Aprender espanhol é sempre uma ótima aposta para quem pretende vingar no universo da comunicação, já que o espanhol é – todos nós já o sabemos – das línguas mais faladas do mundo. Sim, dos países da América Latina a Espanha, passando pelos Estados Unidos da América, a lingua espanhola é falada por cerca de 400 milhões de pessoas, ou seja, por uma valente percentagem da população mundial!

E se o nosso leitor está agora a ingressar no ensino secundário, está prestes a escolher a língua estrangeira que fará parte do seu currículo, então está na altura de considerar a lingua espanhola como uma concorrente à altura do tão ensinado inglês. Nós prometemos-lhe: estudar, aprender espanhol e ser bem-sucedido nos exames está ao alcance de todos.

Contudo, e antes de ingressar no 10.º ano e dar início às aulas de espanhol, convém que o estudante se informe sobre o programa desta disciplina no ensino secundário português e, quem sabe, procure um professor de espanhol particular que o ajude a fazer render o seu estudo, tornando-se cada vez mais autónomo com o passar do tempo.

Uma rapariga a beber um chá e a estudar espanhol em frente ao computador.
Ser autónomo e curioso é meio caminho andado para aprender espanhol como ninguém. | Fonte: Pixabay

Se o aluno seguir este artigo e se preparar corretamente para aprender a falar espanhol, a Superprof garante-lhe que a sua aprendizagem será fluida e muito mais produtiva.

Susana
Susana
Profe de Espanhol
4.96 4.96 (24) 16€/h
1ª aula grátis!
Alberto
Alberto
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (7) 14€/h
1ª aula grátis!
Sandra
Sandra
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (5) 15€/h
1ª aula grátis!
Alonso
Alonso
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (8) 14€/h
1ª aula grátis!
Julio
Julio
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (5) 15€/h
1ª aula grátis!
Virgínia
Virgínia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (11) 15€/h
1ª aula grátis!
Ana olivia
Ana olivia
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (10) 18€/h
1ª aula grátis!
Santiago
Santiago
Profe de Espanhol
5.00 5.00 (6) 15€/h
1ª aula grátis!

A base do programa de lingua espanhola no ensino secundário em Portugal

Em Portugal, o exame nacional de espanhol avalia, como os exames nacionais das restantes línguas estrangeiras ensinadas durante este ciclo, as diversas competências linguísticas previstas pelo programa dessa disciplina.

Quer isto dizer que, um aluno que frequente as aulas de espanhol será avaliado no exame de espanhol no que diz respeito à sua:

    • compreensão oral;
    • expressão oral;
  • compreensão escrita;
  • expressão escrita;
  • utilização da língua num ambiente sociocultural;
  • autonomina.

Contudo, e tendo em conta que o programa de espanhol do ensino secundário e as diversas partes do exame nacional de espanhol estão recheados de exercícios de interpretação, gramática e vocabulario espanhol bastante típicos do ensino e avaliação das línguas estrangeiras pelo Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas, hoje a Superprof dará destaque aos últimos dois pontos avaliados no exame nacional de espanhol: a utilização da língua em contexto sociocultural e a autonomia comunicativa que o aluno que frequente aulas de espanhol deve alcançar.

Cultura e sociedade para aprender a falar espanhol

O ponto de partida desta vertente do ensino secundário de lingua espanhola em Portugal é a ideia de que todas as formas de expressão de uma nova língua implicam, claro, a veiculação de aspectos socioculturais absolutamente fulcrais para quem tenciona compreender a cultura dos países onde essa língua é falada.

Ora, é precisamente neste âmbito sociocultural do uso da língua que o ensino do espanhol em Portugal propõe munir os alunos de estratégias e materiais que tornem a sua competência comunicativa cada vez mais fluída. Por isso, é também importante realçar que é nesta secção que cada professor de espanhol se pode (e deve) adaptar aos temas sugeridos pelo programa e, claro, adequá-los aos conteúdos linguísticos que devem ser adquiridos até ao fim este ciclo de estudos.

Alguns dos domínios da vertente sociocultural implicados no programa de lingua espanhola do ensino português são:

  • Aprendizagem;
  • Cidadania;
  • Carreira;
  • Língua;
  • Cultura;
  • Mundo e viagens;
  • Bem-estar e saúde;
  • Atividades lúdicas;
  • Juventude.
As ruas de um mercado no México.
Cultura, viagens e lazer são alguns dos temas de interação (escrita e oral) incluídos no programa de lingua espanhola do ensino secundário português. | Fonte: Pixabay

Além disso, importa fazer notar que todos os domínios acima referidos acabarão por ser desenvolvidos, ao longo dos programas de espanhol das escolas portuguesas, em torno de temas como:

  • Quais são os truques para se ser um estudante exemplar;
  • Quais são os direitos e deveres de um bom cidadão;
  • Como agir numa entrevista de emprego;
  • Quais melhores estratégias para aprender uma língua nova e, em particular, a lingua espanhola;
  • O que saber sobre o turismo, museus e instituições culturais dos países hispanófonos;
  • Como conviver e sentir-se integrado num país hispanófono;
  • O espanhol pelo mundo;
  • Como vingar nos serviços de saúde dos países hispanófonos;
  • O futuro dos jovens;
  • Ler em lingua espanhola, ver televisão, ir ao teatro ou ao cinema.

Sim, estas são todas as frentes da faceta sociocultural do programa de espanhol do ensino português. E saiba que todas elas, avaliadas no exame nacional de espanhol, representarão um fator de aprendizagem essencial, uma vez que permitirão que os alunos consolidem os conhecimentos e a utilização prática da língua, obrigando-os a:

  • relacionar as suas experiências com as experiências de falantes nativos de espanhol;
  • estar em contacto com materiais de trabalho que tornam a aprendizagem didática e adequada ao seu contexto de utilização real (por exemplo revistas, programas de televisão, músicas, folhetos, livros, entre muitos outros).

Autonomia nas aulas de espanhol e nas ruas de Barcelona

No que concerne ao desenvolvimento da autonomia dos alunos inscritos nas aulas de espanhol, o programa do ensino secundário de lingua espanhola prevê que os estudantes terminem o ciclo:

  • sabendo utilizar, de forma consciente e adequada, os conhecimentos adquiridos sobre o sistema linguístico espanhol, de modo a controlar a utilização da língua e, se necessário, corrigir-se.
  • sabendo pôr em prática diversas estratégias de comunicação e aprendizagem, com o objetivo de ultrapassar quaisquer dificuldades que possam enfrentar durante os atos de comunicação escrita e oral em espanhol e tornando frutífero o estudo desta língua.

Neste campo, o que se pretende é que o aluno interessando em aprender a falar espanhol:

  • saiba mais do que breves frases em espanhol e esteja interessado em comunicar nesta língua;
  • estimule a sua confiança para aprender espanhol;
  • perca o medo de dar erros e saiba reconhecê-los e corrigi-los;
  • se interesse por melhorar, diariamente, a comunicação escrita e oral;
  • consiga superar obstáculos;
  • queira aprofundar os conhecimentos linguísticos e os aspetos socioculturais neles implicados;
  • reconheça o seu estilo e velocidade de aprendizagem;
  • saiba planificar o seu estudo;
  • tome iniciativa;
  • saiba utilizar estratégias de comunicação variadas;
  • consiga escolher os temas de conversação que lhe agradam e desenvolvê-los sem medo;
  • saiba utilizar palavras-chave na escrita e oralidade;
  • seja capaz de se autoavaliar;
  • etc.

    Uma fotografia dos ladrilhos e da paisagem da cidade de Barcelona.
    Ter aulas de espanhol no secundário é o primeiro passo para bem comunicar em Barcelona e em tantas outras cidades do mundo. | Fonte: Unsplash

É bem verdade: autonomia no estudo e na aprendizagem do espanhol fará do estudante um comunicador capaz de passear tranquilamente nas ruas de Barcelona ou em qualquer outra cidade hispanófona!

