O que significa um bom professor de guitarra? Pode parecer uma questão bem simples, inocente até, mas é uma questão fundamental para aqueles que estão a iniciar o seus estudos de guitarra. Ainda mais se o aluno preferiu evitar as escolas de música e conservatórios, que já têm seus professores selecionados, e optou por fazer aulas particulares de guitarra, para, por exemplo, ter aulas de guitarra portuguesa particulares e aprender de forma personalizada.

Por essas razões, fomos buscar entre os profissionais de música dois especialistas em guitarra para nos trazerem alguns esclarecimentos sobre este assunto. Conversámos com Cyrille Jakob, um dos melhores professores de guitarra na França, e também com Kiko Cortijas, violinista especialista em ritmos brasileiros, como o famoso MPB e Bossa Nova. De facto, a escolha do professor é um passo muito importante na carreira musical, independentemente do estilo que o aluno pretende seguir: seja ele rock, blues, samba, reggae, jazz, clássico ou outro.

Por isso, antes de começar a procurar um professor, o aluno deve saber que nem todos nascem com o dom de ensinar. Uma pessoa pode deter muito conhecimento numa determinada área, como a música, ou então de um determinado instrumento, como a guitarra, mas isso não significa estar apta a dar aulas de guitarra para iniciantes e muito menos para alunos experientes.

Do mesmo modo, um guitarrista experiente e profissional, que sabe fazer aqueles solos maravilhosos, nem sempre sabe transmitir a sua sabedoria de maneira clara e eficaz, permitido ao aluno aprender a tocar com técnica, expressividade e até, quem sabe, saber tocar guitarra com esse virtuosismo e se torna um mestre das cordas da guitarra portuguesa.

Homem a tocar guitarra
Aprender a tocar guitarra com técnica e sensibilidade é possível com um professor Superprof. | Fonte: Unsplash

Mas antes de chegarmos lá, vamos, neste artigo, começar por distinguir um bom professor de um mau professor de guitarra. Por isso, deve seguir os nossos conselhos abaixo e, depois, sentir-se pronto para encontrar a pessoa ideal para orientar os seus estudos.

Todos os alunos têm a tendência de confiar bastante no seu professor. Por isso, estabelecer uma relação de confiança é a primeira coisa a ser feita quando as aulas começam. E quando começamos a estudar um instrumento, muitos sentimentos bons podem surgir:

  • Ficamos muito contentes só pelo fato de estarmos a estudar uma coisa nova, como música;
  • Ficamos orgulhosos quando ouvimos a nossa primeira sequência de notas correta;
  • Ficamos empolgados com tanta novidade;
  • E sim, ficamos confiantes demais...

E aí está o problema. Quando somos aprendizes, emos um olhar ingénuo em relação ao nosso professor porque ainda não temos nenhuma base de comparação. Assim que aprendemos qualquer coisa ficamos satisfeitos. E por isso, às vezes, não conseguimos reconhecer um mau professor. Ficamos iludidos e achamos que estamos a aprender, mas, na verdade, tal não está a acontecer.

Reconhecer um mau professor de viola/guitarra

Ora, vejamos aquelas que costumam ser as características de um mau professor. Um mau professor é aquele que:

  • É autoritário;
  • Julga deter a verdade absoluta;
  • Não tem interesse pelas preferências dos alunos;
  • Não partilha os seus conhecimentos;
  • Não explica o que o aluno está a fazer naquele momento;
  • Dá exercícios mais ou menos complexos para o nível de estudos do aluno;
  • Não se importa com a sensibilidade artística do aluno;
  • Não tem a mente aberta para outros ritmos e estilos musicais;
  • Não dá importância às necessidades do seu aluno.

Com um professor que cumpra estes "maus requisitos", os alunos acabam por criar uma dependência extrema pelas aulas de guitarra. Isso acontece pois o educador deve ter o papel de um mediador de saberes, e não de um detentor da verdade absoluta.

