Sendo a origem da língua portuguesa com várias influências distintas ao longo dos séculos e com tantas evoluções, chega a um ponto que é preciso definir como realmente se escrevem as palavras que utilizamos todos os dias, para uma redação, para comunicar e para tudo o resto.

Ao contrário do latim, que contribuiu muito para a criação da língua portuguesa, o português é uma língua viva e portanto, sujeita a mudanças, alterações e muitas variações, pois ao ser falada por milhões de pessoas de várias partes do país e do mundo, haverá sempre influências nuns locais e noutros não, que pode resultar em duas pessoas falarem a mesma língua e na realidade, esta ser já completamente diferente.

De forma a que haja um consenso entre os portugueses e todos os outros que utilizam a nossa língua, existe a necessidade de acordos ortográficos que abranjam todos os que utilizam o idioma. Estes acordos servem para actualizar as regras de gramática, vocabulário, ortografia e acentuação, por vezes, abrangem também a parte fonética.

Não há muitos anos entrou em vigor o Novo Acordo Ortográfico em Portugal e a adaptação a este durou mais de uma década mas, no ano de 2016, este tornou-se regra e obrigatório. Qualquer aluno que se atrevesse a usar o antigo acordo ortográfico num dos exames nacionais de português a partir do ano de 2016, seria penalizado, contando essas palavras como erros ortográficos. Há vários livros sobre o acordo ortográfico que podem ser ainda adquiridos para leitura e melhor compreensão das alterações.

Iremos então rever todas as alterações oficiais que existiram na língua portuguesa, os famosos acordos ortográficos.

Os melhores professores disponíveis
Tiago
Tiago
5€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
5
5 (4 avaliações)
Duarte
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Anders
5
5 (1 avaliações)
Anders
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Prof. André lamounier
5
5 (7 avaliações)
Prof. André lamounier
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alberto
4,9
4,9 (34 avaliações)
Alberto
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (2 avaliações)
Mariana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Andrea
5
5 (25 avaliações)
Andrea
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Feodor
5
5 (9 avaliações)
Feodor
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Paul
5
5 (27 avaliações)
Paul
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fábio
5
5 (8 avaliações)
Fábio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Márcio
5
5 (8 avaliações)
Márcio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (31 avaliações)
Susana
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Kauê
5
5 (13 avaliações)
Kauê
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Catarina
5
5 (5 avaliações)
Catarina
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Cristiana
5
5 (36 avaliações)
Cristiana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (14 avaliações)
Teresa
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (12 avaliações)
Mariana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tiago
Tiago
5€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
5
5 (4 avaliações)
Duarte
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Anders
5
5 (1 avaliações)
Anders
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Prof. André lamounier
5
5 (7 avaliações)
Prof. André lamounier
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alberto
4,9
4,9 (34 avaliações)
Alberto
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (2 avaliações)
Mariana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Andrea
5
5 (25 avaliações)
Andrea
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Feodor
5
5 (9 avaliações)
Feodor
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Paul
5
5 (27 avaliações)
Paul
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fábio
5
5 (8 avaliações)
Fábio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Márcio
5
5 (8 avaliações)
Márcio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (31 avaliações)
Susana
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Kauê
5
5 (13 avaliações)
Kauê
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Catarina
5
5 (5 avaliações)
Catarina
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Cristiana
5
5 (36 avaliações)
Cristiana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (14 avaliações)
Teresa
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (12 avaliações)
Mariana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

O primeiro acordo ortográfico de língua portuguesa no ano de 1911

Até aos inícios do século passado, a ortografia da língua portuguesa seguia-se nos étimos do latim e do grego antigo, idiomas que tiveram uma forte influência no português. Ainda hoje vemos escritos antigos que são hoje objeto de estudos no ensino superior ou por investigadores, onde as palavras que utilizamos estão escritas de uma forma totalmente diferente:

  • phosphoro (fósforo);
  • orthographia (ortografia);
  • phleugma (fleuma);
  • exhausto (exausto);
  • estylo (estilo);
  • prompto (pronto);
  • diphthongo (ditongo);
  • psalmo (salmo);
  • entre vários outros.

Foram ao longo dos anos apresentadas várias propostas que simplificassem a nossa escrita mas nunca tiveram sucesso, até à implantação da república em Portugal, no dia 5 de outubro de 1910. Logo no ano seguinte, em 1911 estava a ser aceite o primeiro acordo ortográfico, ao qual as pessoas tinham um período de 3 anos para fazer a devida adaptação. As bases deste acordo remontam a algumas das propostas que anteriormente tinham sido recusadas, neste caso, inspiraram-se bastante nas propostas de 1885, escritas por Guilherme de Vasconcelos Abreu e por Aniceto dos Reis Gonçalves Viana.

As principais alterações feitas à ortografia da língua portuguesa foram:

  1. eliminação de todos os dígrafos de origem no grego antigo, substituindo-os por grafemas simples por exemplo, os th foram substituídos por t, os ph por p, ch quando lidos como k, por c ou qu, dependendo do contexto e rh por r ou rr.
  2. eliminação da letra y, sendo substituída pela letra i;
  3. redução de consoantes a dobrar, sobrando apenas o rr e ss;
  4. eliminação de consoantes muda, quando não pronunciadas;
  5. introdução de acentuação gráfica.
Aulas de português
Com o aparecimento do primeiro Acordo Ortográfico, a aceitação geral não foi muito boa mas, isto iria melhorar a probabilidade de a população conseguir aprender nas aulas e cursos de português. | Fonte: Unsplash

Sobre esta, muitos autores se manifestaram contra, como Alexandre Fontes, Teixeira de Pascoaes e um dos autores portugueses mais famosos, Fernando Pessoa, que escreveu:

"Não tenho sentimento nenhum politico ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriotico. Minha patria é a lingua portugueza. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incommodassem pessoalmente, Mas odeio, com odio verdadeiro, com o unico odio que sinto, não quem escreve mal portuguez, não quem não sabe syntaxe, não quem escreve em orthographia simplificada, mas a pagina mal escripta, como pessoa propria, a syntaxe errada, como gente em que se bata, a orthographia sem ipsilon, como escarro directo que me enoja independentemente de quem o cuspisse". - Fernando Pessoa, Descobrimento in Desassossego. 

Como podemos ver, poucos aceitaram bem estas alterações tão súbditas e tão significativas, que iriam mudar muito o mundo português, simplificado a linguagem a todos, para que todos pudessem aprender a escrever, numa época em que a taxa de analfabetização era altíssima mas, que ao mesmo tempo, aos olhos dos grandes autores e eruditos portugueses, estava a roubar a essência da nossa língua, e fazer desvanecer a beleza da língua portuguesa.

Formulário Ortográfico de 1943

Este foi aprovado no ano de 1943 e é um conjunto de instruções estabelecido pela Academia Brasileira de Letras para a organização do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa.

Sabemos que existem palavras e expressões portuguesas que são utilizadas apenas no Brasil e não em Portugal e determinar um acordo ortográfico igual para ambos os países quando as diferenças ortográficas ainda eram tão visíveis, era muito complicado.

caneta a escrever
A ortografia do vocabulário português teve alterações enormes desde que iniciaram os primeiros acordos ortográficos. | Fonte: Pixabay

Foi uma tentativa de terminar com as diferenças ortográficas que existiam entre Brasil e Portugal mas, no resultado final, continuaram a haver algumas divergências, tendo havido posteriormente a necessidade de mais reuniões, que deram depois, origem ao seguinte acordo: O Acordo Ortográfico de 1945, que se tornou regra em Portugal mas não no Brasil.

O Acordo Ortográfico de 1945

Convenção ortográfica, que foi assinada na cidade capital, Lisboa, no dia 6 de Outubro de 1945, mais uma vez, entre Academia das Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras.

Mais uma vez, na tentativa de terminar as diferenças que existiam entre o português escrito por brasileiros e por portugueses, foram feitos imensos encontros e reuniões entre ambos os países e, desta vez com mais sucesso do que nos anteriores mas, não com o que pretendiam.

Com este acordo, pretendia-se alcançar a unificação absoluta mas, ao português brasileiro as alterações seriam muito maiores do que às feitas em Portugal e foi feita também uma simplificação com mudanças que atingiam ambos os países. Como já referimos, Portugal acabou por seguir o Novo Acordo Ortográfico de 1945 e, o país brasileiro, não, o que resultou no oposto ao que era procurado no início: uma maior diferença ortográfica entre ambos.

pilha de livros
A cada acordo ortográfico, a língua portuguesa sofreu cada vez mais alterações. | Fonte: Unsplash

Em Portugal, ocorreram mudanças como:

  1. a 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos ter e vir, deixaram de ser teem e veem para têm e vêm, tal como os derivados conteem, contêm, interveem, intervêm;
  2. palavras como tambêm e (ele) contêm, passaram a também e contém;
  3. palavras com sc, passaram a ser escritas sem o s, como sciência, ciência;
  4. palavras que utilizavam o trema como freqüente ou agüentar, deixaram de o ter;
  5. foi abolido o acento em i tónico de hiato quando seguido de nh, por exemplo: raínha, rainha.

Este acordo, tornou-se lei em Portugal a 8 de dezembro de 1945 e passou a reger a ortografia de todas as colónias portuguesas: Angola, Cabo Verde, Guiné, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Estado da Índia e Timor. Os países indicados, mesmo depois de conseguirem a sua independência, continuaram a seguir todas as novas regras impostas em 1945.

Qualquer professor ou professora de português tem uma grande dificuldade logo após estas decisões, pois além de aprender as mudanças, terá também de as explicar e ensinar aos seus alunos.

O último acordo que revolucionou as aulas de português: o Acordo Ortográfico de 1990

Todos nos lembramos quando este Acordo Ortográfico entrou em vigor, tivemos até ao ano de 2016 para nos habituarmos antes que se torna-se obrigatório!

Este, foi um tratado internacional assinado em 16 de dezembro de 1990, e, mais uma vez, o objetivo foi  unificar toda a ortografia de todos os países cuja língua oficial fosse o português e foi assinado pelos representantes de quase todos.

O foco era acabar de vez com as diferenças nas palavras escritas entre o país brasileiro e os restantes países onde a língua portuguesa era usada, contribuindo assim para um aumento do prestígio internacional de Portugal.

Inicialmente, o plano era que este tivesse entrado em vigor passados 4 anos mas, como apenas 3 países ratificaram o documento, esta decisão teve de ficar pendente durante uns anos.

As principais alterações à ortografia portuguesa com este acordo foram:

  1. eliminação do hífen entre as palavras quando o prefixo termina com uma vogal e o segundo elemento inicia com uma vogal diferente, como autoestrada, em vez de auto-estrada;
  2. As letras k w e y entram no alfabeto português;
  3. Consoantes repetidas ou mudas como em acção, caem, tornando-se ação, outros exemplos são óptimo, que passo a ótimo, objectivo, que passou a objetivo, Egipto, que passou a Egito...

Fazer exercicios de gramatica, rever os verbos, treinar redação após redação e muita leitura auxilia a compreender e reaprender o português, de acordo com o novo acordo. Neste último os verbos não sofreram grandes alterações mas, ainda hoje há quem tenha dificuldade a conjugar os verbos e saber como os escrever.

Cursos de português
O novo acordo ortográfico obrigou a que se reaprendesse a escrever. | Fonte: Pexels

É ainda hoje muito complicado a muitos escrever de acordo com as novas regras e isto pode ser perigoso se as pessoas que sentem estas dificuldades estão ainda no básico, secundário ou ensino superior, pois qualquer palavra escrita pré acordo, estará errada.

Existem, no entanto, pessoas que podem ajudar, os professores particulares. O facto de ter apoio, ajuda e acompanhamento de uma professora ou professor de português, faz toda a diferença no percurso escolar de qualquer aluno, em qualquer fase de estudos.

Na plataforma Superprof, há vários professores com disponibilidade horária para dar cursos e aulas de português particulares aos alunos que precisem de qualquer ajuda, em cada local, há sempre um professor disponível nos diversos dias da semana.

Aliás, na plataforma encontram-se mais de 10.000 professores que se dedicam ao ensino do português, melhorando assim a educação em Portugal. O preço médio é de apenas 7 euros e a maioria oferece a primeira aula grátis a todos os alunos que os procurem através da plataforma Superprof. Existe ainda a possibilidade de uma aula online, já que nos dias de hoje os meios online estão presentes nas nossas vidas e as facilitam bastante, os professores Superprof, fazem por estar disponíveis para uma aula online ou mesmo um curso completo online, dependerá do que o aluno procurar.

Os acordos ortográficos nem sempre têm sido aceites ao longo dos ano mas, há sempre formas de encontrar ajuda nestes períodos de transição.

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Cláudia

Sou uma pessoa dedicada e empenhada a 100% a todos os projetos, quer sejam eles de carácter mais pessoal quer sejam a nível profissional. Sou licenciada em Assessoria e Tradução de todo o tipo de matérias e para além disso sou especializada na língua inglesa e alemã. Tenho uma grande paixão pela leitura e escrita. Sou muito curiosa e aberta ao conhecimento o que me faz querer saber, aprender e partilhar mais sobre, na verdade, tudo um pouco.