Cinco truques para arrasar nas aulas e no exame nacional de espanhol

Mas é claro que, além de tudo isto, o aluno de espanhol do ensino secundário deve ser capaz de assimilar e dominar todos os conteúdos linguísticos do programa – do domínio dos adjetivos aos conetores discursivos, passando pelos verbos, advérbios, pronomes e tantos outros elementos gramaticais.

Ademais, é essencial que, durante a sua aprendizagem da lingua espanhola, o estudante esteja especialmente atento aos 'falsos amigos' que, sobretudo para os alunos portugueses, podem tanto dificultar a sua aprendizagem quanto prejudicar a sua nota no exame de espanhol.

Por isso, e depois de todas estas dicas sobre como preparar o estudo do espanhol, seguem algumas dicas infalíveis que darão ao nosso leitor mais segurança na hora de enfrentar o exame de espanhol do secundário.

O clássico Lo vs El na lingua espanhola

É automático: quando estamos a ler um texto – e qualquer que seja a língua em que o mesmo está escrito – temos sempre tendência para fazer associações com a nossa língua materna. Contudo, muitas vezes isso pode induzir-nos em erro e, claro, no caso da parelha português-espanhol mais ainda.

Assim, às vezes traduzimos os lolalos e las por oaos e as. Mas isto é um puro engano: lo é um artigo neutro que não existe em português e que tem a função de substantivar adjetivos ou advérbios em espanhol. Por isso, a tradução correta para o artigo masculino o, em português, é el, em espanhol.

Aprender espanhol sem se deixar enganar por 'falsos amigos'

Os 'heterosemânticos' em espanhol causam muita confusão e são o principal motivo de muitos dos erros no exame de espanhol. O que acontece é que existem palavras em lingua espanhola que são grafadas de forma muito similar a palavras em português. Contudo, elas não significam o mesmo!

Alguns dos exemplos que causam mais confusão são:

  • Escoba = vassoura;
  • Exquisito = saboroso;
  • Aceitar = óleo;
  • Alejado = distante;
  • Borrar = apagar;
  • Bañero = salva-vidas;
  • Comedor = sala de Jantar;
  • Dirección = endereço.

Mas atenção: há centenas destes casos! Por isso o aluno deve estar muito atento durante as aulas de espanhol e, claro, partilhar todas as suas dúvidas com o seu professor. Um professor de espanhol particular certamente terá ótimas estratégias para despistar estas confusões.

Dominar os verbos para construir boas frases em espanhol

Conhecer a conjugação dos verbos é essencial na aprendizagem de qualquer língua.

Assim, o nosso conselho é que o aluno explore a fundo os verbos regulares e irregulares em espanhol, mas que dê prioridade às particularidades dos verbos ser, estar e haver.

Ah, e porque não aprender também, na ponta da língua, o verbo saber em espanhol? Com ele o aluno poderá, sempre que quiser, gabar-se do que já aprendeu!

Por fim, para evitar quaisquer armadilhas, o aluno deve lembrar-se de que – no que toca a ser um aluno lusófono que quer aprender a falar espanhol sem imprecisões – o truque é duvidar sempre dos seus instintos. Além disso, deve usar e abusar de todos os recursos que o façam mergulhar de cabeça na cultura e nos costumes dos povos hispânicos, ouvindo música, vendo filmes, lendo literatura espanhola. Tudo isso ajudará a que se torne um ás em espanhol, evitando que escorregue em cascas de banana plantadas pela sua própria língua materna.

Uma rapariga sentada no parque, a ouvir musica com uns headphones.
Ouvir música ou audiolivro é uma maneira divertida de aprender a falar espanhol sem dificuldade. | Fonte: Pixabay

Se o nosso leitor seguir estas nossas dicas, bem como os conselhos do seu professor de espanhol, de certeza de que as suas aulas de espanhol se tornarão mais produtivas e, claro, tirará a nota que deseja no seu exame nacional de espanhol?

Confia em nós? Então, toca a estudar!

Precisa de um professor de Espanhol ?

Gostou deste artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Marta

Sou, desde sempre, uma ávida leitora, com o coração apontado para a escrita, e uma bibliófila incurável, com um fraquinho por arquivos e espólios. Hoje, trabalho como revisora, editora e produtora de texto freelancer e sou colaboradora do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.