Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Desporto Artes e Lazer
Partilhar

Desenhe em três dimensões

De Ricardo, publicado dia 01/10/2019 Blog > Artes e Lazer > Desenho > Como fazer desenhos em 3D?

O que percebemos não é o mundo, mas o modelo de mundo criado pelo nosso cérebro

Essa citação de Chris Frith faz sentido quando você percebe a verossimilhança de um desenho em 3D que pode mesmo enganar nossas percepções…

E, no entanto, representar a realidade em todas as suas dimensões em uma superfície plana não é fácil quando você começa a desenhar.

Técnicas para desenhar em perspectiva até a arte da anamorfose…

Aprenda a desenhar em sua folha branca padrões variados mais verdadeiros que os do curso de desenho online ou presencial.

E por que não tentar a caneta 3D?

Você sabe o que são dimensões espaciais?

Antes de entrarmos na questão do desenho 3D propriamente dito, é importante explicar o que são as dimensões espaciais e como nós as percebemos.

Quando falamos em dimensões, estamos nos referindo à possibilidade de mensurar diferentes objetos dentro de um dado espaço. Cada uma das direções em que é possível realizar medidas em um espaço é, assim, chamada de dimensão.

Se um objeto só pode ser medido pelo seu comprimento, por exemplo, dizemos que esse objeto possui apenas uma dimensão, ou seja, que ele é um objeto unidimensional.

conheça as diferentes dimensões espaciais para desenhar em 3D O hipercubo é uma representação 3D de um cubo a quatro dimensões.

Para compreendermos melhor  a ideia de dimensão, o caminho mais fácil é observar objetos que pertencem a diferentes dimensões e compará-los com relação às suas medidas.

Vejamos a seguir!

Objeto unidimensional

A reta é um objeto unidimensional, ou seja,  que possui apenas uma dimensão. Se você observar atentamente uma reta, provavelmente notará que qualquer medida feita sobre ela representará apenas um tipo de medida: o comprimento.

Dessa forma, podemos dizer que as retas não possuem largura nem profundidade, apenas comprimento. O comprimento da reta pode variar de acordo com a distância entre dois pontos, indo de zero ao infinito. Entretanto, a largura de uma reta será sempre a mesma (largura zero), tendo em vista que ela possui apenas uma dimensão.

Objeto bidimensional

O melhor exemplo de um objeto bidimensional é o quadrado. Nele conseguimos medir a largura, bem como o comprimento. Todavia, a profundidade do quadrado não existe, pois ele é uma figura que possui apenas duas dimensões (daí o nome de objeto bidimensional).

Imagine uma piscina quadrada e bidimensional. Imaginou? Agora imagine que você quer pular dentro dessa piscina. O que aconteceria é que você se espatifaria na superfície da piscina, pois esta não possui profundidade.

O espaço que possui apenas duas dimensões é conhecido como “espaço plano” e toda a geometria plana foi elaborada com base no espaço bidimensional.

Que tal fazer um curso de desenho rj?

Objeto tridimensional

Quando estudamos geometria na escola, o exemplo de objeto tridimensional mais conhecido é a pirâmide! Se você observar atentamente uma pirâmide, você logo perceberá que o objeto tem como base um quadrado.

Porém, acima desse quadrado, encontramos quatro triângulos sobrepostos. Assim sendo, uma pirâmide é formada por objetos bidimensionais: um quadrado e quatro triângulos.

A maior particularidade dos objetos tridimensionais é que eles possuem comprimento, largura e profundidade.

Espaços multidimensionais

Mesmo que este critério não seja propriamente necessário na concepção de desenhos em 3D, vamos abordá-lo aqui apenas a título de curiosidade.

Qualquer objeto que esteja presente em um dado espaço surgiu em uma determinado momento no tempo. Assim, na física moderna foi incorporada a noção de quarta dimensão, que nada mais é que a “dimensão temporal”.

