Os alunos do ensino secundário em Portugal, dependendo da área de estudos que frequentam, podem escolher aprender uma de várias línguas estrangeiras. Assim, podem ser avaliados em exames nacionais finais nas seguintes disciplinas de língua estrangeira:

  • Alemão, nível de iniciação;
  • Espanhol, nível de iniciação;
  • Francês, nível de continuação;
  • Inglês, nível de continuação.

Em cada um destes exames, os alunos são avaliados no que concerne às chamadas "Aprendizagens Essenciais" de cada uma destas línguas, aprendizagens essas que se centram, por sua vez, nas competências comunicativas, interculturais e estratégicas de cada aluno no contexto comunicativo desse idioma.

Quer isto dizer, que um aluno do ensino secundário pode não só optar por aprender inglês como escolher aprender espanhol – a segunda língua mais falada do mundo, logo depois do mandarim!

Mas como é que o aluno deve  ingressar na disciplina de espanhol do ensino secundário e preparar-se para o exame nacional de espanhol? Depois de falarmos sobre os vários conselhos que qualquer aluno interessado em aprender espanhol deve começar por seguir, neste artigo dedicar-nos-emos ao exame nacional de espanhol realizado nas escolas portuguesas e, claro, a algumas dicas para que os estudantes podem seguir de forma a brilhar nesta prova.

Escolher aprender espanhol no ensino secundário

Se o estudante ainda não se decidiu sobre a língua estrangeira que quer aprender durante o ensino secundário, e se está indeciso se deve (ou não) optar pela lingua espanhola, aqui na Superprof lembramos-lhe que esta é uma língua falada em cerca de 30 países, contando com aproximadamente 400 milhões de falantes nativos e outros 400 milhões de falantes não nativos espalhados por todo o mundo.

Assim, um aluno português tem três grandes razões para querer aprender espanhol desde cedo e aproveitar o ensino regular obrigatório para aprofundar a sua proficiência linguística neste idioma. Essas três razões prendem-se com o facto de o espanhol ser:

  • a segunda língua mais falada no mundo, como já dissemos;
  • uma língua falada pelo país com que Portugal partilha milhares de anos de História e, claro, o território geográfico da Península Ibérica;
  • um dos idiomas mais fáceis de aprender para os portugueses.

Ora o principal objetivo da disciplina de espanhol do ensino secundário português é o de ensinar a lingua espanhola, em paralelo com a própria cultura dos países que a falam, como um instrumento de comunicação que possa ser útil aos estudantes em diferentes contextos.

Bailarina dançando ao som de um violino.
Para aprender espanhol é importante conhecer um pouco da cultura de todos os países hispanófonos. | Fonte: Visualhunt

Ou seja, o ensino da lingua espanhola no ensino português tem, sobretudo, um objetivo comunicativo e, também por isso, foca-se no ensino do espanhol 'padrão' para que os alunos terminem este ciclo de estudos aptos a comunicar com qualquer hispanofalante e, quem sabe, a estudar ou trabalhar num país hispanófono.

É claro que, graças à proximidade geográfica, linguística e cultural entre Espanha e Portugal — e às inúmeras situações de contacto próximo entre as  línguas destes países, sobretudo ao longo da fronteira entre Espanha e Portugual —, é natural que os alunos portugueses tenham mais facilidade a aprender a falar espanhol. Aliás, devem até ser considerados "falsos iniciantes" na disciplina de espanhol, já que, evidentemente, têm um nível de desempenho bastante superior ao que seria de esperar no primeiro ano de aprendizagem de uma língua estrangeira.

No entanto, embora seja certo de que os portugueses têm relativa facilidade em compreender o espanhol falado e, consequentemente, em aprendê-lo, a verdade é que existem muitas diferenças ao nível gramatical e vocabular entre o Espanhol e o Português. Por isso, o aluno que escolha aprender espanhol no ensino secundário e queira realizar o exame nacional de espanhol deverá estar muito bem preparado para que não se confunda durante a prova!

