A disciplina da quimica é um assunto que inclui muitas palavras específicas e frases complexas. Isto pode parecer um pouco assustador mas, se entender todo o vocabulário científico já é um ótimo começo para se tornar um bom profissional nesta área.

Neste artigo vamos dar-lhe um guia prático sobre os termos mais importantes da química. E, somos da opinião que, para além de conhecer os termos, deve também ter algumas noções sobre as suas definições e significados, pois ajudam a desvendar o mundo fascinante das experiências químicas, dos laboratórios e das reações.

Se, por outro lado, se encontra a estudar química no ensino básico, ou se precisa de uma revisão de conteúdos antes dos exames finais, dê uma olhada neste dicionário introdutório de química e talvez aprenda ainda algo novo.

Os melhores professores de Química disponíveis
1ª aula grátis!
Ana margarida
5
5 (46 avaliações)
Ana margarida
10€
/h
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (12 avaliações)
Teresa
8€
/h
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (3 avaliações)
Gonçalo
10€
/h
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
25€
/h
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (7 avaliações)
Diogo
13€
/h
1ª aula grátis!
Beatriz
5
5 (14 avaliações)
Beatriz
10€
/h
1ª aula grátis!
Vitor
5
5 (9 avaliações)
Vitor
12€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (16 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula grátis!
Ana margarida
5
5 (46 avaliações)
Ana margarida
10€
/h
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (12 avaliações)
Teresa
8€
/h
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (3 avaliações)
Gonçalo
10€
/h
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
25€
/h
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (7 avaliações)
Diogo
13€
/h
1ª aula grátis!
Beatriz
5
5 (14 avaliações)
Beatriz
10€
/h
1ª aula grátis!
Vitor
5
5 (9 avaliações)
Vitor
12€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (16 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula gratuita>

Termos fundamentais da fisico quimica online

Começando uma análise do geral para o pormenor, podemos dizer que a disciplina da quimica é o estudo de átomos, de elementos, dos compostos e das moléculas.

Mas o que são ou significam, na prática, estes termos?

Um elemento é por exemplo, o ferro, o ou oxigénio. É uma substância pura ou algo que não se pode decompor noutra substância. Só é possível decompô-lo em átomos ou nos menores pedaços do elemento.

O oxigénio é um elemento
O oxigénio é um elemento estudado nas explicações de quimica. | Fonte: Unsplash

As moléculas e os compostos são ligeiramente diferentes:

  • Moléculas: são simplesmente dois (ou mais) átomos unidos ou ligados. Isto significa que, enquanto um átomo de oxigénio não é uma molécula, se dois átomos de oxigénio se unem, então essa é uma molécula, cujo tem o nome conhecido de O²;
  • Compostos: são moléculas que possuem ligações entre dois tipos diferentes de átomos. Neste caso, se adicionar, ao oxigénio, um átomo de carbono a O², obtém CO². Isto é dióxido de carbono e, por consequência, um composto.

No curso de bioquimica pode aprender todas estas curiosidades sobre a química e ainda noções mais específicas.

Porém, agora e aqui, para conseguirmos entender como estes átomos se unem, precisamos diminuí-los ainda mais.

Como se deve lembrar das suas aulas de fisico quimica 9 ano, os átomos são feitos de partículas, que se aglomeram no núcleo do átomo ou giram em torno desse mesmo núcleo. Estas partículas têm uma carga positiva, neutra ou negativa. O núcleo, que é o centro do átomo, mantém os protões, que têm uma carga positiva, e os neutrões, que são neutros. Enquanto isso, os eletrões com carga negativa orbitam em volta do núcleo.

Estas são noções estudadas nas explicações de fisico quimica pois são fundamentais para entender como as moléculas e os compostos são produzidos, sendo que, os átomos se ligam por causa desses eletrões, e existem dois tipos de ligações: a iónica e covalente:

  • Nas ligações covalentes, os dois átomos compartilham um par (ou mais do que um par) de eletrões;
  • Nas ligações iónicas, um átomo dá um eletrão a outro átomo. Quando isso acontece, o átomo doador torna-se um ião (pois fica carregado positivamente). Por outro lado, sabe-se que os metais são aqueles elementos que gostam de perder eletrões, de formar ligações e de desenvolver cargas positivas.