O que se espera de um bom professor de guitarra?

Para transmitir conhecimentos de música e guitarra, é preciso que o professor tenha noções de pedagogia. Ele precisa de ser um bom comunicador e precisa de gostar de trocar ideias com os seus alunos. O bom professor transmite a sua paixão e isso é bem visível, já que tende também a conseguir despertar essa paixão também nos estudantes.

Vejamos algumas características fundamentais desse profissional. O bom professor deve:

  • Ser pedagogo;
  • Ser um bom comunicador, ter empatia com os estudantes;
  • Contextualizar sempre os exercícios, lembrar os alunos que eles estão a fazer música;
  • Importar-se com a diversão dos estudantes enquanto estudam;
  • Garantir que a postura e os movimentos dos alunos estão sempre corretos;
  • Ter gosto em explicar tudo;
  • Possuir muitos conhecimentos teórico e muita experiência de ensino;
  • Ter confiança nos alunos;
  • Ouvir os seus alunos;
  • Ser flexível no ponto certo.

Claro que, antes de mais nada, o bom professor precisa de ser um músico de qualidade. Um músico que encare o ensino de guitarra com dedicação, alguém que goste de partilhar os seus conhecimentos e a sua paixão pela música.

O bom professor é um músico experiente, tem a alma na música, e é simultaneamente um educador e um excelente comunicador e transmissor de saber. É também aquele que está no lugar certo. Ele sente-se bem a dar aulas; sabe o que é o melhor para o aluno naquele momento e coloca o ensino acima de tudo: do dinheiro, da fama, e, às vezes, até das suas próprias questões pessoais, como a preferência (ou não!) por um determina estilo musical.

Um professor extremamente competente costuma ser extremamente sensível: ele sabe escutar e observar o aluno, percebendo quando o aluno não está muito bem naquele dia e apercebendo-se quando o aluno ainda não está  satisfeito com os resultados obtidos.

Rapariga a tocar guitarra
Um professor atento nota, pela expressão do aluno, se este está ou não entusiasmado com as aulas.| Fonte: Unsplash

Do mesmo modo que ele sabe quando precisa de dar uma motivação extra ao aluno, sabe também quando insistir mais em determinadas zonas da matéria. Quem sabe, se, com um excelente professor, o aluno não se torna um guitarrista tão célebre quanto aqueles de grandes bandas como os Deep Purple?

Como em qualquer relação entre pessoas, é preciso manter valores e princípios importantes. Falamos do respeito, honestidade, igualdade, confiança, entre outros. Só assim a relação entre professor e aluno será saudável, as aulas realmente bem-sucedidas no processo de ensino-aprendizagem e os alunos poderão aproveitar ao máximo as aulas de guitarra portuguesa, acústica ou elétrica ou de outro tipo de guitarra.

A educação é feita de relações humanas, por isso, quem sabe se o aluno também não ganha um bom amigo? Seja com aulas por webcam ou presenciais, acontece muitas vezes que professor e aluno se tornem verdadeiros amigos! Primeira dica: escolher aquele professor com quem o aluno se sentir mais à vontade! Para chegar lá, não há que ter medo, mas sim conversar com o maior número de profissionais que conseguir.

Perguntar ao professor de guitarra sobre a sua experiência, a sua formação, a metodologia, os seus estilos preferidos, se, por exemplo, sabe como dominar a técnica e o estilo da guitarra portuguesa com aulas a preços acessíveis ou outro de que o aluno goste particularmente, ao mesmo tempo que o aluno fala sobre si mesmo. Essa conversa pode trazer alguns elementos esclarecedores, que ajudarão na escolha do professor e também na estruturação e organização das aulas.

Porquê estudar música e guitarra? Estudar música traz inúmeras vantagens, entre as quais: a expressão de sentimentos; o estímulo da sensibilidade; a sociabilização e o divertimento. Por isso, é fundamental que o seu professor de guitarra  incentive todas essas competências nos alunos. Afinal, o estudante precisa de ser livre para conseguir experimentar todas essas fortes emoções que a música tem o dom de evocar — e que os grandes guitarristas transmitem nos seus concertos.

Banda a tocar num palco
Assistir a concertos e a solos de guitarra é uma excelente forma de o aluno perceber qual o seu estilo preferido. | Fonte: Unsplash

Além disso, ele pode ajudar bastante na hora da escolha do seu primeiro instrumento, ou mesmo se o aluno está a precisar de trocar o seu antigo, o professor poderá dar dicas sobre a melhor guitarra a adquirir: guitarra classica, guitarra eletrica, ou acústica? O aluno deve encarar essa relação entre professor e aluno como a criação de uma equipa. Espírito de coletivo, colaboração, solidariedade e partilha são características essenciais na altura de aprender música. Além disso, esses valores também contribuem para que o clima fique muito mais leve e divertido.

Mitos sobre os profissionais que nos ajudam a aprender a tocar guitarra

A música, como qualquer outra área, dá margem para a criação de mitos que ganham força e são difundidos como verdades, podendo mesmo prejudicar o aluno na altura de tomar uma decisão. Alguns deles são os seguintes:

“O professor de música precisa de tocar mais de um instrumento.”

Não. Tocar mais de um instrumento não faz dele um melhor ou pior professor. Aliás, isso nem garante que ele seja bom músico nos dois instrumentos que tocar.

“Quem toca bem um instrumento é automaticamente um bom professor.”

Nem sempre! O bom professor precisa de ter características pedagógicas essenciais. E nem todos os músicos nascem com o dom de ensinar ou com a paciência necessária. Existem casos de músicos que abandonam a prática do instrumento para se tornarem professores de guitarra, por exemplo, porque preferem ensinar do que tocar. Mas tocar bem não é sinal de ensinar bem na mesma medida.

“As escolas de música são melhores do que aulas particulares.”

Podemos até afirmar que é o contrário! Apesar de existirem muitas excelentes escolas de música, com um corpo docente de peso, a metodologia é completamente diferente das aulas particulares da Superprof — com as quais os alunos podem aprender guitarra portuguesa com rigor e qualidade, via webcam, por exemplo. Além de que, frequentemente, um professor ganha muito menos numa escola do que ganha nas aulas particulares ao domicílio ou via Skype.

Homem a tocar guitarra
Estabelecer objetivos novos e cada vez mais desafiantes é essencial para melhorar tecnicamente. | Fonte: Unsplash
Por fim, para a relação com o professor de guitarra seja a melhor possível, deixamos algumas dicas práticas para os alunos aplicarem:
  • Respeito ao professor, acima de tudo;
  • Evitar cancelar a aula de guitarra em cima da hora (tendo sempre o contato do professor à mão para qualquer imprevisto);
  • Cuidar bem dos instrumentos ou equipamentos que o professor eventualmente empreste;
  • Ouvir o professor com atenção;
  • Estabelecer junto dele os seus objetivos e metas em relação à guitarra;
  • Demonstrar gratidão e apreciação;
  • Recomendar o professor para outros possíveis alunos;
  • Procurar fazer sempre os trabalhos de casa.

Com todas estas sugestões Superprof, aliadas a muita garra, dedicação e espírito de sacrifício quem sabe se, desse lado, não temos o próximo guitarrista virtuoso como o aclamado Steve Vai!

 

Precisa de um professor de Viola ?

Gostou deste artigo?

5,00/5 - 1 voto(s)
Loading...

Elsa

Trabalho na área da consultoria linguística e produção de texto há três anos e sou, actualmente, professora de português para estrangeiros. Dedico a maior parte do meu tempo livre à leitura e à escrita, tendo já publicado crónicas e poesia em revistas culturais e literárias.