Assim, um dos nossos conselhos é que o aluno saiba o que esperar do exame nacional espanhol em que se inscreveu.

Como preparar o exame nacional de lingua espanhola

O foco do exame nacional espanhol – e, aliás, o foco de praticamente todas as demais provas nacionais de língua estrangeira em Portugal – é a interpretação, quer seja de textos, ficheiros áudio ou de interações sociais que merecem uma resposta bem preparada.

Por isso, é fundamental que, durante o estudo para o exame de espanhol, o aluno dedique bastante tempo à leitura e compreensão de textos, bem como à análise de materiais reais como programas de televisão ou leitura de jornais. É claro que o estudante não pode abandonar totalmente os seus estudos de gramática nem do vocabulario espanhol de um momento para o outro, mas a verdade é que deve dar prioridade à interpretação, uma vez que — pelo menos no caso dos alunos portugueses — ela é o instrumento de aprendizagem de todas as restantes vertentes da língua avaliadas no exame de espanhol.

Assim, nas horas mais valiosas, o aluno deve dar prioridade a recursos alternativos que forneçam, sobretudo, conteúdo de conhecimento geral e atualizado sobre a utilização da lingua espanhola em contextos reais. Isto porque, para completar o exame nacional de espanhol com sucesso os estudantes devem ter um bom entendimento de política, economia e cultura dos países hispanófonos.

Por isso, eis uma boa dica para quem deseja aprender espanhol no ensino secundário ou, quem sabe, com o auxílio de um professor de espanhol particular com uma metodologia adaptada aos seus objetivos: usar e abusar dos jornais em lingua espanhola é, sempre, uma regra de ouro!

Alguns exemplos são:

  • o El País, de Espanha;
  • o La Nación, do Chile;
  • o Clarín, da Argentina;
  • o El Universal, do México;
  • o El Tiempo, da Colômbia.
Um rapaz a ler um jornal, sentado num banco de jardim.
Porque não complementar as suas aulas de espanhol com a leitura de jornais espanhóis? Eles são um ótimo recurso de aprendizagem! | Fonte: Unsplash

O jornal El País, de Espanha, ou o jornal Clarín, da Argentina, têm a vantagem de ter uma versão on-line, o que permite que o aluno melhore o seu estudo e aposte em aprender espanhol online, bastando que para isso reserve dez minutos do seu dia para ler a primeira página.

Os conteúdos dos jornais referem temas atuais relacionados com a sociedade, a política, a economia e a cultura dos países hispânicos, pelo que são uma ótima fonte para aprender espanhol e aprofundar o conhecimento da língua sem sair de casa.

Além disso, o estudante também pode explorar variadíssimos vídeos disponíveis no YouTube para melhorar o seu domínio da lingua espanhola. Ademais, o Youtube é não só totalmente gratuito, como está recheado de tutoriais comentados sobre exercícios e conteúdos específicos que certamente serão avaliados nos exames de espanhol.

Na mesma linha, o estudante também poderá recorrer a aplicações educativas como o Duolingo ou o Nemo Espanhol, que são muito úteis para completar o seu estudo e a ajudá-lo a aprender espanhol de uma forma lúdica!

Mas a verdade é que, por muito que alimente o seu estudo e se prepare para o exame de espanhol com materiais didáticos, isso não impede que o aluno não tenha dificuldades, por exemplo, em perguntas de tradução ou em situações de concordância verbal numa expressão idiomática. Por isso, deve procurar utiliza recursos variados se estar sempre atento à sintaxe!

Claro, e se lhe parecer que precisará de alguma ajuda para orientar este seu estudo, o aluno não deve desanimar. Na Superprof encontrará as melhores aulas de espanhol online e os melhores professores de espanhol particulares que, por um preço bastante acessível, lhe darão a segurança de que necessita no dia do exame!

Conteúdos essenciais para quem quer dominar o espanhol e singrar no exame nacional

Como esperamos ter deixado claro, o aluno que se prepara para um exame de espanhol de nível nacional deve não só preparar os conteúdos comunicativos através de materiais linguísticos de contexto real, mas também dominar inúmeros conteúdos gramaticais e vocabulares essenciais no domínio da lingua espanhola.