Nos primórdios da mecânica clássica, acreditava-se que o tempo era absoluto e imutável. Com a reformulação da mecânica clássica e o postulado da Teoria da Relatividade Restrita de Einstein, foi estabelecido que o tempo e o espaço não podem ser analisados separadamente. Um objeto ou um corpo, para se situar no espaço, precisa de três dimensões espaciais e uma temporal.

A quarta dimensão não pode ser representada geometricamente, pois ela não é percebida pelos sentidos humanos. Nós não podemos ver ou tocar o tempo. Na geometria, entretanto, podemos representar um objeto de quatro dimensões através de um tesseract ou hipercubo.

Entende-se por hipercubo um análogo n-dimensional do quadrado e do cubo. Objetos multidimensionais  são utilizados em diversos campos de estudo e pesquisa, como por exemplo na área de informática.

Veja nossas dicas para aprender a fazer uma logo!

O que é um desenho em 3D?

Qual é a diferença entre um desenho 2D e um desenho 3D? A resposta é simples o suficiente para entender.

Faça cursos de softwares de desenho A representação em três dimensões mostra a largura, comprimento e profundidade

Ao desenhar em 2D, então em duas dimensões, reproduzimos na folha um desenho sem a noção de volume. Apenas a largura e a altura são levadas em conta. Ou seja, no desenho em 2D não temos profundidade e não conseguimos reproduzir da forma correta certos objetos?

É somente ao desenhar em 3D, que conseguimos integramos uma terceira dimensão ao objeto: a profundidade.

Inútil dizer que desenhar em 3D torna o desenho muito mais realista, pois é fiel em todos os detalhes ao que o olho observa na realidade. Ele transcreve relevos, distâncias e mantém as mesmas proporções que na realidade, como ao desenhar um rosto (como?).

Do ponto de vista da realização de uma verdadeira ilusão de ótica, o desenho em 3D assume várias formas e requer habilidades de desenho em profundidade.

  • Como os artistas dominam perfeitamente essas técnicas de desenho?
  • Como dar a ilusão de que um desenho feito em uma forma plana deixa literalmente a folha?

A primeira coisa a fazer para os volumes aparecerem em um desenho é desenhar uma perspectiva.

Encontre um bom curso de desenho no Superprof!

Como desenhar em perspectiva?

Perspectiva é a técnica que permite desenhar um objeto em seu espaço tridimensional. O desenhista leva em consideração a profundidade do campo e reproduz o objeto conforme ele é percebido de acordo com seu ponto de vista.

Para desenhar em 3D, é necessário ter em conta a profundidade do desenho e respeitar as proporções.

Quando a perspectiva é respeitada, todas as linhas de um desenho convergem para um ponto de fuga.

A perspectiva cavalaria é dar volume a um objeto adicionando linhas paralelas. Esse é o tipo de desenho que encontramos em particular em geometria para representar um cubo, por exemplo. Neste caso, o objeto não é representado levando em consideração a deformação normalmente obtida pela sua profundidade.

A perspectiva linear é comumente usada no desenho. Para criar uma boa perspectiva linear, geralmente baseia se em dois elementos:

  1. Uma linha do horizonte,
  2. Um ou mais pontos de fuga.

A partir desses elementos, desenhando linhas, podemos criar uma grade que leve pistas visuais para desenhar os elementos do desenho reproduzindo uma cena.

Existem vários tipos de perspectivas lineares permitindo dar profundidade e volume a um desenho:

  • A perspectiva frontal: o olho é colocado na frente do palco. O desenho é baseado em um horizonte, no nível dos olhos e todas as linhas convergem para um único ponto de fuga,
  • A perspectiva oblíqua: olhamos aqui em duas direções. A composição tem dois pontos de fuga. Para desenhar um cubo ou outras formas geométricas levando em consideração a deformação relacionada à profundidade no espaço, é esse tipo de perspectiva, com dois pontos de fuga usados,
  • A perspectiva aérea: aqui, levamos em consideração todas as dimensões de um objeto trabalhando sua representação com três pontos de fuga. Esta é a perspectiva mais realista, especialmente usada na arquitetura para representar, por exemplo, um edifício.

