A tecnologia e a informática possuem várias facetas que são valiosas para o acesso ao mercado de trabalho, seja na aprendizagem de programas convencionais de informática, como o conhecido Office, ou no domínio de diferentes linguagens de programação, como C++ e Java. Essa diversidade de formações faz com que a área digital seja uma das mais atraentes para oportunidades de emprego e de carreira profissional, já que há uma enorme procura por diversos tipos de especialistas e programadores, com várias saídas profissionais.

Uma vez que há bastante oferta de vários cargos distintos para o setor digital, também se multiplicaram as formações e os cursos na área da Java e da informática em todo o país, com o intuito de formar cada vez mais pessoas em desenvolvimento de conteúdo digital. Nos dias de hoje, será capaz de encontrar uma escola de cursos livres ou um centro de formação em computação em qualquer cidade do país, já para não mencionar os cursos superiores ou os professores que preferem ensinar a programar no ambiente da aula particular.

No entanto, nem sempre foi assim. Pode ser difícil de imaginar mas nem sempre houve Java para a criação de softwares. Por esse motivo, elaboramos este artigo para que possa ficar a saber mais sobre esta linguagem, a sua história e como funciona.

tres ecras de computador
A história da Java é muito complexa e engloba muito mais do que definir estrutura e classes de interfaces para o desenvolvimento de conteúdo web. Pode aprender tudo isso num curso de programação. | Fonte: Unsplash.com

Se quer fazer uma aula de computação, saiba como e onde pode encontrar um curso de programação.

Os melhores professores de Programação disponíveis
Rui
4,9
4,9 (16 avaliações)
Rui
22€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
João
5
5 (29 avaliações)
João
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tomás
5
5 (15 avaliações)
Tomás
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Bianca
4,9
4,9 (7 avaliações)
Bianca
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês
5
5 (7 avaliações)
Inês
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
André
5
5 (12 avaliações)
André
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tiago
5
5 (8 avaliações)
Tiago
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alexandre
5
5 (8 avaliações)
Alexandre
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Rui
4,9
4,9 (16 avaliações)
Rui
22€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
João
5
5 (29 avaliações)
João
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tomás
5
5 (15 avaliações)
Tomás
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Bianca
4,9
4,9 (7 avaliações)
Bianca
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Inês
5
5 (7 avaliações)
Inês
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
André
5
5 (12 avaliações)
André
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tiago
5
5 (8 avaliações)
Tiago
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alexandre
5
5 (8 avaliações)
Alexandre
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

O que é a Java?

De uma forma muito simplificada, Java é uma linguagem de programação orientada a objetos. É utilizada para desenvolver aplicações, software e sistemas para equipamento eletrónico. É uma tecnologia simples que permite o desenvolvimento de páginas web e é executada diretamente no navegador.

A linguagem Java permite executar jogos, fazer upload de fotos, e utilizar vários serviços online tais como uma visita virtual ou aceder ao seu banco online. Nos dias de hoje é uma das linguagens de programação mais utilizadas no mundo da web.

Sabe quais são as diferenças entre a linguagem Java e a linguagem JavaScript?

História da linguagem Java

Em 1990, Patrick Naughton, Mike Sheridan e James Gosling, um grupo de engenheiros da Sun Microsystems, integravam o Green Project (ou Projeto Verde). Ao contrário do que possa estar a pensar, estes engenheiros não se juntaram com a intenção de criar uma nova linguagem de programação. O seu projeto foi pensado com a intenção de antever a próxima onda na área da tecnologia.

Com a análise dos dados, chegaram á conclusão que poderiam explorar uma tendência de interligação de redes, onde os dispositivos controlados digitalmente e os objetos poderiam comunicar entre si de forma interativa. Para facilitar esta comunicação entre dispositivos, foram obrigados a desenvolver uma nova linguagem de programação, uma vez que as linguagens já existentes (C e C++) não eram o suficiente.

ponteiro do rato no ecra
Num curso de Java irá aprender a história da tecnologia, como analisar os dados, os conceitos prinicpais da criação de conteúdo virtual e terá acesso a vários tipos de projetos e exercícios para testar as suas capacidades de computação. | Fonte: Unsplash.com

Esta nova linguagem de programação foi desenvolvida em 1991 e ficou conhecida como Oak (carvalho). Com a nova linguagem criada estava na hora de a utilizar para o propósito que foi desenvolvida, na criação de um sistema que permitisse a comunicação entre objetos diferentes.

Em 1992 apareceu o primeiro projeto com a linguagem Oak, o *7 (Star Seven ou Estrela Sete).  Um dispositivo interativo, portátil, com touchscreen que funcionava como um controlador de outros dispositivos elétricos de entretenimento doméstico, como a televisão, por exemplo. Esta aplicação serviu como uma demonstração do que os engenheiros da Sun consideravam o futuro da programação.

Com o crescimento da internet como forma de partilhar conteúdos entre dispositivos diferentes, procuravam-se alternativas para a utilização da tecnologia. Isto era uma grande vantagem para a Sun, uma vez que a linguagem Oak tinha sido desenhada para permitir a partilha de conteúdos mais dinâmicos e numa rede com dispositivos diferentes, e o HTML não tinha a capacidade de o fazer.

Isto levou à criação do WebRunner, um navegador que permitia demonstrar as possibilidades que a linguagem Oak oferecia, como toda a interatividade que permitia num navegador. No entanto, nem tudo era um mar de rosas. A equipa foi obrigada a alterar o nome da Oak, uma vez que este já era utilizado por outra empresa.

Assim, a Oak passa a Java, e o WebRunner a HotJava, inspirado no café que os engenheiros bebiam. É também por isso que o logotipo da Java é um chávena de café.

