O nosso leitor já teve aulas de espanhol? Já fez um curso de espanhol online e gostaria de avançar na sua aprendizagem desta língua e saber em que nível de proficiência linguística se encontra?

Talvez tenha um correspondente na Costa Rica ou mesmo em Madrid e quer poder saber comunicar com ele da melhor forma? Ou, quem sabe, a universidade que frequenta oferece um intercâmbio com um país hispanófono?

Em qualquer uma destas situações, é quase obrigatório fazer uma certificação de competências linguísticas e tornar 'oficial' o seu nível de espanhol.

Assim, o estudante ficará mais tranquilo e poderá mostrar um diploma que comprove a sua competência em espanhol, quer seja na universidade, no seu novo trabalho, ou até em casa, para se gabar à família e aos amigos!

Ora, mas se não sabe que exame de espanhol realizar para certificar o seu nível linguístico, não vale a pena desesperar! Do certificado de espanhol SIELE, aos diferentes níveis de certificação linguística do Diploma de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE), as opções são inúmeras.

Comecemos pelo DELE. Hoje, neste artigo, a Superprof apresenta todas as dicas para ter uma boa nota no Diploma de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE).

Susana
Susana
Profe de Espanhol
4.96 4.96 (24) 15€/h
1ª aula grátis!
Alberto
Alberto
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (7) 15€/h
1ª aula grátis!
Alonso
Alonso
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (8) 14€/h
1ª aula grátis!
Julio
Julio
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (5) 15€/h
1ª aula grátis!
Virgínia
Virgínia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (11) 15€/h
1ª aula grátis!
Santiago
Santiago
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (6) 15€/h
1ª aula grátis!
Ana olivia
Ana olivia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (9) 15€/h
1ª aula grátis!
Sandra
Sandra
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (4) 15€/h
1ª aula grátis!

O que é o DELE: o grande objetivo de quem tem aulas de espanhol?

Os DELE são os Diplomas de Español como Lengua Extranjera ou, em português, Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira.

São reconhecidos internacionalmente e certificam o nível de competência linguística e de domínio da língua oficial de tantos países hispânicos.

Mas, afinal, porque é que falamos no plural e não apenas no DELE como um único diploma? Ora, porque na verdade o DELE é um diploma que se divide em seis níveis de exames de espanhol que determinam, cada um, um diploma de certificação linguística diferente.

Porém, atenção: ninguém precisa de passar a todos os níveis inferiores para validar o seu diploma. Por exemplo, se já sabe muito além dos dias da semana em espanhol e tem a certeza de que o seu nível de proficiência é alto, o estudante pode optar por fazer um exame de espanhol de um nível mais avançado.

Sim, com o DELE pode aprender espanhol e certificar o seu nível escolhendo o exame adaptado à sua situação.

Uma rapariga num café, junto à janela, com o computador portátil a estudar espanhol.
Avance no seu curso de espanhol online e prepare-se para realizar o DELE | Fonte: Unsplash

Os seis níveis diferentes correspondem aos níveis de competência definidos pelo Quadro Europeu Comum de Referências para Línguas:

  • A1 (inicial) – implica saber construir questões simples, falar de si, saber escrever pequenas frases em espanhol e preencher formulários, além de entender palavras comuns quando estas são proferidas oralmente, saber ler e entender frases simples;
  • A2 (básico) – implica conseguir conversar e trocar informações simples, aprender espanhol e saber escrever mensagens curtas e pessoais, saber ler e entender anúncios publicitários, horários, menus e qualquer tipo de formato informativo simples;
  • B1 (intermédio) – implica que o aluno seja capaz de falar dos seus sonhos e aspirações, de um livro, saber argumentar, escrever uma carta pessoal em lingua espanhola, entender os programas de rádio ou de televisão em função dos seus interesses, e ainda compreender cartas escritas num nível de espanhol comum;
  • B2 (independente) – implica que o estudante se saiba expressar claramente e defender opiniões com um locutor nativo, que consiga escrever textos bem fundamentados, acompanhar perfeitamente um programa de rádio ou televisão, uma conferência, um filme, saber ler textos contemporâneos e até literários. Este nível de proficiência é necessário para interagir nas universidades e para aprender em espanhol. Também é o nível exigido pelos empregadores para quem pretende obter um certificado de espanhol útil na academia e no mundo profissional.;
  • C1 (fluente eficaz) – implica saber fazer apresentações complexas e detalhadas oralmente, falar fluentemente espanhol, escrever textos argumentativos e estruturados, acompanhar uma conferência, um filme, um programa sobre qualquer assunto, saber ler e compreender textos literários e técnicos, e construir frases em espanhol com uma sintaxe complexa;
  • C2 (fluente estruturada) – implica saber fazer uma argumentação lógica e clara, escrever documentos complexos, resumir e criticar um documento profissional ou literário, além de compreender a linguagem oral e estar familiarizado com diferentes sotaques, e saber ler (sem esforço) um texto abstrato.

Depois, para cada um destes níveis, o estudante deve fazer cinco provas diferentes:

  • Compreensão escrita — depois da leitura de um texto, deve responder por escrito às questões;
  • Expressão escrita — escrevendo e prestando especial atenção à ortografia e à gramática espanhola;
  • Compreensão oral — o estudante deve responder a várias perguntas depois de ouvir um ficheiro áudio gravado por locutores nativos;
  • Gramática espanhola e vocabulário — uma secção que permite avaliar as competências gramaticais e a riqueza linguística do aluno;
  • Expressão oral — uma prova que tenciona analisar a fluência e a pronúncia do aluno.
Uma página de um dicionário de espanhol.
Estudar vocabulario espanhol é uma ótima forma de evitar erros ortográficos. | Fonte: Pixabay

Porque aprender espanhol e fazer o DELE?

Mas para que o aluno conquiste qualquer um destes níveis tem de começar por aprender espanhol, ingressar em aulas de espanhol, escolher um curso de espanhol online e praticar muito!

Só depois deverá pensar em certificar o seu nível de espanhol. E, como terá certamente ficado claro na secção anterior, não deve simplesmente fazer uma prova de escolha múltipla para certificar o seu nível de espanhol. O DELE é um teste ideal porque avalia suas competências linguísticas em lingua espanhola em vários domínios e uma opção tão válida quanto outros exames de espanhol como o SIELE e o Business Language Testing Service (BULATS).

Então, quais são as razões para querer fazer o DELE?

  • O DELE valida a competência linguística em espanhol. Se o aluno anda a aprender espanhol há algum tempo e não sabe em que nível se enquadra, se é estudante universitário e faz investigação em lingua espanhola, se deseja estudar, trabalhar num país hispanófono ou até ser professor, todos estes são bons motivos para fazer o DELE;
  • É um exame reconhecido no mundo inteiro por empresas, câmaras de comércio, sistemas escolares públicos e privados. Por isso, vai permitir que o estudante trabalhe em Espanha e vários países da América Latina, ser investigador, educador ou professor...;
  • É um diploma que dá mais segurança aos seus conhecimentos na língua! Se está, por exemplo, a preparar uma viagem a um país onde se fale espanhol, o se o conhecimento da geografia do seu país de destino irá ajudá-lo a ter uma viagem agradável, é essencial que saiba comunicar e estabelecer um diálogo com um local!
Susana
Susana
Profe de Espanhol
4.96 4.96 (24) 15€/h
1ª aula grátis!
Alberto
Alberto
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (7) 15€/h
1ª aula grátis!
Alonso
Alonso
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (8) 14€/h
1ª aula grátis!
Julio
Julio
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (5) 15€/h
1ª aula grátis!
Virgínia
Virgínia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (11) 15€/h
1ª aula grátis!
Santiago
Santiago
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (6) 15€/h
1ª aula grátis!
Ana olivia
Ana olivia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (9) 15€/h
1ª aula grátis!
Sandra
Sandra
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (4) 15€/h
1ª aula grátis!

Arrasar no curso de espanhol e preparar-se para o DELE

Não importa o nível que quer alcançar. O importante é preparar-se e estudar muito! Até porque ninguém faz um exame sem saber qual será o conteúdo desse exame...

Assim, a Superprof aconselha o estudante a começar a preparar o seu teste de espanhol pelo menos três a seis meses antes — dependendo do nível para que se prepara e o tempo que deverá dedicar aos estudos.

E como?

