Tal como tantos outros períodos da história de Portugal, a época da revolução industrial do país teve um grande impacto histórico, social, económico, político e cultural. E ainda que faça parte do programa curricular do curso de história de todas as fases do ensino, sabemos que muitos estudantes têm pouco conhecimento sobre este período histórico.

Em Portugal, fala-se da revolução industrial nas disciplinas de história e geografia do 1º e 2º ciclo, nos cursos de história A e história de arte no ensino secundário e, claro, nos variados cursos superiores no campo da história, das ciências e das letras que encontra em qualquer universidade ou faculdade do país. Mas mesmo assim, muitos estudantes têm falta de conhecimento sobre esta época. História não é uma das disciplinas favoritas do programa da educação, mas é essencial à formação dos estudantes.

Por isso, e para todos aqueles alunos que têm dificuldades com o plano de estudos ou que vão ter que realizar as provas de acesso à licenciatura no campo da história, compilamos todas as informações mais importantes sobre este período da história do país, com os eventos e personagens mais importantes e que fazem parte da nossa formação. Continue a ler para saber tudo sem ter que fazer mais investigação e pesquisa extra.

detalhe coluna de edifico
A revolução industrial foi um período muito importante da história do país e faz parte de todos os cursos na universidade. | Fonte: Pexels.com

Saiba o que caracterizou o período dos séculos XII e XIII em Portugal.

Os melhores professores de História disponíveis
Gabriel
4,9
4,9 (12 avaliações)
Gabriel
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês cavadas
5
5 (16 avaliações)
Inês cavadas
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (7 avaliações)
Isabel
8€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (8 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fabricio
5
5 (13 avaliações)
Fabricio
6€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Maria otília
5
5 (5 avaliações)
Maria otília
13€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diana raquel
5
5 (6 avaliações)
Diana raquel
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Gabriel
4,9
4,9 (12 avaliações)
Gabriel
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês cavadas
5
5 (16 avaliações)
Inês cavadas
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (7 avaliações)
Isabel
8€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (8 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fabricio
5
5 (13 avaliações)
Fabricio
6€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Maria otília
5
5 (5 avaliações)
Maria otília
13€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diana raquel
5
5 (6 avaliações)
Diana raquel
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Caracterização da sociedade nos séculos XVIII e XIX

No início do século XVIII, o rei ainda concentrava em si todos os poderes (legislativo, executivo e judicial). A corte e a nobreza viviam em luxo e ostentação, sempre demonstrando a sua riqueza.  O clero mantinha a sua posição de poder na alta sociedade e, com o Tribunal da Inquisição, perseguia e condenava à morte quem estivesse contra a Igreja Católica ou praticasse outra religião. A alta burguesia enriquecia com o comércio, tentando imitar o modo de vida da nobreza, e o povo vivia em grandes dificuldades.

Mas o triunfo do liberalismo trouxe uma grande alteração ao tecido social português. O clero foi, provavelmente, o estatuto social mais afetado, sobretudo o clero regular, que praticamente desapareceu com a extinção das ordens religiosas. A nobreza tradicional também sentiu alguns efeitos e foi obrigada a apostar nas atividades comerciais e industriais, tradicionalmente ligadas à burguesia, o que aproximou estas duas classes sociais.

No período da Regeneração, a situação alterou-se novamente. Com o desenvolvimento da economia nacional, a alta burguesia adquiriu uma maior importância política e económica, num momento em que cresciam as classes médias. Começava então a surgir a consciência de classe, por parte da burguesia. Na segunda metade do século XIX, a burguesia constitucional reforçou essas tomadas de consciência e assim os título nobiliárquicos passaram a ser cada vez menos comuns.

lateral de varios livros
O campo da história permite fazer um curso superior ou licenciatura na área ou uma graduação em campos como as ciências, letras ou arte. | Fonte: Pexels.com

Sabe o que inclui o programa curricular dos séculos XIV e XV?