Vocabulário da fisico quimica e da bioquimica sobre os estados e compostos

Agora que abordamos os termos básicos de quimica, vamos apresentar-lhe algumas palavras que ouvirá, caso esteja a pensar fazer um curso de bioquimica.

As moléculas compõem substâncias, que podem ser encontradas em vários estados diferentes. Estas mudanças de estado das substância podem acontecer devido ao calor e à pressão.

Mas quais são esses estados diferentes?

  • Gases: são substâncias sem forma fixa ou um volume definido;
  • Líquidos: são substâncias fluídas, sem formato fixo, mas com volume definido;
  • Sólidos: são substâncias mais estáveis, com as moléculas mais compactadas. Estas têm uma forma fixa e um volume definido.

    A nuvem é agua em estado gasoso.
    A nuvem é a água em estado gasoso depois de sofrer uma alteração quimica. | Fonte: Unsplash

Para além disto, as substâncias podem ser elementos puros, compostos ou misturas.  É importante salientar que uma mistura é definida como uma substância composta por dois ou mais elementos, mas não quimicamente ligados como acontece no caso de um composto.

Por outro lado, existem diferentes tipos de compostos, alguns dos quais a maioria dos cursos básicos de química exigem que se saiba:

  • Hidrocarbonetos: são compostos orgânicos que contêm apenas hidrogénio e carbono;
  • Polímeros: moléculas grandes, de natureza orgânica ou sintética (quando produzidas em laboratório), que são formadas por muitas moléculas menores ligadas (geralmente hidrocarbonetos);
  • Sal: um composto iónico cuja carga é neutralizada. Este combina iões de carga positiva com os de carga negativa.

Finalmente, existem também os temos ácidos e alcalinos, sendo que,  estes são considerados, compostos opostos. Isto significa que, os ácidos contêm hidrogénio, doam protões e produzem iões positivos na água. Por outro lado, os alcalinos produzem iões negativos na água.

Os melhores professores de Química disponíveis
1ª aula grátis!
Ana margarida
5
5 (46 avaliações)
Ana margarida
10€
/h
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (12 avaliações)
Teresa
8€
/h
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (3 avaliações)
Gonçalo
10€
/h
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
25€
/h
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (7 avaliações)
Diogo
13€
/h
1ª aula grátis!
Beatriz
5
5 (14 avaliações)
Beatriz
10€
/h
1ª aula grátis!
Vitor
5
5 (9 avaliações)
Vitor
12€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (16 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula grátis!
Ana margarida
5
5 (46 avaliações)
Ana margarida
10€
/h
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (12 avaliações)
Teresa
8€
/h
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (3 avaliações)
Gonçalo
10€
/h
1ª aula grátis!
Ana luísa
5
5 (9 avaliações)
Ana luísa
25€
/h
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (7 avaliações)
Diogo
13€
/h
1ª aula grátis!
Beatriz
5
5 (14 avaliações)
Beatriz
10€
/h
1ª aula grátis!
Vitor
5
5 (9 avaliações)
Vitor
12€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (16 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula gratuita>

Terminologia para perceber mais sobre engenharia bioquímica

Na maioria dos curso de quimica, vai precisar de conhecer algumas descobertas do mundo da química e ainda os termos básicos para reações químicas. Caso contrário, nunca entenderá o que acontece no laboratório ou numa experiência química.

Em primeiro lugar, é preciso conhecer os três termos de uma reação química:

  • O reagente: é a substância presente no início da reação;
  • O catalisador: é a substância que permite a reação, mas que não é alterada por esta;
  • O produto: é o que resultado final da reação.

Por outro lado, é importante saber que todas as reações são endotérmicas ou exotérmicas, o que significa que absorvem ou doam energia e existem vários tipos de resultados da experiência ou diversas reações químicas:

  • Oxidação: é uma reação que geralmente envolve o oxigénio, na qual um eletrão é perdido;
  • Redução: é quando os eletrões são adicionados a um átomo (o oposto do supracitado);
  • Destilação: é quando uma mistura perde um líquido por evaporação e condensação;
  • Decomposição termal: é quando um composto se divide em duas ou mais substâncias por aquecimento;
  • Titulação: esta pode ser usada para determinar a concentração de uma solução diferente.
A oxidação é uma reação química.
A oxidação é uma reação química que deve ser estudada no curso de bioquímca. | Fonte: Unsplash

A linguagem da química: medições e tabela periódica

Compreender os termos dos livros usados no seu curso de bioquimica não é apenas conhecer as estruturas atómicas dos estados da matéria. É também preciso conhecer as maneiras pelas quais um profissional da química pode fazer um cálculo ou medir uma determinada substância. Esta terminologia é indispensável e ajudará em qualquer aula de química:

  • Tabela periódica: existem em qualquer laboratório de química do mundo. Esta é a tabela dos elementos, organizados em ordem de número atómico. Foi inventada por Mendeleev, um dos químicos mais famosos do mundo.
  • Número atómico:  é o número de protões de um átomo e, por consequência, de eletrões, pois são iguais;
  • Número de massa:  é o número de protões mais o número de neutrões;
  • Elemento de transição:  são os elementos dos grupos de três a doze da tabela periódica e também conhecidos como metais de transição.
  • Reatividade: é a análise que determina quão reativa é uma substância em relação à outra. Se colocar substâncias em ordem de reatividade relativa, obterá uma série de reatividade;
  • Ao lado de uma reação quimica, provavelmente precisará escrever uma equação. Isso mostra, por escrito, quais os reagentes que estão envolvidos e quais os produtos que serão produzidos.

Para além disso, é também necessário ter conhecimentos sobre outra escala: a escala de pH. Ela é usada para descrever  e determinar se uma substância é ácida ou alcalina. A escala varia de 0 a 14, sendo o mais ácido o número mais baixo e o mais alcalino o mais alto. Porém, as substâncias neutras são pH7.

Explicações de química sobre o equipamento a usar

Qualquer introdução ao vocabulário de química seria incompleta, se não mencionássemos o equipamento necessário dos cientistas no seu laboratório. A quimica não é apenas teórica e analítica, mas empírica e, portanto, usufrui também da prática.

Tubos de ensaio no curso de bioquímica
Os tubos de ensaio são uma ferramenta importante do curso de bioquímica. | Fonte: Unsplash

Aqui fica uma pequena lista dos materiais necessários a uma experiência química:

  • Queimador de Bunsen: se conectar este instrumento a uma torneira de gás, obterá calor e uma chama limpa para a sua experiência química;
  • Tripé e gaze: sobre o queimador de Bunsen, pode ser colocado um suporte que pode conter copos para serem preenchidos com os elementos e as soluções químicas;
  • Tubo de ensaio: é a ferramenta mais conhecida da ciência química, que consiste num tubo fino no qual realizará as experiências com suas soluções. Por outro lado, um tubo fervente é uma variante dos tubos de ensaio, nos quais se podem ferver coisas;
  • Buretas: são como tubos de ensaio, mas têm medições e estão fixas para que possa pingar pequenas porções de solução. Estas são usadas ​​principalmente para as titulações;

Dito isto, devemos afirmar que estes instrumentos podem ser usados não apenas na química, mas também na biologia e na ciência medicinal pois, um pequeno tubo de plástico pode transportar líquidos e fluídos importantes.
Por fim, gostaríamos de lembrar que a quimica está presente na nossa vida muitas vezes e nem nos apercebemos. Porque não ler mais sobre algumas das mais fantásticas descobertas químicas no nosso blog?

Por outro lado, e se ficou fascinado com o mundo da fisica e quimica que aqui foi apresentado, aconselhamos que faça um curso de quimica ou então, que procure professores especializados na plataforma Superprof! Temos certeza que vai encontrar alguém ideal para lhe ensinar tudo sobre as curiosidades do universo da fisico quimica!

Precisa de um professor de Química ?

Gostou deste artigo?

5,00/5 - 1 voto(s)
Loading...

Marília

Sou licenciada em História da Arte e Mestre em Estudos Artísticos, na vertente de Teoria e Crítica da Arte. No passado, escrevi também alguns artigos para a revista Umbigo (online) e criei e geri todos os conteúdos da plataforma pensarte.pt.