade de Coimbra — e que marcaria a segunda metade do século XIX. Falamos da tão afamada "Questão Coimbrã", que apelava a uma nova faceta da literatura, pautada pelo Realismo e Naturalismo — ao invés do Romantismo, que, aliás, muitos dos professores dos integrantes da Geração de 7o condenavam veementemente, levando a uma acesa polémica literária.

E o que dizer da turbulenta história de amor entre D. Inês de Castro e D. Pedro de Portugal que se desenrolou em Coimbra? Reza a história que era na belíssima Quinta das Lágrimas que ambos se encontravam — sendo este, atualmente, um dos locais mais visitados e românticos da cidade. Além deste, são também dignos de visita o Jardim Botânico, o Penedo da Saudade, o Jardim da Sereia, o Parque Dr. Manuel Braga ou o Parque Verde do Mondego, onde os alunos poderão usufruir da leitura de um livro em francês, enquanto desfrutam do contacto com a natureza.

Quanto à gastronomia coimbrense e aos locais onde bem comer depois das suas aulas de frances, não podemos deixar de referir as peculiares tascas, onde os estudantes se poderão deliciar com iguarias como pica-pau, moelas, raia de pitau, entre outros. Por outro lado, nos restaurantes de Coimbra, são de destacar pratos como o leitão assado à moda da Bairrada, o arroz de lampreia ou a chanfana — para não falar do amplo leque de saborosíssimos doces conventuais, cujas receitas ancestrais adoçarão a pronúncia de qualquer termo em francês.

E, se a aula de francês correr bem, sem dúvida que os estudantes merecerão deliciar-se com um Pudim das Clarissas, um Bolo de Santo António, ou alguns Biscoitos Académicos que poderão encontrar em cafés e restaurantes — e, claro, na Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra, realizada anualmente.

Como vê, em Coimbra, há muitas histórias da História coimbrense para descobrir e explorar, a par de locais fascinantes dignos de visita e claro, de um povo extremamente hospitaleiro e simpático. De facto, esta é, sem dúvida, uma cidade interessante para se aventurar no estudo do francês, ao mesmo tempo que se conhece melhor um dos locais mais importantes do nosso país, a nível histórico e cultural.

Cursos de francês da Superprof na antiga capital de Portugal

Depois destas breves notas sobre alguns dos ex libris da cidade de Coimbra, falta-nos explicar de que modo é que pode aprender francês basico ou fazer um curso de francês ou um curso de francês online, com a Superprof.

Pois bem, é muito simples. Os estudantes podem optar por aulas de frances virtuais, via Skype, ou por aulas presenciais — que poderão ser lecionadas na casa do aluno. Tudo dependerá da preferência de cada um. Além disso, os alunos deverão optar entre aulas de francês em pequenos grupos ou aulas de frances individuais — aquelas que mais recomendamos, já que, neste tipo de aula, o professor focar-se-á exclusivamente num só aluno.

Deste modo, o professor adaptará a metodologia ao estudante, e as aulas decorrerão de forma personalizada, adaptada aos objetivos e metas que o aluno tem em mente. Mas cada uma destas modalidades oferece diferentes vantagens — e se para os mais sociáveis ou para aqueles que pretendem privilegiar a conversação em francês, as aulas de grupo serão mais indicadas. Por outro lado, para aqueles que pretendem aprender com o máximo de rigor, e com uma forte componente gramatical e de escrita, nesse caso as aulas individuais adequar-se-ão, sem dúvida, mais.

Livros em cima de uma mesa e caneta
Rever o vocabulário e a conjugação dos verbos são aspetos fulcrais do estudo do francês | Fonte: Unsplash

Com uma simples pesquisa na plataforma da Superprof, os estudantes encontrarão inúmeros  perfis de professores de francês, podendo ter acesso à sua experiência académica e profissional e comprovar a sua formação. Além disso, podem também consultar a metodologia base adotada por cada um dos professores, e escolher os dias e horário das aulas mais convenientes, assim como confirmar se o preço por hora cobrado pelo professor em questão está dentro do orçamento do aluno.

Depois, de tomada a decisão, há ainda margem para confirmar se é mesmo com o profissional escolhido que o aluno quer aprender francês, uma vez que, por norma, a primeira aula é gratuita (como vê a Superprof pensou em tudo).

Aulas de francês de forma divertida

Aprender uma língua não tem de ser aborrecido e monótono e quanto ao francês o mesmo se aplica. Com os professores Superprof os alunos poderão contar com brio e rigor ao mesmo tempo que usufruem da sua boa disposição e do seu bom humor — fatores importantes que ajudam o aluno a sentir-se mais confiante e à vontade na aula para expressar as suas dúvidas.

Na verdade, a aprendizagem pode ter qualidade sendo também divertida e interativa. Por isso, deixamos alguns conselhos importantes para que também o aluno possa tornar o processo de aprender a falar frances mais desafiante e interessante.

Por exemplo, vendo vídeos no Youtube com explicações sobre a língua francesa como complemento ao estudo, os estudantes estarão a consolidar a matéria aprendida. Sugerimos o French Pod 101, um canal com vídeos sobre gramática, vocabulário, expressões idiomáticas, curiosidades sobre a língua francesa e muito mais.

Atém disso, usar aplicações que favorecem a consolidação dos conhecimentos de francês, como o Memrise (criado por um neurocientista) — que permite falar com falantes nativos e aprender francês através de técnicas de memória divertidas — é também uma excelente opção.

Consultar e explorar o site "The French Experiment", com diferentes lições sobre vocabulário, estrutura de perguntas, e muitas outras questões gramaticais — para além de pequenas histórias para os alunos treinarem a pronúncia em francês — ajudará muitos estudantes que estejam a iniciar a aprendizagem do francês.

Além disso, ouvir podcasts em francês, ver filmes e episódios de séries em francês — se necessário, com legendas — é também uma forma divertida de ir aprendendo vocábulos e expressões idiomáticas em francês.

Rapaz com auscultadores e boné laranja a olhar para telemóvel
Ver filmes e séries em francês e ouvir música francesa são formas divertidas de complementar a aprendizagem da língua. | Fonte: Unsplash

A nossa próxima sugestão pode parecer um pouco estranha, mas garantimos que, uma vez posta em prática, revelar-se-á útil e divertida: por que não tentar, durante a preparação do pequeno-almoço ou de outra refeição, dizer em francês, em voz alta, o nome dos ingredientes que se estão a usar? Esta é, sem dúvida, uma maneira original de repetir e reter as palavras francesas aprendidas previamente nas aulas de frances.

Ouvir um áudio livro em francês sobre um tema ou história que interesse particularmente o aluno e ouvir música francesa enquanto passeia são também úteis conselhos de estudo. Sugerimos as músicas da mítica Françoise Hardy, como "Le temps d'amor", "Comment te dire adieu" ou "Tous les garçons et les filles". Esta é uma boa técnica para aprender vocabulário de forma quase involuntária e sem esforço, enquanto dá um passo de dança.

Foto de parque de estacionamento
Aprender uma palavra por dia em francês aumentará o vocabulário dos alunos rapidamente | Fonte: Unsplash

Aliadas a estas dicas, manter a boa disposição e a auto confiança é crucial para que os alunos não se sintam desmotivados caso surjam pequenas dificuldades  — aliás comuns e perfeitamente normais — durante a aprendizagem do idioma. Com as aulas de francês da Superprof e com a ajuda das nossas sugestões, não há como não se tornar num perito em francês, independentemente do nível a partir do qual o aluno comece.

E porque o que não falta no nosso país são cidades belíssimas e interessantes onde se viver, visitar e se se dedicar ao estudo, lembramos ainda que é também possível aventurar-no no estudo do francês num destino paradisíaco como o Funchal, na Madeira, ter aulas de francês num destino balnear como Faro, ou em qualquer outro destino do país.

Portanto, não há desculpa para não aprender a falar francês!

Tudo a postos para começar?

Precisa de um professor de Francês ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Elsa

Trabalho na área da consultoria linguística e produção de texto há três anos e sou, actualmente, professora de português para estrangeiros. Dedico a maior parte do meu tempo livre à leitura e à escrita, tendo já publicado crónicas e poesia em revistas culturais e literárias.