O domínio do desenho em perspectiva é necessário para fazer um desenho realista e dar-lhe volume como desenhar uma mão. O desenho em 3D não pode ser improvisado. Você tem que exercitar seus olhos e levar em consideração as proporções. Representar objetos e personagens com efeitos de profundidade é essencial para desenhar em 3D.

Mas real que o real? Isso é possível? Relógios, tudo pode ser desenhado com verossimilhança

Outros pintores usam outro tipo de perspectiva: a perspectiva atmosférica.

Como se tornar um desenhista profissional como Leonardo da Vinci? A Mona Lisa é um exemplo de uma técnica de perspectiva atmosférica.

Poderia ser comparado a uma câmera e seu sistema de focagem. Essa perspectiva é baseada em impressões. Concretamente, o que está no primeiro plano é desenhado de forma clara e precisa, mas quanto mais você olha em profundidade, mais os detalhes estão desfocados. Os pintores também reproduzem cores e degradês para criar esse efeito de profundidade. Quanto mais frias as cores, menos os detalhes são precisos.

É uma técnica desenvolvida e utilizada pelos pintores flamengos no século XV, mas também por Leonardo da Vinci, especialmente na Mona Lisa.

Porque não procurar por um curso de desenho?

Crie um efeito de ilusão de ótica no desenho

Os desenhistas que dominam a arte do desenho em perspectiva conseguem um resultado ainda mais impressionante em suas obras. Os objetos parecem literalmente sair do quadro para ganhar vida.

Como isso é possível? Essa é outra técnica de desenho: a anamorfose, também chamada de arte da perspectiva secreta. A ilusão anamórfica é uma técnica que permite desenhar ilusões de ótica graças a um processo de deformação da imagem.

Quando o desenho é bem sucedido, ele dá a impressão de ganhar vida e estar realmente em movimento. Nada mal para propor uma logo para uma empresa, certo?

Essa impressão é uma ilusão de ótica, que é visível apenas a partir de um ângulo muito preciso. Quando você olha para um desenho anamórfico, você deve olhar para ele de certo modo para ver o resultado em 3D. Sob os outros ângulos, descobre-se, pelo contrário, um desenho deformado.

Desenhe em três dimensões para criar uma ilusão óptica! Alessandro Diddi (veja seus vídeos no Youtube) é um dos desenhadores que dominam perfeitamente a técnica da anamorfose!

Como fazer um desenho que sai da folha?

É preciso técnica. Na verdade, é necessário saber como distorcer a imagem corretamente. Mas, para que o resultado seja ultra realista, também é essencial dominar as técnicas de desenho. Do primeiro esboço ao desenho realista, as etapas são numerosas! Você precisa saber como desenhar cada detalhe do objeto, mas também como pintar ou colorir seu desenho.

Para construir uma anamorfose, é essencial deformar a imagem que se deseja representar na folha. Algumas das técnicas que podem ajudá-lo a construir uma imagem anamórfica incluem:

  • Use uma câmera para fotografar o objeto sob uma folha e poder trabalhar sua representação,
  • Use um software para deformar o objeto que se deseja representar e poder desenhá-lo,
  • Use uma grade para desenhar o objeto nas proporções certas,
  • Corte uma parte do esboço do desenho para reforçar a impressão em 3D,
  • Use várias folhas ou dobre uma folha para alcançar o efeito de volume desejado…

Muitos artistas são mestres na arte da anamorfose como Ramon Bruin. Você pode até mesmo, com um pouco de sorte, descobrir uma anamorfose na sua rua. Muitos artistas de rua produzem trabalhos impressionantes desse tipo!

Entre o buraco no meio da calçada ou os tubarões que sobressaem da estrada… As performances de Edgar Mueller ou Julian Beever, por exemplo, são impressionantes.

Aceite o desafio e diga se isto é real ou virtual Esta é uma foto ou uma imagem em 3D?

Você poderia usar essa técnica para desenhar sua própria tatuagem. Muito legal, não é?

Desenhe em 3D com um software de desenho

Há muitos softwares 3D. Usados ​​de diferentes formas, eles permitem criar imagens de computador em três dimensões.