Acontecimentos mais marcantes destes séculos

Uma parte importante da preparação para as provas de acesso aos cursos superiores na faculdade e universidade, é dedicar tempo aos estudos dos eventos mais importantes da nossa história, fazer pesquisa e investigação sobre eles e entender o seu impacto nas classes sociais, no património e na cultura. Tudo isso permite ter um melhor entendimento da história e garante o sucesso nos estudos. No que diz respeito aos séculos XVIII e XIX, estes foram os acontecimentos com mais impacto cultural:

  • Terramoto de Lisboa: a 1 de Novembro de 1755, um terramoto destruiu Lisboa e parte do território português. A destruição foi quase completa e causou a morte de milhares de pessoas. A reconstrução, ainda que tenha começado quase de seguida, levou várias décadas;
  • Invasões francesas: em 1807, as tropas francesas chegaram a Lisboa sem encontrar qualquer tipo de resistência. A família real portuguesa, como acordado com a coroa inglesa, tinha escapado para o Brasil. As tropas invasoras instalam-se na capital e ocupam todo país, só sendo derrotados no ano seguinte;
  • Independência do Brasil: em 1822, o Brasil declara a sua independência de Portugal, depois do refugio da corte portuguesa no país devido às invasões francesas. D. Pedro, filho de D. João VI, recusa voltar para Portugal com o resto da família e declara-se Imperador do Brasil;
  • Guerra Civil: com a morte de D. João VI criou-se um problema de sucessão dinástica e o país caiu numa guerra civil que opôs absolutistas e liberais Depois de uma tentativa de acordo falhada, inicia-se uma guerra civil. Dura dois anos e morrem milhares de pessoas até que o exército liberal derrota decisivamente os absolutistas;
  • Instauração da Constituição: criada em 1822, a primeira constituição portuguesa instituiu a separação dos poderes legislativo, executivo e judicial. É criado um parlamento, que tinha o poder legislativo, para onde eram feitas eleições diretas, mas não universais, uma vez que nem todos podiam votar (apenas homens nobres com mais de 25 anos).  O rei fica com um papel pouco ou nada interventivo;
  • Mapa Cor-de-Rosa e o Ultimato Inglês: em resposta ao mapa definia as novas fronteiras no império africano, os ingleses, em 1890, impõem um ultimato aos portugueses e ameaçam Portugal com uma guerra caso continuasse com a pretensão de manter o mapa. O rei D. Carlos, coroado recentemente, protesta, mas não pode fazer mais do que recuar, o que leva a protestos da população e demonstra a fraqueza da monarquia.

Alguns deles lhe é desconhecido? Aproveite para investir na pesquisa e na investigação, se quer garantir que consegue o acesso ao curso na universidade que tanto queria, seja ele no campo da história, das ciências, das letras ou da arte.

teto adornado e colunas
Os eventos no centro da história têm repercussões que se sentem até aos dias de hoje. | Fonte: Pexels.com

Descubra também como era a nossa sociedade nos séculos XVI e XVII.

Os melhores professores de História disponíveis
Gabriel
4,9
4,9 (12 avaliações)
Gabriel
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês cavadas
5
5 (16 avaliações)
Inês cavadas
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (7 avaliações)
Isabel
8€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (8 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fabricio
5
5 (13 avaliações)
Fabricio
6€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Maria otília
5
5 (5 avaliações)
Maria otília
13€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diana raquel
5
5 (6 avaliações)
Diana raquel
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Gabriel
4,9
4,9 (12 avaliações)
Gabriel
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês cavadas
5
5 (16 avaliações)
Inês cavadas
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (7 avaliações)
Isabel
8€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (8 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fabricio
5
5 (13 avaliações)
Fabricio
6€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Maria otília
5
5 (5 avaliações)
Maria otília
13€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diana raquel
5
5 (6 avaliações)
Diana raquel
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Elementos mais importantes de ambos os séculos

Em qualquer época da história do país existem personalidades, provenientes de várias classes sociais, com impacto na cultura, no património, na arte, na política e na economia. Todos eles estão presentes no programa curricular e nos estudos de qualquer curso de história, seja nas disciplinas do 1º e 2º ciclo ou nos cursos superiores da universidade. Segue-se uma breve apresentação dos elementos mais marcantes nestes séculos:

  • D. João IV: o rei que permitiu a restauração da independência face a Espanha, é o percursor da última dinastia, a de Bragança. Foi um monarca empenhado na recuperação e reforço do exército e das colónias, uma vez que várias estavam ocupadas ou em risco depois de terem sido descuradas durante o período filipino;
  • Marquês de Pombal: diplomata português, Sebastião José de Carvalho e Melo foi ministro do reino de D. José. É conhecido maioritariamente pelo seu papel na reconstrução de Lisboa depois do terramoto de 1755, mas teve uma ação influente noutras áreas da governação, incentivando o desenvolvimento da indústria nacional;
  • Eça de Queirós: um dos intelectuais mais importantes da sua geração, foi jornalista, diplomata e conheceu além fronteiras realidades diferentes das de Portugal. É conhecido por várias obras literárias, entre elas "Os Maias" e "Cidade e as Serras";
  • Fontes Pereira de Melo: um dos principais políticos portugueses da segunda metade do século XIX, foi responsável pela  revolução dos transportes e das comunicações, inaugurando os serviços postais e as redes telefónicas;
  • Bocage: Manuel Maria de Barbosa l'Hedois du Bocage foi um poeta nacional português e, possivelmente, o maior representante do arcadismo lusitano.

Se tiver curiosidade de saber mais sobre algum deles aproveite para fazer uma investigação e pesquisa mais profunda e garantir que tem boa nota nas provas de acesso à licenciatura de história, ciências ou letras que quer seguir.

Saiba também quem foi importante nos séculos XX e XXI em Portugal.

Ambiente político e a dinastia no poder

O início do século XVIII tem no poder a última dinastia portuguesa. Mas o constante crescimento do partido republicano e o início da escassez do ouro vindo do Brasil, coloca o país numa crise económica e em anarquia social. Mesmo com todos os esforços, Portugal estava numa situação de mal-estar político e diplomático.

Com o aumento do liberalismo, aumentam as guerras civis, o que leva à demissão de vários ministérios representando as diversas fações monárquicas liberais e outros conflitos na administração do reino.

tirar livro da prateleira
Já sabe que tipo de curso superior quer seguir? Porque não uma licenciatura ou graduação em história? | Fonte: Pexels.com

Mas este período de agitação política que marcou a primeira metade do século XIX não durou infinitamente. Como forma de responder à crise que se instalava no país, foi instaurada uma monarquia constitucional. Ainda que com alguns percalços pela frente, a monarquia constitucional permitiu a chegada da Regeneração, o período histórico onde os governos tentaram recuperar o atraso em que Portugal vivia em relação aos outros países.

Faz alguma ideia do que acontecerá no país no futuro?

Economia e desenvolvimento neste período das aulas de história

O fim das riquezas do Brasil obrigou o país a apostar na implementação de estruturas industriais. Até aqui apostava-se na criação de companhias monopolistas, protegiam-se empresários e produtos nacionais, mas o desenvolvimento industrial era desordenado e lento. Com o objetivo de incentivar o crescimento da indústria, o Marquês de Pombal aposta na implementação de companhias privilegiadas em áreas como a tecelagem, a tinturaria, o vidro ou a agricultura.

Após o seu afastamento, a política de fomento industrial e de protecionismo continua, mas com a privatização de parte da produção e o surgimento de fábricas que desenvolvem novos produtos. As invasões napoleónicas, a ausência da corte e a guerra civil que se seguiu, criaram uma grande instabilidade na produção industrial e a um período de profunda recessão, que levou a um grande empobrecimento da população.

Mas com a expansão do liberalismo, vê-se uma aposta no desenvolvimento do ensino público, para a formação de uma consciência cívica e a criação de uma mão de obra especializada. O ensino público entra em expansão e o ensino primário passa a ser uma condição obrigatória para a modernização do país. Há uma reformulação do ensino regular e do técnico, artístico e superior e são criados liceus nas capitais de distrito. É nestes séculos que são criados o Instituto Industrial de Lisboa e a Escola Industrial do Porto.

Se ainda tiver dúvidas sobre a revolução industrial no país, porque não pedir ajuda a um centro de estudos ou a um professor particular. Na Superprof tem dezenas de professores de história prontos a ajudar com qualquer curso! Basta fazer uma pesquisa no nosso site, ler a apresentação do perfil do professor, a avaliação dada por outros alunos e escolher o melhor. Tudo à distância de um click!

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.