Sabemos que, em Portugal, não são conhecidos muitos dançarinos profissionais, mas existem muitas pessoas que praticam dança como amadores e têm aulas da modalidade.

Mas aprender a dançar também é aprender a criar as próprias coreografias, incorporando vários movimentos técnicos que vai adquirindo durante as aulas de dança. Não interessa o estilo de dança que pratica, seja uma dança clássica como ballet ou uma dança contemporânea como salsa, cha cha cha, tango argentino, jazz ou hip-hop, o mais provável é que chegue a uma altura onde terá que criar a sua própria coreografia.

Por isso, ainda que não seja um coreógrafo, pode dar uns passos na arte de criar coreografias, quer seja para uma apresentação na escola de dança ou estúdio onde pratica ou apenas para se divertir. Ficam aqui algumas das nossas dicas para ajudar no processo.

Os melhores professores de Dança disponíveis
Sara
5
5 (15 avaliações)
Sara
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Hanna
5
5 (10 avaliações)
Hanna
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Rui
5
5 (9 avaliações)
Rui
40€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Nuno
5
5 (12 avaliações)
Nuno
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Deborah
5
5 (5 avaliações)
Deborah
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Safiyah
5
5 (8 avaliações)
Safiyah
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Marcelo
5
5 (15 avaliações)
Marcelo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara
5
5 (15 avaliações)
Sara
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Hanna
5
5 (10 avaliações)
Hanna
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Rui
5
5 (9 avaliações)
Rui
40€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Nuno
5
5 (12 avaliações)
Nuno
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Deborah
5
5 (5 avaliações)
Deborah
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Safiyah
5
5 (8 avaliações)
Safiyah
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Marcelo
5
5 (15 avaliações)
Marcelo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Escolher o estilo de dança

A primeira coisa que tem que fazer é escolher o estilo de dança da sua coreografia. Deverá, claro, escolher um estilo de dança que já domina, mas tem várias possibilidades disponíveis:

  • Danças de salão, como valsa, tango ou cha cha cha;
  • Danças latinas, como salsa, samba ou rumba;
  • Jazz;
  • Dança do ventre;
  • Hip hop;
  • Bachata;
  • Kizomba.
dancarina em pose de ballet
Pode escolher entre várias danças para a sua coreografia, como ballet, tango, salsa, cha cha cha, jazz, kizomba e muitos mais. | Fonte: Pexels.com

Se quiser, também pode misturar os vários estilos de dança que aprende em cada aula. Mas, para isso, terá que ter um bom domínio dos dois tipos de dança envolvidos. A ideia é produzir uma coreografia original, mas coesa.

Escolher a música ideal e estudá-la bem

Este é um passo crucial para conseguir um bom resultado na sua criação. A música escolhida é uma parte muito importante e deve ter significado, não só para o dançarino como para o público que vai assistir. É importante que escolha algo que lhe permita atingir o seu objetivo.

Se for possível, escolha músicas com base no estilo de dança que for utilizar na coreografia.  Existem vários estilos que pratica na escola durante a aula de dança que têm música típica associada, como é o caso da salsa, do tango ou do hip-hop. Mas se for utilizar uma mistura de estilos, pode escolher as músicas que achar mais adequadas. Ninguém disse que era impossível fazer um coreografia de hip-hop ao som de música clássica.

Depois de escolher a peça ideal e antes de começar a estruturar a coreografia, tem que estudar bem a música que escolheu. Ouça-a várias vezes, para que fique bem memorizada na sua cabeça. É importante que a conheça de cor, para que nunca se engane no tempo de cada passo.

Perceba quais são as emoções que inspira, qual é a história que conta. Se a letra for numa língua estrangeira, traduza-a, de forma a garantir que a compreende bem. É ao traduzir essas emoções nos movimentos que consegue ter impacto no público que assiste.

Além disso, também deve analisar a estrutura em profundidade. Os vários estilos de música que pode dançar têm, normalmente, uma construção típica. Conhecer essa estrutura é o que permite criar uma coreografia coerente, que englobe a sua visão sobre a peça. É preciso conhecer o ritmo e as batidas onde vai destacar e coordenar os seus movimentos.

Os melhores professores de Dança disponíveis
Sara
5
5 (15 avaliações)
Sara
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Hanna
5
5 (10 avaliações)
Hanna
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Rui
5
5 (9 avaliações)
Rui
40€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Nuno
5
5 (12 avaliações)
Nuno
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Deborah
5
5 (5 avaliações)
Deborah
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Safiyah
5
5 (8 avaliações)
Safiyah
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Marcelo
5
5 (15 avaliações)
Marcelo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara
5
5 (15 avaliações)
Sara
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Hanna
5
5 (10 avaliações)
Hanna
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Rui
5
5 (9 avaliações)
Rui
40€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Nuno
5
5 (12 avaliações)
Nuno
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Deborah
5
5 (5 avaliações)
Deborah
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Safiyah
5
5 (8 avaliações)
Safiyah
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Marcelo
5
5 (15 avaliações)
Marcelo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

A importância da improvisação na aula dança

Durante cada aula de dança, seja de jazz, salsa, cha cha cha, tango ou ballet, vai chegar uma altura em que o professor de dança lhe vai pedir para improvisar. Em certos estilos de dança até é comum passar alguns segundos apenas a improvisar, como acontece com as danças orientais.

dancarina com bracos cruzados
Os professores de dança com experiência podem ser uma ajuda para os alunos que têm dificuldades em encontrar o ritmo, o movimento e a técnica necessária para improvisar na sua coreografia. | Fonte: Pexels.com

Se tem receio de improvisar, não se preocupe. A improvisação não se prende pela técnica dos movimentos, só interessa as emoções que são transmitidas. Claro que terá que realizar os passos de dança corretamente, mas não é necessário que todos os movimentos sejam coreografados. E a verdade é que para criar uma coreografia precisa de começar com improvisação.

