Podemos afirmar com certeza que a gastronomia do nosso país é reconhecida em vários países do mundo pela sua qualidade e, como tal, atraí centenas de pessoas todos os anos. Devido à sua qualidade são cada vez mais as opções de cursos de gastronomia, cursos de pastelaria e workshops de cozinha portuguesa onde pode aprender a dominar os pratos e receitas típicas da nossa gastronomia.

Como todos sabemos bem, a gastronomia portuguesa tem vários clássicos e muitas receitas familiares, que pode aprender em qualquer um desses cursos ou workshops. Mas também existem muitas receitas que fazemos em casa, sem recorrer a um curso de cozinha específico.

Precisamente por esse motivo, hoje vamos falar de uma receita também ela clássica, mas um pouco mais complicada, a francesinha. Como um prato típico da gastronomia portuense, tem variados adeptos e é muito requisitada. E a boa notícia é que não precisa de ser um chef profissional para dominar as técnicas necessárias para a conseguir, bastam os conceitos básicos que os alunos aprendem num curso de culinária. A francesinha é um prato repleto de história e tradição, mas de confeção simples.

Se gostava de saber como confecionar este prático típico da região norte do país e de onde veio o seu nome, só precisa de continuar a ler.

alhos e cebolas
Um curso ou workshop de cozinha ou pastelaria é uma boa forma de ter formação sobre técnicas da cozinha, técnicas de preparação de ingredientes, receitas de outras cozinhas e ainda pratos diferentes. | Fonte: Pexels.com

Também pode fazer um curso ou workshop de cozinha portuguesa e aprender a fazer carne de porco à alentejana.

Os melhores professores de Culinária disponíveis
Diogo
5
5 (6 avaliações)
Diogo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Jussy
5
5 (11 avaliações)
Jussy
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Walei
5
5 (24 avaliações)
Walei
18€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Daniela
5
5 (7 avaliações)
Daniela
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ângelo
5
5 (9 avaliações)
Ângelo
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Joana
5
5 (9 avaliações)
Joana
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Madalena
5
5 (5 avaliações)
Madalena
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Joana
5
5 (8 avaliações)
Joana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (6 avaliações)
Diogo
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Jussy
5
5 (11 avaliações)
Jussy
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Walei
5
5 (24 avaliações)
Walei
18€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Daniela
5
5 (7 avaliações)
Daniela
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ângelo
5
5 (9 avaliações)
Ângelo
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Joana
5
5 (9 avaliações)
Joana
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Madalena
5
5 (5 avaliações)
Madalena
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Joana
5
5 (8 avaliações)
Joana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Cursos de cozinha e a história da francesinha

A grande maioria dos portugueses já provou uma francesinha. Os visitantes da cidade de Porto pedem este prato num dos muitos restaurantes espalhados pela cidade. Até já a consegue encontrar em restaurantes de norte a sul do país, mas só se prova a verdadeira francesinha na cidade onde ela nasceu.

A típica francesinha nortenha é uma iguaria inimitável, repleta de sabor, rica em carnes, bem acompanhada pelo molho tradicional e por outros ingredientes que permitem enriquecer o seu sabor, contribuindo para o caráter único da francesinha. É um ideal para um jantar de fim de semana, de preferência bem acompanhado.

Mas porque se chama francesinha? Esta tentação tem uma história interessante, que merece ser conhecida. Reza a lenda que a primeira francesinha da cidade do Porto nasceu na cervejaria “A Regaleira”, por volta de 1950. Foi Daniel David Silva, um emigrante, que desenvolveu a receita na Invicta, inspirado numa sanduíche francesa, o croque-monsieur.

O autor ficou inspirado por esta receita francesa e decidiu adaptá-la aos sabores e paladar português, tendo, então, incluído carnes e queijo. Diz-se que nos seus primórdios a composição da francesinha era diferente da atualidade, mais simples, incluindo apenas carnes e queijo.

Tudo isto é história, mas a origem do nome ainda deixa algumas dúvidas. Há quem diga que o nome resulta do facto de ser uma adaptação de uma sanduíche francesa, por outro fala-se na reação que tiveram as primeiras pessoas que provaram uma francesinha.

Quando foi a primeira vez servido, o prato nem sequer tinha nome, mas que o provou ficou maravilhado com o que tinha acabado de comer. Mas era importante dar-lhe um nome, e como o prato era agradável e bem picante, lembraram-se de lhe chamar francesinha.

A ligação entre as duas coisas pode não fazer muito sentido, mas existe. Isto porque, na altura as mulheres portuguesas eram consideravas muito conservadoras, ao contrário das mulheres francesas, que eram mais liberais, confiantes e "picantes".

Independentemente do local de onde tenha originado o nome, acabou por se manter, e o sucesso da francesinha foi praticamente imediato. Em pouco tempo, o restaurante recebia várias pessoas, que faziam fila para entrar e provar a receita.

A francesinha tinha um sabor intenso, alinhando-se perfeitamente com os sabores nortenhos tradicionais. O sucesso foi tanto que vários restaurantes tentaram imitar a receita e, hoje em dia, raros são os espaços que não possuem a sua própria versão.

folhas de salsa
A melhor forma de dominar pratos diferentes é praticar muito e todas as vezes que sejam precisas, mas um curso ou workshop de cozinha com um chef profissional pode ajudar bastante na sua formação. | Fonte: Pexels.com

Descubra a origem da carne de porco à alentejana num workshop ou curso de gastronomia portuguesa.

Receita da francesinha no workshop de cozinha

A receita original da francesinha foi evoluindo ao longo dos anos e tem, hoje em dia, ingredientes diferentes dos originais. A primeira francesinha era feita com lombo de porco fatiado, a atual leva bife. Na época era servida com pão bijou, mas hoje é habitual ser servida em pão de forma. O molho foi alterado e leva ingredientes diferentes em certos restaurantes.

Além disso, já se encontra facilmente versões totalmente diferentes, com massa folhada, vegetarianas e até com marisco. Poderá escolher a versão que quiser, mas deixamos aqui os ingredientes necessários para a receita portuguesa tradicional.

Estes são os ingredientes necessários para poder montar um francesinha:

  • Fatias de pão de forma ou de pão bijou (2 fatias por pessoa)
  • Bifes de vaca
  • Salsichas frescas
  • Linguiça
  • Fatias de queijo
  • Fatias de fiambre
  • Azeite

Para o molho:

  • Polpa de tomate
  • Cebolas e alhos
  • Caldo de carne
  • Louro
  • Meio litro de cerveja
  • 0,5 dl de vinho do porto
  • 2dl de vinho branco
  • 0,5 dl de whisky ou brandy
  • Sal e pimenta q.b.
rama de tomates
Uma da coisas que os alunos aprendem num workshop de cozinha ou num curso de pastelaria é que o sucesso das receitas e dos pratos depende da preparação e qualidade dos ingredientes e dos sabores. | Fonte: Pexels.com

Para fazer o molho, comece por preparar um refogado com a cebola e com o alho picado, num fio de azeite. Acrescente a polpa de tomate, o caldo de carne, o louro e adicione aos poucos as bebidas alcoólicas. Adicione os temperos. Se o molho estiver muito líquido, acrescente tomate em pedaços.

Depois de ferver, retire as folhas de louro e passe tudo com uma varinha mágica. Coloque novamente ao lume, no mínimo, enquanto prepara a sanduíche.

Grelhe o bife, a linguiça e a salsicha fresca. Coloque as fatias de pão numa torradeira sem deixar que fiquem estaladiças. Depois de grelhadas, junte as carnes às duas fatias de pão. No meio, adicione algumas fatias de fiambre. Cubra completamente a sanduíche com fatias de queijo. Leve ao forno para gratinar e deixar derreter um pouco o queijo. Coloque o molho quente por cima e acompanhe com batata frita.

Num workshop ou num curso de pastelaria poderá aprender várias técnicas para fazer ovos moles.

Aprender a cozinhar uma francesinha com curso de culinária

A receita da francesinha é específica e cada espaço tem a sua, que passa de geração em geração. Como qualquer clássico da gastronomia portuguesa que se preze, as gerações mais antigas ensinam às mais novas como devem reproduzir a receita. Assim, o prato é recriado sempre da mesma forma e a memória que temos dele não se altera. Mas ao contrário de uma receita tradicional portuguesa como a feijoada ou a caldeirada, em que cada família tem uma receita e forma de preparação própria, a francesinha tem outras particularidades a ter em conta, como o molho. A sanduíche é de execução fácil, mas conseguir acertar corretamente nos temperos e ingredientes do molho pode levar algum tempo.

cortar pimento
Os workshops e cursos de cozinha tradicional ou cozinhas do mundo são a opção ideal para quem quiser fazer formação intensiva na gastronomia e as suas técnicas, para se tornar um chef profissional. | Fonte: Pexels.com

Com isto não queremos dizer que é um prato impossível de fazer em casa, por isso é que partilhamos a nossa receita! Pode perfeitamente aprender a cozinhar uma francesinha sozinho em casa, seguindo a receita acima. Basta que siga os passos com cuidado, garanta que utiliza os ingredientes com a melhor qualidade possível e que não tente pôr em prática técnicas culinárias rebuscadas.

A primeira vez pode não ser perfeita, mas com alguma prática e perseverança vai conseguir o resultado que procura. Por isso não deve desistir, e praticar a receita as vezes que forem necessárias até ter o molho de francesinha ao seu gosto. E se precisar de ajuda, pode sempre procurar na plataforma online da Superprof. Na nossa plataforma online encontra várias opções de formação da gastronomia portuguesa para todos os tipos de alunos. Pode fazer aulas particulares de cozinha em casa, cursos intensivos numa cozinha profissional ou cursos de gastronomia portuguesa para aprender todas os pratos e receitas tradicionais que desejar, como a da francesinha.

Ou, se preferir, também pode procurar por outros cursos de gastronomia portuguesa, workshops de cozinhas internacionais ou cursos de culinária presenciais e online, para poder aprender todas as técnicas de preparação e confeção dos diferentes ingredientes. Com o apoio de um chef profissional como professor, vai aprender todas essas técnicas, mais novas receitas e muitos truques indispensáveis de alguém que tem conhecimentos das cozinhas do mundo e da nossa gastronomia tradicional portuguesa.

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.