Software de arquitetura 3D, modelagem 3D, desenho industrial, software de design ou mesmo software de animação 3D…

Hoje, o 3D está em toda parte. É mesmo superado pela realidade aumentada e pelo cinema 4D! Com o software de modelagem 3D, os criativos agora podem ter forma com uma impressora 3D!

Como desenhista amador, você pode encontrar facilmente um software de desenho gratuito. Geralmente intuitivo e fácil de usar, o software facilita desenhar e familiarizar-se com a visão tridimensional.

  • Qual o software de desenho para escolher?
  • Qual o melhor software?

Depende das suas necessidades. Você pode usar o software de desenho 3D online ou optar por software para download no seu computador. Aqui estão alguns exemplos de software 3D:

  • Photoshop: obrigatório para todos os designers gráficos, oferece inúmeras possibilidades de fazer desenhos, assim como o Adobe Illustrator (pago),
  • Krita e Artweaver: também são programas de desenho bem avançados,
  • Google sketchup: perfeito para modelagem 3D, esse software foi originalmente projetado para arquitetura e design de interiores,
  • Blender: esse software de modelagem e animação em 3D faz parte do software de referência,
  • Autocad: é uma das plataformas mais utilizadas para design 2D e 3D,
  • Manga Studio EX é perfeito para criar quadrinhos e mangas,

Desenho 3D: os melhores aplicativos!

Se você deseja aprender a desenhar em 3D, existem outras ferramentas interessantes para usar: aplicativos de desenho em 3D!

Um castelo pode sair do seu smartphone? O celular pode ser um aliado na hora de fazer imagens em três dimensões

Eles vão acompanhá-lo em todos os lugares ao longo do dia. É fácil, assim que você tiver um momento, durante a hora do almoço ou no transporte público, você pode melhorar a sua técnica de desenho em três dimensões.

Em um tablet ou smartphone, você aprende a desenhar volumes para alcançar um efeito 3D bem sucedido. Veja alguns aplicativos que podem te ajudar:

  • 3D Creationist: é o aplicativo mais simples para criar modelos 3D. Qualquer um pode usá-lo com total facilidade e muita diversão. Você pode construir qualquer coisa que desejar, como um avião, um carro, um boneco de neve ou ainda, personagens de desenhos animados e muito mais;
  • Gravity Sketch: é um aplicativo de criação 3D para iPad, gratuito, divertido e totalmente intuitivo. Você pode criar personagens, móveis ou qualquer objeto 3D em plástico, metal ou cerâmica;
  • Morphy: esse aplicativo oferece a liberdade de projetar qualquer objeto 3D. Basta abrir o aplicativo e começar a criar seus próprios protótipos. Ele vem com bibliotecas 3D que te oferecem as mais variadas formas, textos e recursos, além de ferramentas de modelagem 3D que permitem girar e dimensionar seus objetos;
  • uMake: expressar suas ideias de forma intuitiva em design 3D é o objetivo desse app. É uma ferramenta de design que recebeu alguns prêmios, extremamente potente e ao mesmo tempo simples de usar;
  • Autoq3D: é um app feito para você criar esculturas em 3D, fornecendo um espaço de trabalho conveniente e intuitivo. Ele permite que você visualize seu desenho 3D e possui sete pontos de vista predefinidos para a visualização do objeto;
  • Keyplan: aplicativo gratuito e surpreendente para criar projetos de casas em 3D pelo iPad ou iPhone. Basta salvar seu projeto no iCloud para editá-lo mais tarde! Expresse sua criatividade, encontre inspiração e crie projetos incríveis em 2D e 3D.

Todos esses aplicativos citados são em inglês, mas o nível de língua necessário para conseguir usá-los é bem básico.

O desenho 3D é uma das técnicas mais populares hoje em dia na área de criação e de design gráfico. Se você quer se tornar um profissional ou simplesmente aprender essa técnica, você pode facilmente encontrar o aplicativo de desenho mais apropriado!

Que formação escolher para aprender desenho 3D?

