Haydn, Menuhin, Schubert, Glissando, Berlioz, Schumann, a lista é longa quando se trata de evocar os melhores músicos de violino da história.

Estes músicos têm sido parte integrante da evolução da música e, especialmente, do violino, sendo nomes que ainda hoje são importantes e reconhecidos na história do mundo da música, apesar de várias alterações terem sido feitas, ao longo dos anos, quanto ao ensino do seu instrumento e técnicas de aprendizagem.

Na época destes grandes violinistas, as aulas de violoncelo e aulas de violino online - obviamente - não existiam, sendo precisas uma enorme dedicação ao seu instrumento e perseverança na sua prática e estudo.

Desde o seu nascimento no século XVI, até a sua versão elétrica dos dias de hoje, a evolução do violino é incrivelmente fascinante. Quer se trate de música barroca ou música clássica, de um violino elétrico ou de um violino clássico, este instrumento da família das cordas sofreu muitas mudanças - tanto estéticas como funcionais - e influências musicais com o passar dos anos.

Com origens árabes e muçulmanas, o violino tornou-se famoso graças aos luthiers italianos na época do renascimento e foi sofrendo evoluções até o século XVIII até se tornar no instrumento que comecemos hoje e, novamente, no século XIX com o aparecimento do violino elétrico.

Da música académica à música contemporânea, descubra os segredos da arte do fabrico de violinos ao longo dos tempos para desenvolver a sua cultura musical e conhecimento sobre a área.

Nada como entender tudo sobre o seu instrumento favorito e a sua história antes de decidir começar a aprender a tocar violino!

O violino é bem minucioso
Os detalhes deste instrumento foram mudando com o passar dos anos de forma a corresponderem às alterações sonoras necessárias aos diferentes estilos musicais
Os melhores professores de Violino disponíveis
Esin
5
5 (16 avaliações)
Esin
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Johann velislav
5
5 (5 avaliações)
Johann velislav
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sílvia
5
5 (9 avaliações)
Sílvia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (6 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (19 avaliações)
Mariana
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ricardo
5
5 (10 avaliações)
Ricardo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tânia
Tânia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara margarida
5
5 (11 avaliações)
Sara margarida
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Esin
5
5 (16 avaliações)
Esin
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Johann velislav
5
5 (5 avaliações)
Johann velislav
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sílvia
5
5 (9 avaliações)
Sílvia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (6 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (19 avaliações)
Mariana
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ricardo
5
5 (10 avaliações)
Ricardo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tânia
Tânia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara margarida
5
5 (11 avaliações)
Sara margarida
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Aulas violino: conheça as origens do violino

Que tal um curso de violino para iniciantes? Chegou a hora de aprender a tocar violino!

O nascimento do violino permanece muito misterioso ao longo da história e, naturalmente, não foi algo que aconteceu da noite para o dia. Foram precisos vários séculos até que o violino aparecesse como é reconhecido hoje por todos os amantes da música.

Um primeiro conceito que vai aprender desde cedo nas suas aulas de violino para iniciantes é que o violino contemporâneo tem muitos ancestrais distintos, com tamanho e sonoridades diferentes, tendo os primeiros instrumentos de corda só aparecido no século X.

História do violino
Para aprender a tocar violino é fundamental que conheça a história deste poderoso instrumento! | Fonte: Pixabay

Antes disso, o instrumento mais semelhante aos que conhecemos hoje como sendo da família das cordas era, por exemplo, a lira. As cordas arqueadas aparecem apenas um pouco mais tarde durante o império chinês, no império bizantino e no mundo árabe-muçulmano aproximadamente ao mesmo tempo. Nasciam assim então os primeiros instrumentos de cordas curvadas feitos de crina de cavalo.

O rebab, um instrumento popularizado pelo povo islâmico, é apontado um dos principais ancestrais do violino. Considerado o primeiro instrumento com cordas do mundo árabe-muçulmano, este instrumento chegará à Europa, pela Espanha, durante as ocupações mouras na Península Ibérica. Mais tarde, será conhecido como vihuela na Espanha e viuola em Itália, sendo o parente mais próximo do que hoje chamamos de viola.

No entanto, também este instrumento teve as suas variações, como a Viola da Gamba (apoiada na perna) e a Viola da Braccio (pousada sobre o peito ou ombro) que serão popularmente utilizadas antes da chegada do violino contemporâneo. Somente na década de 1520 é que o violino foi mencionado pela primeira vez, distinguindo-se dos demais devido ao seu tamanho reduzido quando comparado aos seus antecessores de cordas.

