Segundo psicólogos, a música seria capaz de reduzir o stress causado pela correria do dia a dia. Portanto, não será demais dizer que praticá-la pode ser uma ótima maneira de melhorar a sua qualidade de vida.

Assim sendo, porque não pensar em ter aulas de piano com um professor particular?

Para quem já está decidido a avançar com esta atividade ou para quem ainda precisa de ser incentivado, preparámos um passo a passo que será certamente útil no processo.

Passo 1: construir uma relação de transparência com o professor de piano

Muitas pessoas querem dedicar-se à música. Trata-se de uma atividade criativa, que permite trabalhar e desenvolver várias vertentes, como a coordenação das mãos e o chamado ouvido musical.

Guitarra, bateria, saxofone, flauta, violino ou piano, seja qual for o instrumento, aprender música de modo geral requer investimentos de tempo e dinheiro.

Aluna conversa com professor particular de piano
Ser transparente no primeiro contacto é fulcral. | Fonte: Unsplash

Felizmente para os pianistas aprendizes, nos dias de hoje é possível adquirir um piano, independentemente da sua classe social. Antigamente, este era um instrumento que apenas se encontrava a preços muito elevados e nas casas de famílias da realeza ou da burguesia. Agora, seja nos pianos de cauda, ​​nos pianos verticais ou nos pianos digitais, existem opções para todos os bolsos. 

O mesmo acontece o preço das aulas de piano que pode variar de acordo com alguns fatores, como a localização ou a experiência do docente.

Uma vez que já adquiriu o seu instrumento, as aulas podem acontecer mesmo em sua casa, com um professor particular que possa fazer deslocações.

As aulas em casa oferecem muitos benefícios, incluindo um professor de piano dedicado totalmente a si. O estudante de música tem então um acompanhamento personalizado ao longo da sua evolução. O professor de piano sabe como o seu aluno trabalha e quais são as suas dificuldades. Os cursos são orientados para ajudá-lo a avançar, de acordo com o seu perfil.

É por isso que o primeiro passo para começar as aulas de piano é importante. O primeiro encontro deve ser principalmente para discutir e traçar um planeamento com o professor para alinhar metas e determinar a linha de trabalho (teoria musical, pauta, notas de leitura, coordenação das mãos, etc.).

Uma primeira aula de piano será, antes de mais nada, para conhecer o seu professor, mas também avaliar o seu nível e definir o ponto de partida.

Se nunca tocou piano na vida, é provável que o professor faça exercícios para testar a sua destreza de dedos, coordenação e o seu ouvido musical.

Este ponto é essencial para começar bem e seguir um plano de aulas. O aluno não deve hesitar em partilhar as dificuldades para que o professor de piano possa insistir mais nalguns temas e esclarecer todas as dúvidas.

Os primeiros minutos da primeira aula de piano serão, portanto, a base da organização de todo o curso e uma das mais importantes!

Passo 2: rever e refazer as técnicas de piano

A segunda etapa do curso de piano é sempre rever o que foi visto na última aula para se certificar de que foi aprendido pelo aluno. Portanto, não se questione se o seu professor de piano lhe pedir para repetir resumidamente os exercícios realizados em lições passadas.

Menina treina piano em casa
É fundamental praticar a técnica fora das aulas particulares de piano para ter sucesso | Fonte: Unsplash

O aprendiz de pianista normalmente deve sempre rever e estudar o conteúdo entre uma aula e outra, o que permite a progressão do músico. Além disso, é a tocar regularmente e com base na repetição que o cérebro cria mecanismos. Tocar piano torna-se mais fácil graças à memória associada à prática.

A técnica do piano consiste em:

  • Saber como ler uma partitura;
  • Reconhecer uma nota no piano;
  • Saber coordenar as duas mãos;
  • Aprender os acordes;
  • Respeitar os tempos;
  • Preparar-se para tocar de improviso;
  • Etc.

A técnica torna possível ter uma base sólida para que possa tocar qualquer música mais tarde e fazer isso com harmonia. Uma vez que os exercícios da aula anterior tenham sido revistos ​​e pareçam mais fáceis, o professor de música introduz novos exercícios e desafios. Fazê-los em sala de aula várias vezes seguidas ajuda o aluno a progredir, aproveitando a ajuda do professor.

Portanto, é importante ver o hábito de praticar entre as aulas como uma forma de experimentar e, especialmente, de errar. Porque, como é habitual dizer-se, “com os erros é que se aprende” ou, ainda, “só não erra quem não faz”.

Lembre-se que terá sempre o apoio do professor de piano para lhe mostrar a posição correta das mãos, a postura, as progressões, etc.

Os exercícios são repetidos várias vezes para garantir que o aluno compreenda e possa repeti-los também quando não está em aula.

Esta é uma parte fundamental na aprendizagem de um instrumento, porque o cérebro tem que assimilar novas habilidades. Uma vez que este processo se conclua, ou seja, adquirindo a técnica, a maior parte do trabalho está concluída e depois a diversão chega em grande!

Passo 3: escolher partituras para piano de musicas conhecidas

Uma vez que a técnica é adquirida, o professor de piano ajuda o aluno a colocá-la em prática através do estudo de partituras de músicas conhecidas. Normalmente, o aluno pode aproveitar esse momento para aprender a tocar músicas que são particularmente do seu agrado.

Aprender uma música ao piano é um processo que permite usar muitas técnicas ao mesmo tempo e rever tudo o que foi aprendido desde o início, dependendo da música escolhida.

Partitura musical para piano
Tocar uma música que se gosta de ouvir ajuda a manter a motivação do aluno e o desejo de progredir | Fonte: Unsplash

A escolha das músicas é, por vezes, o que leva os estudantes a abandonar as aulas de piano, porque os temas são muitas vezes impostos pelos professores de conservatório ou escola de música, sendo por isso mais clássicos e tradicionais.

Para dar algumas ideias para as próximas aulas de piano, aqui estão algumas músicas que podem ser interessantes para iniciantes e que variam entre o clássico e o contemporâneo:

  • Imagine, de John Lennon;
  • Für Elise, de Beethoven,
  • Comptine D'Un Autre Ete, de Yann Tiersen,
  • Someone like you, de Adele,
  • Aleluia, de Leonard Cohen,
  • I promise you, de Johnny Hallyday.

E para o progresso, estas próximas músicas poderão ser uma inspiração para algumas ideias:

  • Life on Mars?, de David Bowie;
  • Mistral gagnant, de Renaud;
  • Lucie, de Pascal Obispo;
  • Ne me quite pas, de Jacques Brel;
  • Lá-bas, Jean-Jacques Goldman.

O objetivo é, acima de tudo, que os alunos aprendam com o prazer de tocar.

Durante esta etapa, o professor ensina o passo a passo e procura identificar as dificuldades do aluno.

Além disso, os professores de piano podem transcrever músicas de modo a que seja mais fácil tocar do que a forma original. Assim, algumas canções que podem parecer complicadas à primeira vista, às vezes podem tornar-se adequadas para pianistas principiantes com pequenos ajustes.

Qualquer que seja o estilo da música (jazz, rock, música clássica, blues, etc), é possível simplificar muitas notas para que possa tocar as canções que gosta e, assim, é mais fácil manter o ânimo nos pícaros! 

Então não hesite em perguntar ao seu professor de música sempre que alguma dúvida aparecer e em partilhar os seus gostos musicais e as suas playlists preferidas.

Passo 4: partilhar ideias com o professor particular de música

O esqueleto das aulas de piano é, de forma geral, comum nas escolas e centros de formação, mas o ensino particular é realmente específico e pode ter características próprias, de acordo com a metodologia do professor de piano escolhido. É impossível dizer com garantia que uma aula particular de piano para iniciantes funcionará igualmente para todos os alunos.

Para ter certeza de que o estilo de ensino do seu professor é adequado para si, considere conversar com ele antes e peça-lhe para fazer uma aula experimental. É preciso que haja uma afinidade para que o método escolhido realmente funcione.

Alguns professores particulares poderão responder que é impossível definir previamente como vão decorrer as aulas porque eles constroem os cursos como julgarem correto para aquele aluno, com tempo e de acordo com os desejos e afinidades do aprendiz a pianista.

A solução passa por falar com o professor para determinar o que o faz feliz e o que gosta de aprender, ouvir e tocar. A sua maneira de aprender e a sua personalidade também influenciam muito a forma como vai responder aos ensinamentos passados durante o curso.

Pianista toca música
Não hesite em partilhar com o seu mentor o que mais gosta de ouvir e as músicas que realmente gostava de aprender a tocar ao piano | Fonte: Unsplash

Alguns alunos precisam de receber estímulos diferentes, como por exemplo serem desafiados a concluir muitos exercícios variados, de modo a evitar que sintam monotonia e falta de motivação, enquanto outros precisam estar muito concentrados numa tarefa específica, de cada vez, para atingirem a perfeição técnica e o entendimento total do tem em causa.

Além disso, a aprendizagem de piano não é a mesma para crianças, adolescentes e adultos, como facilmente se consegue concluir. Para cada faixa etária há certas capacidades cognitivas e procedimentos que despertam respetivos interesses. Até os próprios gostos musicais também variam imenso.

O trabalho do professor em aulas de música é, também, encontrar o ritmo próprio de cada aluno, mantendo a sua própria abordagem e método de educação musical (método do piano, exercícios autodidáticos, etc.). Em aulas de grupo, tal tarefa pode não ser tão fácil quanto parece devido à variedade de perfis de alunos.

O modelo de aula ideal deve ser um mix entre o estilo do professor de piano e a expectativa do aluno. Nem todos os professores são iguais, tais como os alunos, e podem estar condicionados pela sua própria experiência.

Iniciar aulas de piano não é o mesmo que preparar uma exibição em conservatório ou mesmo um concerto, o que não significa que seja mais fácil!

Além disso, uma aula de teclado pode ser dividida em diferentes disciplinas (história da música, treino musical, aulas de teoria musical para ler uma partitura e poder decifrá-la, dentre outras habilidades.

Aprender a tocar piano, aprender teoria musical e fazer música é um processo pessoal que varia muito de pessoa para pessoa. O seu progresso vai depender da sua capacidade, dedicação e de encontrar um professor de música condizente com o seu perfil.

Para aprender, deve haver afinidade e amizade.

Assim, quem sabe se não será um próximo Chopin, Mozart, Bach, Liszt, Beethoven, Offenbach ou outros grandes talentos. Ou pode, simplesmente, dedicar-se devidamente ao seu hobby e ter o gosto de evoluir.

Precisa de um professor de Piano ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Laura

Apaixonada por comunicação sob todas as suas formas, sempre soube que faria dela minha profissão. Sempre com as palavras e as pessoas no centro, tenho o privilégio de já ter sentido o poder transformador desta área nalgumas das suas múltiplas dimensões: no jornalismo, em marketing e em comunicação empresarial.