O uso de ilustrações e desenhos 3D está cada vez mais presente em diversas áreas: cinema, publicidade, jogos digitais e até mesmo em projetos arquitetônicos. E não é para menos! Hoje em dia existem diferentes formas de aprender as técnicas para desenhar em três dimensões.

Não são apenas os publicitários, designers, programadores, arquitetos e diretores de arte que utilizam esses recursos. Hoje, qualquer estudante competente é capaz de tirar seus desenhos do papel e começar uma carreira na área de 3D. Entretanto, para conseguir trabalhar como desenhista, é preciso primeiro aprender a usar os softwares de 3D e aplicar os conceitos às diferentes áreas do conhecimento.

Por isso, temos algumas dicas que podem ajudá-lo a escolher a melhor formação para atuar como desenhista 3D.

Esteja por dentro das tendências do mercado

Nos últimos anos, pode-se observar o surgimento de novas possibilidades no cenário do design digital. Como dissemos anteriormente, as aplicações do desenho 3D são muitas e estende-se à diferentes áreas do conhecimento.

Dessa forma, com a rápida evolução tecnológica é recomendado que você busque explorar abordagens que mesclam várias técnicas. Duas grandes tendências na área digital atual é a programação e – principalmente – a impressão 3D. Estar por dentro das tendências de mercado pode ajudar os futuros profissionais de criação que querem se manter atualizados e produtivos.

Nosso conselho é que você converse bastante com seus professores do curso de desenho 3D que está fazendo ou que pretende fazer, pois assim você terá uma orientação profissional na hora de escolher novos cursos e especializações.

A importância de definir uma área de atuação

Hoje em dia, um profissional com especialização em animação e modelagem 3D pode desenvolver uma infinidade de trabalhos com objetivos diferentes. Estes trabalhos podem ir desde a criação de anúncios publicitários até a concepção de projetos e desenhos industriais.

escolher uma boa formação para desenho 3D Uma das possíveis aplicações do desenho 3D está na concepção de jogos de realidade virtual.

Dessa forma, você precisa analisar muito bem os diferentes cursos antes de fazer sua escolha, pois ela dependerá dos seus objetivos profissionais. Se você gosta de games, por exemplo, cursos para aprender a desenvolver gráficos e imagens 3D para jogos pode ser o mais indicado para sua formação. Já os engenheiros e projetistas vão preferir outros tipos de cursos.

Aqueles que ainda não sabem qual caminho seguir, ou os iniciantes, podem optar por um curso de desenho 3D básico. É importante que a grade curricular do curso inclua conceitos de modelagem, texturização e iluminação a partir de esboços simples. Isso te permitirá saber quais são suas preferências e definir possíveis áreas de atuação.

Dê preferência aos cursos com aulas práticas

A grade curricular e o conteúdo das aulas são muito importantes na hora de escolher um bom curso. Dispense cursos muito teóricos e dê preferência para aulas práticas, onde você possa de fato aprender a aplicar as técnicas e a usar os softwares.

O melhor método para conseguir realizar seus projetos é colocando a mão na massa! Isso incentiva o aprendizado por meio de tentativa e erro, o que é muito benéfico para saber se aprendeu os conceitos ou não.

Além disso, começar a materializar seus projetos desde o ínicio permite que você monte seu portfólio aos poucos, enquanto ainda é estudante. Todos aqueles que desejam trabalhar na área de criação precisam ter um portfólio, que nada mais é do que uma coleção de trabalhos já realizados por um profissional de uma determinada área.

Procure cursos de capacitação profissional, sejam cursos online ou presenciais, que tenham boa reputação. Se for um curso indicado por um amigo ou conhecido que já tenha feito, melhor ainda! Você também pode consultar fóruns na internet ou páginas no facebook para ter um feedback sobre a qualidade do curso.

Caso queira aprender algo diferente pois já domina a técnica do desenho, procure por um bom profe para seu curso de pintura em tela no superprof!

Partilhar

Os nossos leitores adoram este artigo
Este artigo contêm as informações que procura?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar