O inglês é uma das matérias preferidas dos alunos quando estão a estudar no ensino primário ou secundário.

As razões são simples e lógicas: a língua de Shakespeare é a terceira língua mais falada no mundo. Todos os dias entra diretamente em casa dos portugueses através da música, séries, televisão, jornais ou revistas.

O inglês está tão presente na nossa vida quotidiana, seja na escola, no trabalho ou em casa, que muitas vezes nos esquecemos que este idioma  não é assim tão simples de ser aprendido e dominado. Principalmente na expressão oral.

Falar corretamente inglês requer um treino e prática constantes e um total compromisso do aluno.

Em Portugal, no final da escolaridade obrigatória, cada aluno deve ser capaz de se expressar numa língua estrangeira adquirida durante o seu percurso escolar ou num curso intensivo de ingles.

Felizmente, Portugal continua a ser um dos países onde as competências no inglês mais cresceram.

Nos tempos que correm é essencial aprender inglês
O inglês é essencial num mundo cada vez mais globalizado. | Fonte: Unsplash

Para terminar o seu percurso escolar com sucesso precisa ter aulas de inglês particulares.

O ensino no nosso país evoluiu com o objetivo de preparar os alunos para um mundo globalizado.

Desde muito cedo, os alunos começam a aprender uma língua estrangeira e ao longo da sua escolaridade vão progredindo até chegar ao domínio completo, ao nível da leitura e da escrita, dessa língua.

Para entrar na universidade, em alguns cursos, é exigido um exame nacional de inglês que podem ser bem preparado com aulas de ingles particulares.

Os estudantes devem, por isso, preparar-se com antecedência para os exames nacionais e, em específico, para esta prova de inglês, de modo a obterem o melhor resultado possível e mais tarde uma carreira profissional de sucesso.

 

Escalas de competência que consegue adquirir com explicações de inglês

O Quadro Europeu Comum de Referências para as Línguas, conhecido como QECR, é um padrão europeu, utilizado por alguns países, que serve para medir o nível de compreensão e expressão oral e escrita numa determinada língua.

Existe uma “escala global” composta por três níveis que por sua vez são subdivididos em dois:

A: Utilizador Elementar

  • A1: Nível de iniciação
  • A2 Nível elementar

B: Utilizador Independente

  • B1 Nível limiar ou intermédio
  • B2 Nível vantagem ou pós-intermédio

C: Utilizador Proficiente

  • C1 Nível de autonomia ou avançado
  • C2 Nível de mestria ou proficiente

No final do nível A1, o aluno deve ser capaz de interagir de uma maneira simples, desde que o interlocutor fale de um modo pausado e claro e esteja predisponível a ajudar.

No nível C2, o aluno já conseguirá expressar-se de um modo espontâneo, fluente e correto. Conseguirá em situações complexas, diferenciar diferentes variações de sentido.

Todos estes níveis podem ser adquiridos com aulas online de inglês.

O programa de inglês para iniciantes na escola

Na aulas de ingles que são dadas durante a escolaridade, a aprendizagem da língua inglesa é baseada essencialmente na interação oral e compreensão escrita do idioma. O inglês, diferentemente de outras matérias, pode englobar facilmente outros assuntos de outras disciplinas.

De acordo com um processo contínuo, a aprendizagem da língua inglesa na escola visa consolidar e enriquecer as bases linguísticas adquiridas em anos anteriores pelos alunos.

A escola, através da aprendizagem de inglês, permite aos adolescentes abrirem-se a outras culturas e convida-os a estimular o seu sentido crítico. Para além disso, permite que também conheçam outros estilos e costumes de vida.

Expressar em inglês com outras culturas
Ao dominar o inglês conseguirá comunicar com pessoas de diferentes culturas. | Fonte: Unsplash

O aluno pode expressar-se através das suas competências linguísticas, gramaticais, fonéticas e lexicais.

A aprendizagem do inglês baseada em 5 eixos principais

Na escola, as competências culturais, léxicas, gramaticais e fonéticas são integradas em 5 eixos principais:

  1. Compreensão oral: este eixo permite ao aluno compreender uma frase ou uma formulação simples e clara. No quadro da compreensão oral, várias noções são aprendidas, como por exemplo, o tom e as expressões empregadas, preposição, pronomes pessoais…
  2. Expressões orais contínuas: os alunos devem referir-se a vários assuntos sobre as pessoas e coisas utilizando termos simples. Os assuntos tratados correspondem aos pronomes, adjetivos possessivos, pretérito, descrição, advérbios, conjunções, etc. Também aprendem sobre as diferentes pronúncias do inglês.
  3. Interação oral: o aluno é capaz de comunicar de maneira simples com outra pessoa, de acordo com o seu nível. Deve ser capaz de se apresentar, cumprimentar alguém, agradecer, parabenizar ou perguntar algo em inglês.
  4. Compreensão escrita: descrição de si, paisagem, acontecimentos, escrever uma carta postal ou um email. A compreensão escrita permite ao aluno saber escrever textos simples, curtos e breves.

As noções de sintaxe e fonologia, essenciais na aprendizagem de inglês, são igualmente incluídas através de cinco grandes secções.

Também se acrescenta aos cinco eixos principais enumerados acima a iniciação às diversidades culturais, aos marcos da história, às origens de alguns clichês, entre outros.

Outro ponto essencial é a aprendizagem de alguns códigos da cultura norte-americana e britânica. Esta área pode ser chamada de conteúdo cultural.

Conteúdos culturais anglo-saxónicos na escola

  • Hábitos e ambiente quotidiano: escola, hábitos alimentares, casa, família, trabalho, diferentes códigos socioculturais fazem parte dos temas tratados.
  • História e cultura: as diferentes religiões nos países anglófonos, monumentos norte-americanos, britânicos, as festas…
  • Referências geográficas: fauna e flora, América do Norte, ilhas britânicas, continente Índico, Austrália…
  • Património artístico e literário: personalidades (Charlie Chaplin, Isaac Newton…), referências ligadas ao cinema, música, literatura jovem e clássica.

As competências de inglês no ensino secundário que pode melhorar com aulas online

No ensino secundário, a prática de inglês oral normalmente é valorizada e integrada ao conteúdo da língua.

Os alunos devem ser capazes de trocar ideias e comunicar para potenciar a mobilidade internacional.

Os alunos devem conseguir comunicar em inglês.
Os alunos devem estar preparados para dominarem o inglês escrito e oral. | Fonte: Unsplash

Ensino secundário e profissional: os objetivos linguísticos

Na continuidade das suas aulas dadas no ensino básico, o programa de inglês do ensino secundário visa desenvolver as competências de comunicação nas seguintes áreas:

  • Receção: compreensão oral e escrita da língua inglesa (compreensão de termos simples, intervenção clara, termos essenciais numa conversa).

 

  • Produção: expressão oral e expressão escrita (expressar-se simplesmente, produzir enunciados básicos, compreender textos simples e curtos, bem como expressões familiares, linguagem informal).

 

  • Interação oral: situações interativas, trocas coletivas (copiar e escrever palavras e formulários breves e simples, escrever um texto coerente sobre temas comuns).

 

Encontre um bom curso intensivo de ingles online no Superprof!

Os principais pontos abordados do inglês

Em primeiro lugar, as noções aprendidas anteriormente pelos alunos estabelecem uma comunicação imediata. No ensino secundário, podem ser analisadas com o objetivo de evoluir o nível de comunicação e melhorar as suas trocas.

Léxico: neste nível, a léxica linguística do aluno será orientada e complementada. Nas formações são incluídos para aprofundar a léxica da narração, descrição e argumentação das suas trocas.

Gramática: o aluno aprende alguns pontos mais aprofundados da comunicação e expressão. A organização das suas ideias e a criação de discursos mais complexos fazem parte dos conhecimentos a serem consolidados.

Fonologia: graças a formações específicas, a integração da dimensão sonora e oral permitem ao aluno perceber os componentes fonológicos ligados à aprendizagem de uma língua estrangeira.

Os alunos do ensino secundário devem saber as diferenças dos códigos da língua escrita e oral e jogar com essas diferentes formas de linguagem: tom formal, familiar, literário… Mas, na maioria das vezes, o aluno que deseja realmente aprimorar os seus conhecimentos precisa de recorrer a um curso intensivo de ingles fora das salas de aula.

Aulas de inglês no 11º ano

Sempre na continuidade da aprendizagem do ingles para iniciantes do ensino básico e do 10º ano, as aulas de inglês no 11º ano tem como objetivo rever as competências escritas e orais adquiridas anteriormente. Isso permitirá ao aluno consolidar o seu inglês.

No final do 11º ano dever-se-á ter por referência o seguinte conjunto de competências a desenvolver pelo aluno:

De interpretação

  • Ouvir: o aluno deve compreender o discurso fluido, mesmo que não esteja claramente estruturado. É também capaz de seguir linhas de argumentação complexas dentro dos tópicos abordados nos domínios de referência, integrando a sua experiência e mobilizando conhecimentos adquiridos em outras disciplinas. Também tem de ser capaz de compreender um leque variado de enunciados orais.

 

  • Ler: o estudante deve compreender diversos tipos de texto complexos e identificar diferenças de estilo.

 

De produção

  • Falar: interage com espontaneidade, fluência e eficácia em língua Inglesa. Também demonstra capacidade de relacionação de informação, sintetizando-a de modo lógico e coerente. É capaz de discutir temas complexos e já ultrapassou o ingles para iniciantes aprendido anteriormente.

 

  • Escrever: consegue criar facilmente textos claros e variados, de modo fluente e estruturado. Consegue relacionar informação, sintetizando-a de modo lógico e coerente, e é capaz de elaborar textos com temas complexos.

 

Para além de todos estes desempenhos, também revela competências socioculturais e de aprendizagem.

Todos este programa parece perfeito na teoria. O problema é que, na prática, as coisas acontecem de um modo diferente.

Normalmente, os alunos têm muita dificuldade em aprender uma língua estrangeira numa sala de 30 ou 40 alunos.

Isto porque, como referido acima, a aprendizagem de um idioma requer muita troca, expressão oral, etc. Estes pontos são muito difíceis de serem tratados numa sala cheia de alunos.

Prepare-se para o exame de inglês com aulas particulares de inglês
Prepare-se para o exame nacional da língua inglesa com explicações de inglês particulares. | Fonte: Unsplash

Muitos também apontam que o problema está muitas vezes nos professores que não têm um nível bom no inglês. Por isso, a transmissão do conhecimento complica quando nem o professor sabe tantas coisas para transmitir ao aluno e por isso é necessário recorrer a explicações de inglês particulares.

A verdade é que as aulas de ingles no ensino público e particular estão muito além de todas estas referências apontadas neste artigo.

Precisa de um professor de Inglês ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Maria

Copywriter e Produtora de Conteúdo. Gosta de produzir conteúdo que esclareça as dúvidas e acrescente valor aos leitores.