  • Consultando exames de espanhol anteriores, e sabendo que exercícios encontrará e que dicas seguir para os resolver corretamente;
  • Mergulhando na língua e lendo jornais, livros, revistas, sites, vendo filmes, ouvindo programas de rádio;
  • Fazendo amigos espanhóis ou latino-americanos falantes de espanhol, praticando a oralidade e, claro, pedindo-lhes que corrijam o estudante sempre que ele cometer algum erro!
Dois toureiros espanhóis, tradicionalmente trajados, numa praça de touros.
Como aprender espanhol como ninguém? Deixando-se levar por tudo quanto é tradição espanhola. | Fonte: Pixabay

Aprender espanhol e inscrever-se no DELE

Toda a gente pode inscrever-se para o DELE. Mas é claro que não faz muito sentido fazê-lo caso o aluno seja espanhol ou um latino-americano falante de espanhol (a não ser que tenha dupla nacionalidade mas não saiba falar espanhol!).

Então, e quais são os documentos necessários para se inscrever no DELE? Listamo-los abaixo:

  • folha de inscrição preenchida, disponível on-line;
  • documento de identidade original e cópia com foto, nome, apelido, nacionalidade, local e data de nascimento;
  • comprovativo de pagamento da inscrição.

Depois de enviar ou entregar a sua inscrição para um centro do exame do DELE, o estudante receberá uma cópia dessa inscrição e a convocatória para o exame de espanhol.

Pronto, o grande dia chegou! Todos estão a torcer para que o examinando se saia bem nas provas. E o que é que o aluno tem de levar consigo?

  • cópia da folha de inscrição;
  • documento de identidade;
  • convocatória para o exame.

Onde fazer o teste de espanhol DELE e por que preço?

Os diplomas DELE são emitidos pelo Ministério da Educação, da Cultura e do Desporto espanhóis. Aliás, é o Instituto Cervantes que se encarrega de organizar os exames que a Universidade de Salamanca elabora, corrige e aos quais atribui a nota final.

Mas onde são os centros de exames?

Em Espanha, claro! Estar num país hispânico é sempre uma ótima ocasião para descobrir o ambiente e o contexto cultural e a civilização. Por isso, este é também o sítio ideal para realizar o DELE.

Mas não só! Em países falantes de espanhol da América Latina, no Brasil e em Portugal também se faz este exame de espanhol.

Em Portugal os centros de exame DELE são inúmeros. Eis alguns deles:

  • Nobel International School Algarve, na Lagoa;
  • Colégio Didálvi, em Barcelos;
  • Fundação Rei Afonso Henriques, em Bragança;
  • Study Time, em Coimbra;
  • Agrupamento de Escolas Dr. Manuel Laranjeira, em Espinho;
  • Centro de Línguas da ECS da Universidade de Évora;
  • Academia de Línguas da Madeira, no Funchal;
  • Colégio do AVE, em Guimarães;
  • Agrupamento de Escolas Madeira Torres, em Torres Vedras.

E em Lisboa, são mais de dez as hipóteses. Seguem apenas algumas:

  • Colégio Salesianos de Lisboa;
  • Lycée français Charles Lepierre;
  • Universidade Europeia;
  • E, claro, o Instituto Cervantes.
Não perca o sono em busca de um sítio onde realizar o seu exame de espanhol DELE. Os centros de certificação são inúmeros. | Fonte: Unsplash

Além disso, através do Instituto Cervantes os diplomas de DELE têm vários preços, de acordo com o nível que está a ser certificado:

  • A1 — 99 €;
  • A2 — 112€;
  • B1 — 127€;
  • B2 — 164€;
  • C1 — 175€;
  • C2 — 190€.

Sim, é bem verdade, com 100€ ou 200€ investidos, o estudante poderá avançar no seu curso de espanhol e obter a certificação do seu nível de proficiência linguística e, quem sabe, ingressar num trabalho ou num intercâmbio que permitam intensificar as suas aulas de espanhol e, um dia, ser capaz de traduzir portugues para espanhol sem dificuldade e a nível profissional!

Precisa de um professor de Espanhol ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Marta

Sou, desde sempre, uma ávida leitora, com o coração apontado para a escrita, e uma bibliófila incurável, com um fraquinho por arquivos e espólios. Hoje, trabalho como revisora, editora e produtora de texto freelancer e sou colaboradora do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.