Assim, no exame nacional de espanhol o aluno deve esperar encontrar exercícios que testem o seu domínio:

  • das conjunções;
  • dos advérbios;
  • das palavras homónimas em espanhol;
  • dos artigos definidos e indefinidos;
  • dos substantivos e adjetivos;
  • dos verbos ser, estar e haver.
Um rapaz com um chapéu de flores a afinar uma guitarra.
Estudar para o exame nacional espanhol não tem de ser aborrecido e a imersão cultural é essencial! | Fonte: Unsplash

Isto é, o aluno deve conhecer todos os meandros da disciplina de espanhol no ensino secundário e, claro, estudá-los com muita atenção!

Por fim, o aluno deve lembrar-se que, na hora de prestar provas (de seja qual for a disciplina), o importante é ter foco, estar muito atento ao enunciado e estar seguro de que interpretou bem o que está a ser pedido em cada exercício. Isso será meio caminho andado para realizar um exame nacional de espanhol com sucesso!

Em todo o caso, há sempre algumas dicas que o aluno pode aplicar no dia D, para otimizar o seu desempenho durante o exame de espanhol:

  • começar por ler atentamente o enunciado em português e, com calma, procure entender claramente o que é pedido;
  • ler os textos em espanhol e tentar identificar, sublinhando, as informações necessárias para dar resposta aos exercícios;
  • no caso de exercícios de escolha múltipla, passar várias vezes os olhos pelas alternativas e, com calma, identificar a que lhe parece mais correta.

A estrutura do exame nacional de espanhol

Para bem preparar um exame nacional de espanhol, não basta apenas que o aluno se deixe emergir nos recursos de cultura espanhol disponíveis, nem é boa ideia que agarre na gramática sem antes saber o que encontrará no exame de espanhol.

Por isso, é importante saber que, no exame nacional espanhol, pode contar com as seguintes secções:

  • compreensão do oral – cujo desempenho do aluno é avaliado com base em dois ou mais textos áudio;
  • uso da língua e leitura – em que o objeto de análise é pelo menos um texto com 400-540 palavras;
  • interação e produção escritas – em que o examinando é avaliado em duas atividades de interação e produção escritas com, respetivamente, 30-40 e 100-130 palavras. Nesta secção do exame de espanhol o aluno também deve contar com exercícios de seleção — isto é de escolha múltipla ou de associação —, bem como com exercícios de construção a que os estudantes devem responder com respostas restritas e extensas;
  • interação e produção orais – secção em que se avalia o desempenho do estudante em três momentos de produção oral regidos por um guião.
Um par de óculos sobre uma folha de critérios de avaliação de um exame.
Para bem prepara um exame nacional espanhol o aluno deve conhecer a sua estrutura e critérios. | Fonte: Unsplash

A componente de compreensão e produção escrita deste exame leva 105 minutos — com uma tolerância de 30 minutos. Já a componente oral do exame nacional de espanhol tem a duração máxima de 15 minutos e, por isso, o aluno tem de os fazer valer!

Por fim, no ensino português, o aluno deverá ir para o seu exame de espanhol munido de uma caneta/esferográfica de tinta azul ou preta, de uma folha de exame (oficial) onde registará as suas respostas e de um dicionário unilingue ou bilingue.

Depois, basta concentrar-se e deixar que tudo quanto aprendeu nas aulas de espanhol fale por si! E se o estudante tiver alguma dúvida, a Superprof diz-lhe tudo o que tem de saber para aprender espanhol corretamente e vingar no mundo hispanófono.

Precisa de um professor de Espanhol ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Marta

Sou, desde sempre, uma ávida leitora, com o coração apontado para a escrita, e uma bibliófila incurável, com um fraquinho por arquivos e espólios. Hoje, trabalho como revisora, editora e produtora de texto freelancer e sou colaboradora do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.