Em 1995, depois de uma demonstração bem-sucedida do navegador, este foi disponibilizado ao público e todos os programadores do mundo puderam fazer download de forma gratuita. Embora possa parecer uma má técnica de marketing, a empresa considerava que seria a forma mais rápida de popularizar o navegador e ter a ajuda dos operadores para encontrar possíveis erros na tecnologia.

Milhares de programadores de todo o mundo quiseram testar o software e não demorou até que a comunidade proclamasse as vantagens da Java e do navegador, que estavam cada vez mais famosos.

Mas a estratégia da Sun sempre foi que a Java tivesse aplicações em diversas áreas, para que o público em geral tivesse acesso e se tornar-se a linguagem utilizada no mercado digital. Para isso, foi disponibilizada como código aberto, podendo ser utilizada de forma gratuita por qualquer um.

Podemos sem dúvida dizer que foi um sucesso, uma vez que nos dias de hoje a Java está presente em aplicações de telemóveis, sistemas de banco online, leitores de cartões, sistemas inteligentes e muito mais.

prato ao lado de um computador
O conteúdo digital que nos rodeia continua a crescer. E é por esse motivo que o número de cursos de Java disponíveis continua a aumentar. Nestes cursos o aluno consegue aprender muito mais do que o básico e é feita uma introdução a vários conceitos principais da computação. | Fonte: Unsplash.com

A Java veio revolucionar o mundo digital e são várias as razões porque deve aprender a programar.

Funcionamento da linguagem Java

Para percebermos como funciona a Java é necessário sabermos mais sobre alguns dos elementos principais da tecnologia, como o que é um código fonte e como é que se implementa um software.

O código fonte é um conjunto de instruções escritas com uma linguagem de programação. Estas instruções são, claro, escritas pelos programadores, e são elas que compõem o programa e informam o computador sobre o que queremos que ele faça.

Parece bastante simples, mas existe um problema. Um computador não consegue entender instruções escritas em C, Java, ou uma das linguagens de programação, porque apenas entende 0s e 1s. Por isso, para que os computadores consigam compreender as instruções, é necessário traduzir o código fonte para um código de máquina, ou seja, a tradução do código fonte em zeros e uns.

Essa tradução pode ser feita de diferentes formas, utilizando um método de compilação, interpretação ou até uma mistura de ambos. Para que possa perceber com funciona este processo, vamos explicar com mais detalhe cada um dos métodos.

Um compilador é um software que recebe um código fonte e reescreve as suas instruções noutra linguagem. No contexto da implementação de um software, o código fonte é traduzido para código de máquina, e o código gerado é armazenado num arquivo executável.

Se utilizar um compilador, o processo é o seguinte:

  • Escrever o código fonte com a linguagem escolhida;
  • Utilizar o compilador para traduzir o código fonte para código de máquina e criar o arquivo executável;
  • O programa está pronto a ser executado no computador.

O método de implementação, por outro lado, utiliza um interpretador. Um interpretador é um programa que recebe um código fonte, e traduz as instruções para código de máquina durante a execução do programa. Neste caso não é gerado nenhum arquivo executável com código de máquina pronto para ser lido diretamente pelo computador.

teclado e ecra de computador
Um curso ou uma aula particular de Java é mais do que uma introdução ao básico ou forma ter obter um certificado. É ter acesso a métodos profissionais de reconhecimento de classes e estrutura de interfaces e saber como programar de forma orientada a objetos. | Fonte: Unsplash.com

Em vez disso, o código fonte é escrito com os comandos Java e enviado para o cliente final que deverá ter um programa que seja capaz de interpretar o código cada vez que o quiser executar. Neste caso, o interpretador lê o código linha e linha e traduz a instrução para uma linguagem que a máquina compreenda.

Em Java o processo é ligeiramente diferente, uma vez que o código fonte criado não é convertido diretamente para linguagem de máquina, nem é interpretado diretamente para o computador. Depois de escrito, o código é compilado para um código intermediário entre o código fonte e o código de máquina, conhecido por bytecode. É este bytecode que é enviado para os clientes, não um arquivo executável ou o código fonte.

Mas este código ainda não pode ser lido pelo computador, é necessário que passe por uma JMV (Java Virtual Machine ou Máquina Virtual Java) que é responsável por traduzir cada instrução do programa para linguagem de máquina.

Ao contrário das linguagens compiladas (como C ou C++) em que o programa que chega aos operadores já está escrito em código de máquina contido num arquivo executável, e de uma linguagem interpretada em que o código fonte é interpretado diretamente para código de máquina durante a execução, os programas feitos em Java são compilados para uma linguagem intermediária, que é traduzida para de máquina pela JVM enquanto o programa é executado.

Este passo extra permite que o bytecode gerado por um compilador poderá ser lido em qualquer outro sistema que possua uma JVM instalada, facilitando o desenvolvimento para múltiplas plataformas.

Agora que já sabe mais sobre a sua história, e já está convencido da importância da Java, está pronto para começar a sua aventura da computação? Escolha o curso que lhe parecer mais adequado para estudar as classes e a estrutura das interfaces, como introduzir dados nas aplicações, os melhores métodos para programar de forma orientada e não orientada a objetos, como criar conteúdo digital e muitos mais conceitos principais da computação.

Quer seja num curso superior numa universidade ou um curso profissional numa escola ou centro de formação, vai fazer uma introdução ao conteúdo básico e ter acesso ao apoio de profissionais experientes que o podem auxiliar com todas as dúvidas e dar orientação durante o decorrer do módulo. Além de ter o seu certificado ou diploma de programador, claro.

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.