É possível reconhecer este instrumento, ainda que em proporções diferentes daquelas que conhecemos hoje, em pinturas italianas. Estes instrumentos são então construídos em Brescia, Veneza, Antuérpia e até Bruxelas.

A sua versão final, popularmente conhecida por todo o mundo, é feito por um luthier específico em Cremona, no norte de Itália, no estúdio de Andrea Amati.

Procura aulas de violino em Lisboa? A Superprof pode ajudar a encontrar a modalidade ideal para si!

atradivarius mudou a história da música
Cremona, no norte da Itália, é uma referência predominante na história dos violinos

Aprender violino: a prestigiada ascensão deste instrumento em Itália

O primeiro violino como o conhecemos atualmente data de 1564, encomendado por Catarina de Médici para o seu filho Carlos IX. Este instrumento é então classificado como um instrumento da corte real, enquanto que, anteriormente, era apenas usado em festivais populares pelo cidadão comum.

Graças a este reconhecimento pela realeza, a oficina de Amati conquista uma grande reputação no mundo da música e os seus filhos e netos continuam o negócio da família e ensinam outros luthiers o know-how da profissão, democratizando o acesso a este incrível instrumento de cordas.

Adicionalmente, nesta época, o rei de França, Henrique IV, é o primeiro a criar um curso para aprender a ser um luthier de sucesso, uma profissão reconhecida pelo próprio rei. Esta aprendizagem tinha a duração de 6 anos e era administrada por um verdadeiro mestre do violino. Antes da criação desta formação, os músicos tinham de fazer o seu próprio instrumento e, sozinhos, aprender a tocá-lo ultrapassando as suas dificuldades apenas pela observação dos mestres da altura.

A cidade de Cremona torna-se desta forma o berço do violino, fazendo da Itália uma verdadeira referência para todos os músicos e luthiers da época, mantendo a sua reputação até os dias de hoje.

De facto, a tradição continua a ser perpetuada na cidade de Cremona ainda hoje, havendo muitos artistas luthier a visitá-la com o intuito específico de aprender técnicas antigas ainda usadas em algumas oficinas italianas. Totalmente feitos à mão, os violinos desta cidade são de qualidade excecional, dignos dos maiores mestres. Escolher a madeira e depois ao esculpi-la com ferramentas tradicionais, é uma forma de homenagear os primeiros luthiers de violino do século XVI, que deram ao instrumento a elegância que hoje admiramos neste instrumento.

Veja aqui algumas sugestões de músicas simples para o violinista iniciante começar os seus estudos. Verá que aprender a tocar violino poderá ser mais simples do que parece!

Deixe-se inspirar pelo violinista português Bruno Monteiro neste concerto que deu em conjunto com Nuno Marques:

Os melhores professores de Violino disponíveis
Esin
5
5 (16 avaliações)
Esin
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Johann velislav
5
5 (5 avaliações)
Johann velislav
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sílvia
5
5 (9 avaliações)
Sílvia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (6 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (19 avaliações)
Mariana
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ricardo
5
5 (10 avaliações)
Ricardo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tânia
Tânia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara margarida
5
5 (11 avaliações)
Sara margarida
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Esin
5
5 (16 avaliações)
Esin
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Johann velislav
5
5 (5 avaliações)
Johann velislav
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sílvia
5
5 (9 avaliações)
Sílvia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Filipa
5
5 (6 avaliações)
Filipa
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (19 avaliações)
Mariana
25€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ricardo
5
5 (10 avaliações)
Ricardo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tânia
Tânia
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Sara margarida
5
5 (11 avaliações)
Sara margarida
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Nas aulas violino, conheça as grandes composições do século XVII

É necessário esperar mais de um século após a ordem real, para que Antonio Girolamo Stradivari, conhecido por "Stradivarius", fizesse algumas melhorias necessárias ao violino.

A precisão do seu fabrico e a qualidade dos seus violinos ainda são um grande segredo para os luthiers dos dias de hoje. Dos mais de mil violinos feitos pelos italianos neste século, cerca de 650 ainda estão em num estado impressionante, sendo verdadeiros tesouros intemporais para os músicos deste instrumento.

No século XVII, o violino tornou-se o instrumento de excelência das orquestras, já que compositores como Monteverdi usavam-no regularmente nas suas composições atraindo cada vez mais estudantes ao longo dos anos.

Monteverdi é o primeiro a usar o violino na sua ópera denominada “Orfeu” e é então reconhecido como um dos maiores violinistas da história. O músico estava em contato regular com os filhos de Andrea Amati e os luthiers da orquestra do rei Henrique IV da França, ao ser um dos mais famosos violinistas da época devido ao seu talento ímpar.

Com a chegada da sonata e do concerto, o violino torna-se assim num elemento importante, e até indispensável, de qualquer nova composição do século XVII.

Jean-Baptiste Lully torna-se violinista oficial da corte devido aos seus talentos inigualáveis neste instrumento. Este compositor não apenas reproduziu as peças elaboradas por Molière para Luís XIV, mas, além disso, o músico improvisava novas músicas durante as suas apresentações e criava as suas próprias obras no momento, algo bastante valorizado pela corte devido ao seu cariz exclusivo e, portanto, reservado apenas para a ocasião.

É neste momento que o violino se torna verdadeiramente um instrumento essencial em todas as composições musicais.

O violino volta a evoluir, mais tarde, no século seguinte.

O instrumento se tornou mais popular na França e Itália
Os violinos passaram a ter mais destaque após o século XVII

Violinos e o século XVIII

A técnica do violino continua a desenvolver-se durante o século XVIII.

Notavelmente, isso acontece graças às obras de músicos como Vivaldi, Locatelli e Tartini. Este século é marcado pelo período clássico e descobrimos então músicos intemporais como Amadeus Mozart, que escreveu muitas sonatas para violino.

Nesta época, o violino já estava estabelecido nas orquestras e os maestros eram, na sua vasta maioria, violinistas reconhecidos.

A cidade de Paris torna-se, neste século, um ponto de encontro para os violinistas europeus de forma a desenvolverem-se como músicos e ganharem mais visibilidade como tal. Um exemplo destes violinistas será Mozart que passará muito tempo compondo na cidade.

É também neste século que Antonio Vivaldi compõe a sua famosa obra "As Quatro Estações". Composta em 1723, cada concerto desta peça representa uma das quatro estações do ano. Estas músicas serão tão famosas que fazem parte das composições mais tocadas pelo mundo muito inteiro e são ainda hoje obras de referências para variadíssimas orquestras contemporâneas.

Isso já seria o suficiente para provar que o violino continua a firmar o seu lugar no século XVIII.

No entanto, neste período, a aparência do violino muda um pouco quanto ao seu fabrico e função. De facto, o aumento do uso do instrumento faz com que compositores e músicos procurem o melhor estilo de violino para satisfazer as suas necessidades como compositores: os luthiers alongaram o braço, a barra harmônica e o diâmetro da alma, peça estratégica para a qualidade sonora e o equilíbrio entre os graves e os agudos do instrumento.

Assim, os luthiers da época retomaram a base dos maiores violinos fabricados por Amati ou Stradivari para modificá-los ligeiramente de forma a responderem às necessidades musicais da época.

O violino manterá essa mesma estética até hoje.

Os violinos atuais são resultado de aperfeiçoamentos antigos
O som dos violinistas ficou mais claro com estas mudanças estéticas e funcionais

Aprender violino: a história contemporânea

Embora o mundo da música popular contemporânea insista muitas vezes em rejeitar instrumentos antigos como o violino, este ainda é um instrumento bastante estudado pelos músicos do século XXI.

No entanto, ele é muitas vezes pensado como um instrumento pertencente apenas à classe mais alta da sociedade atual, longe do seu início e história popular. O seu preço e os longos anos de prática necessários para que seja bem tocado são algumas das razões que desencorajam alguns dos seus amantes que desejam iniciar o seu estudo e prática.

A famosa música “Cânone”, de Pachelbel, tocada repetidas vezes nos últimos anos, e com uma nova versão disponível no YouTube, foi muito importante para que o violino voltasse à tona nos últimos anos. Na verdade, vários músicos colocaram online uma nova versão desta música tocada no violino elétrico para partilhar as suas habilidades e a multidisciplinaridade que este instrumento de cordas pode ter.

Além disso, o surgimento de novas formas de comprar o instrumento, com algumas opções em segunda mão, e a possibilidade de aprender violino usando a internet estão a ser essenciais para o aumento de popularidade que este tem ganho recentemente. Embora fosse necessário usar um luthier antes, agora é possível adquirir o instrumento, e até a sua versão elétrica para estudantes de música menos convencionais, por um valor mais reduzido em sites especializados em vendas à distância.

A reformulação da estética e da composição do violino não terminaram no século XVIII. O nascimento do violino elétrico no século XX marca um novo ponto de viragem no design e sonoridade deste instrumento. Agora é possível integrar este instrumento em composições mais populares, como em bandas de rock, de pop ou de folk, por exemplo. O violino elétrico pode ostentar novas formas, mais originais que as demais, e esta é uma maneira de se destacar da caixa de som clássica e se mostrar como um novo instrumento a ser valorizado por novos compositores por todo o mundo.

Violino sempre conquistou atenção
Sabia que o violino sempre teve um lugar muito importante na história da música? | Fonte: Pixabay

É especialmente com artistas como o grupo francês LEJ que a música erudita retorna ao palco e volta a ser comum que muitos jovens queiram começar a tocar instrumentos clássicos como o violoncelo ou o violino.

Outro artista que atualiza bem o uso do violino é André Rieu, maestro e violinista. Nos seus concertos, sempre grandiosos, ele une músicas clássicas a um repertório de obras contemporâneas e fora do circuito habitual. Ele mostra como é possível trazer músicas que geram boas lembranças e também apresentar o instrumento para um novo público mais moderno.

Para ser um bom violinista, é importante conhecer o passado do instrumento. Assim conseguirá compreender também as variações de cada estilo e como eles mudaram através dos tempos.

Se está a pensar aprender violino, saiba que está perante um instrumento muito versátil! Nunca foi tão fácil começar a estudá-lo como agora... As tecnologias digitais têm sido incríveis ajudas para os seus novos estudantes já que é fácil encontrar ferramentas capazes de ajudar qualquer um a melhorar as suas habilidades como músico através de tutoriais, vídeos no youtube, aulas particulares à distância, fóruns de discussão e muito mais.

A Superprof é uma das plataformas com mais sucesso no ensino à distância, com inúmeros professores à sua disposição, qualquer que seja a sua área de interesse.

Veja aqui tudo o que precisa de saber sobre o nosso programa de aulas de violino e dê início à sua carreira musical:

O que deve considerar na altura de escolher o professor ideal para si?

Para que tenha sucesso na sua aprendizagem é importante que opte por um mentor capaz de atender às suas necessidades e aos seus objetivos como músico violinista. Para tal, deve responder às seguintes questões, de forma a saber realmente o que procura num professor, antes de tomar a sua decisão final:

  • Qual o estilo musical que deseja aprender? Todos nós associamos o violino à música clássica, mas a verdade é que é possível aprender muitos outros estilos musicais neste instrumento. Para que não fique desiludido quanto ao seu percurso, nem perca a sua motivação ao longo das suas sessões, é importante que seja claro com o seu professor sobre o género musical que pretende aprender e que este saiba como o ensinar;
  • Qual o nível que deseja atingir como músico violinista? O conteúdo e o plano curricular das suas sessões em muito irão depender do grau de profissionalismo que deseja obter neste instrumento. Quer se trate apenas de um novo hobby, ou de algo do qual pretende fazer profissão, a tipologia do acompanhamento que deve obter do seu professor terá de ser pensada em função dessa sua vontade. Para isso, seja honesto com o seu instrutor e informe-o do que pretende conseguir com as suas aulas para que tire melhor partido desta sua nova iniciativa;
  • Qual a sua disponibilidade? Dependendo do seu estilo de vida e rotina diária, também deverá optar por um professor que se consiga encaixar no seu horário disponível para as aulas de violino. De igual forma, deverá escolher a tipologia de aulas que melhor se adeque ao seu perfil como estudante para ter sucesso como músico e continuar a evoluir ao longo das suas aulas.
  • Qual é o seu orçamento? Não menos importante, deverá ter em atenção que professores diferentes irão cobrar valores distintos pelas suas aulas. Este preço costuma variar de acordo com o que respondeu nas questões anteriores, dependendo também do currículo do seu professor. Naturalmente, um mentor com um percurso académico e profissional mais completo na área e com mais anos de experiência como professor irá cobrar um valor superior pelo seu tempo, comparativamente com um aluno de conservatório também no início do seu percurso como músico violinista.

Depois de responder a estas questões terá toda a informação necessária para que a sua escolha seja feita de forma consciente e adequada às suas motivações e necessidades.

Emanuel Salvador é outro violinista português que tem conquistado cada vez mais atenção!

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Ricardo

Marketeer. Professor. Country Manager. Redator. Dedicação a 200% em tudo o que me comprometo ao longo da minha vida. Adoro as diferentes personalidades existentes em ambiente profissional e social. Em constante transformação. Escrevo para partilhar o meu conhecimento e entusiasmo aos leitores que queiram ver respondidas as suas questões ou aprofundar algum tema.