Comece for realizar alguns passos num estúdio enquanto filma. Faça os movimentos que considera que melhor representam a música que escolheu em frente a uma câmara, para que os possa analisar depois de sair da escola de dança ou do estúdio onde esteve a praticar.

Depois de algumas sessões, veja os vídeos dos movimentos que improvisou e selecione os que quer utilizar na coreografia. Daí, crie a sequência que quer seguir entre cada um. Se achar mais simples, também pode anotar os passos da coreografia numa folha, mas mantenha o suporte visual, porque a visualização dos movimentos no espaço do estúdio é muito importante.

Se sentir que não está a progredir na coreografia e precisa de ajuda, procure um professor de dança profissional com experiência. Existem variados professores de dança com anos de experiência que podem ajudar a refinar a técnica e o ritmo da coreografia e até pode aprender as coreografias online.

Organize as sequências e preencha as lacunas

É normal existirem momentos da coreografia onde não sabe o que fazer e não tem inspiração, mas não precisa de se preocupar já com isso. Comece por se concentrar nas sequências que já tem e refinar todas as partes que quer manter. O importante aqui é aperfeiçoar os movimentos e garantir que executa os passos corretamente.

dancarino a mexer
Tal como acontece nas aulas, os alunos que criam as suas própria coreografias de dança contemporânea e moderna devem organizar o movimento das sequências. | Fonte: Pexels.com

Depois de definir esses passos e repetir a coreografia várias vezes, é só continuar a improvisar para completar as partes em falta e preencher todas as lacunas existentes. Se estiver com dificuldade em lembrar-se de novos passos do estilo de dança, volte as rever os vídeos que gravou. Podem existir passos e movimentos que ainda não utilizou e que pode integrar na coreografia.

Lembre-se de garantir que os movimentos são adequados à música e ao estilo de dança (seja cha cha cha, salsa, tango, jazz ou ballet) e que existe uma boa transição entre eles e as várias partes da coreografia.

Mais dicas para criar a sua coreografia

Independentemente das diferentes modalidades de dança que for usar, seja uma dança contemporânea como jazz e hip-hop ou danças clássicas como salsa, tango e cha cha cha, se quer passar de dançarino a coreografo há vários elementos que deve ter em conta.

professora e aluna na aula
Se precisar de ajuda com a coreografia, procure por professores de dança com experiência que o possam ajudar com aulas presenciais numa escola ou online. | Fonte: Pexels.com

Tais como:

  • Aqueça antes de começar: o aquecimento é essencial para não correr o risco de se magoar e comprometer a sua coreografia e saúde;
  • Foque-se principalmente no início e no fim: ainda que toda a coreografia deve ser coesa, o início e o final são as duas partes mais importantes. Deve garantir que capta a atenção do público imediatamente e que termina com um boa impressão antes de sair do palco;
  • Alterne entre momentos calmos e momentos rápidos: não deve ser demasiado energético e correr o risco de ficar exausto, mas também não pode ser demasiado calmo e pouco emotivo. É importante encontrar um bom equilíbrio;
  • Mantenha a simplicidade: não é necessário mostrar toda a sua técnica com uma música, por isso não deve incluir apenas passos técnicos e complicados. Lembre-se de permitir a passagem da emoção e da importância das pausas;
  • Repita a sequência quando for adequado: se fizer sentido, pode perfeitamente reutilizar uma sequência, da coreografia. Aliás, muitas vezes isso permite que o público consiga seguir o progresso mais facilmente e evita que precise de enquadrar mais passos diferentes;
  • Não deixe os movimentos a metade: cada passo deve estar presente por um motivo e cada movimento deve ser realizado com o corpo todo, incluindo a expressão facial, para dar intensidade à sua coreografia;
  • Evite ser literal: dançar não é representar palavras, por isso deve evitar ser demasiado literal e dançar o que é descrito na música. O público quer ver dança e não teatro, por isso foque-se na emoção;
  • Use o espaço disponível: os movimentos que incorporar na sua coreografia devem utilizar todo o espaço do estúdio ou da escola que estiver a utilizar para dançar, especialmente se estiver sozinho no palco. Isso cria dinamismo e chama a atenção do público;
  • Pratique regularmente: mesmo depois de ter terminado a coreografia, deve continuar a praticar até se sentir confortável com todos os passos e tiver a certeza de que não se esquece de nenhum.

E agora, já se sente pronto para escolher uma música e começar a criar a sua coreografia? Se gostava de o poder fazer, mas ainda se sente muito inseguro, porque não procurar pela ajuda de um professor para ter aulas de dança? Na Superprof encontra dezenas de professores de dança que o podem ajudar a aperfeiçoar a técnica e os passos das diferentes modalidades de dança em cada aula, até que se sinta preparado para coreografar uma sequência de ballet, jazz, salsa, cha cha cha ou outras danças. Além disso, ainda pode escolher se prefere fazer uma aula em casa, numa escola de dança ou numa academia. De que está à espera?

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.