A resposta pode parecer banal, mas é a pura verdade: não há idade para aprender a tocar piano. Alguns pianistas muito talentosos começaram a tocar na idade adulta ou mesmo em idade avançada. Outros aprenderam o instrumento ainda quando criança...

Iniciar o piano aos 5 ou aos 60, não importa: a chave para o sucesso é a motivação.

Quer uma inspiração? Por acaso você já ouviu falar de Arthur Moreira Lima? Pois bem...

Começar a tocar o piano bem jovem (crianças antes de 6 ou 7 anos)

Existe uma idade mínima para começar a tocar piano e procurar uma boa aula de teclado para iniciantes ou de piano?

Não existe uma resposta clara para esta questão. Algumas crianças começam a tocar piano com 3 ou 4 anos de idade. A maioria dos grandes compositores de música começaram a tocar o piano muito cedo.

De acordo com alguns estudos, não vale a pena ensinar o piano para crianças com menos de 3 anos e meio: elas são ainda muito jovens para se lançar em um estudo relativamente complexo de um instrumento (como por exemplo postura corporal, coordenação entre as mãos, concentração...).

As aulas de piano voltadas para crianças mais novas são muito diferentes daquelas voltadas a adolescentes ou adultos. Trata-se de iniciação musical, que tem como objetivo principal fazer a criança descobrir o mundo da música, as sensações rítmicas e melódicas. Saiba que a palavra-chave no ensino pedagógico do piano é diversão. Aprender o piano na idade infantil exige a execução de atividades lúdicas e divertidas.

Como incentivar os mais jovens aos estudos do piano?
Uma criança quer se tornar pianista: uma oportunidade única!

Seu filho não vai pegar o gosto da música se você quiser ensiná-lo à força alguma obra em particular ou se você for muito exigente.

Ele vai desistir e se recusar a continuar com as aulas. Forçar uma criança a tocar piano nunca vai ser a melhor maneira de fazê-lo progredir nos estudos. É até mesmo um eufemismo, pois você vai provocar uma desmotivação na criança em relação do piano.

Se ela não conseguir apreciar o ato de tocar e encarar isso como uma tarefa difícil, como um sacrifício, ela não terá a motivação necessária nem a vontade certa para progredir. Uma criança, como todo ser humano, só "caminha" em função a motivação. Sem motivação, não é possível progredir. Para se manter motivado, você precisar gostar de verdade do que faz. No caso dos mais jovens, trata-se acima de tudo de se divertir.

Lúdico não significa inútil. Pelo contrário. A criança adquire um ouvido musical, uma sensibilidade musical e uma relação especial com o piano. E esse conhecimento prévio do instrumento será útil mais tarde, quando as oficinas de iniciação se transformarão em verdadeiras aulas de piano, com técnica, prática e teoria musical. O progresso em relação ao aspecto técnico é muito lento no início. Você pode optar por uma aula de teclado online para ver se a criança se sente a vontade no aprendizado.

Mas o essencial está lá.

Uma dica para fazer seu filho gostar do piano: apresentá-lo ao instrumento como se fosse uma oportunidade única ou uma recompensa. Basicamente assim: se você se comportar, for um bom menino, vai poder tocar o piano hoje. É necessário que a criança, com a ajuda de seus pais e das pessoas de sua convivência, valorize o piano pelo que ele é. Ela precisa se sentir sortuda por ter a chance de aprender a tocar um instrumento tão poderoso.

Agora que você já sabe que aprender piano antes de 6 anos é perfeitamente possível, aqui estão algumas dicas concretas que também ajudarão a motivar seu filho:

  • Incentive-o e elogie-o regularmente pelo seu progresso (mesmo que eles não sejam assim tão incríveis!)
  • Escolha um professor particular com didática, paciente, que siga uma metodologia adequada à idade da criança e que tenha bom humor. Quanto mais lúdica for a aula de teclado ou piano, mais a criança aceitará os aspectos técnicos da aprendizagem do piano.
  • Escolha um método adequado para crianças muito novas, ou seja, um método fácil, lúdico e divertido, com desenhos, pequenas histórias, até jogos musicais, etc. Você também pode escolher o método juntamente com seu filho, levando-o até uma loja de música.

Nunca se esqueça de que aprender o piano faz bem às crianças!

Aprender a tocar o piano em idade adolescente

Como os jovens podem se interessar por aulas de teclado.
É preciso valorizar todas as cores do instrumento para que o adolescente pegue o gosto do piano!

Como mencionado acima, não há idade para começar a tocar piano. Se os menores podem se iniciar bem cedo, a partir de 3 anos, está claro que não há nenhum problema se o adolescente (entre 12 e 18 anos) também quiser praticar. Em termos de técnica de piano, aprende-se mais depressa quando se é adolescente do que quando mais jovem. Os músculos dos dedos já estão bem formados e as capacidades intelectuais mais desenvolvidas.

Como encontrar um professor de piano para criança e adolescente? É muito importante encontrar o profissional certo quando o aluno está em idade adolescente e deseja começar sua aula de teclado ou piano (ou se for orientado pelos pais).

Alguns jovens chegam a odiar o piano por causa de um professor ruim, ou melhor, que não era adequado às suas demandas. Por outro lado, bons encontros promovem o gosto pelo ensino musical. O relacionamento humano mantido entre o educador e o adolescente é decisivo nessa questão.

Para um adolescente, um bom professor de piano é aquele que é capaz de se adaptar aos gostos musicais de seus alunos. Os adolescentes às vezes têm uma visão negativa do piano, pelo fato de ser considerado como o instrumento da música clássica e aristocrata por excelência, ao contrário do violão, associado à cultura popular e mais "moderno" e "legal".

É importante desmistificar essas afirmações para que o adolescente pegue gosto por suas aulas. Pode-se, por exemplo, reproduzir músicas de filmes ou de videogames no piano. Mais amplamente, o piano se adapta a todos os estilos de música. Pode-se tocar tudo nele, ao contrário de alguns instrumentos que são mais limitados (o violino, por exemplo, e até mesmo o violão em alguns aspectos).

Para concluir, se o professor não se adaptar ao aluno (e vice-versa), não hesite em mudar de profissional. A motivação, como já vimos, é o principal motor e fonte de progresso no piano. Desde a primeira infância. Mas para os adolescentes, existem duas fontes de motivação que devem ser ativadas para que o ensino do piano ocorra nas melhores condições:

  • Faça uma boa imagem do piano. Faça-o criar gosto por ele, lembrando de todas as suas potencialidades.
  • Encontre o professor certo.

Por que inscrever seu filho em aulas de piano?

Começar o piano em idade adulta

Há muitos adultos que se recusam a tocar o piano porque acham que não conseguem. A ideia de que é impossível aprender em idade avançada é um mito. É um clichê que impede muita gente de entrar para o universo musical, infelizmente.

Como qualquer mito, há muitas vezes um lado verdadeiro na história. Sim, de fato, quanto mais jovens somos, mais importantes são as habilidades para aprender e estudar. As crianças pequenas aprendem línguas muito mais facilmente do que os adultos. É um fato. Portanto, não é algo exclusivo ao piano. Sim, aprender é mais simples quando somos mais jovens.

Mas isso não é uma razão para tomar esse fato como verdade suprema e torná-la uma fatalidade. Felizmente, qualquer um pode continuar a aprender, e aprender a tocar piano enquanto adulto. No sentido mais amplo, o mundo ficaria muito triste se abandonássemos todos os projetos de estudo em idade adulta, não é mesmo?

Portanto, nada impede que você comece a tocar piano aos 30, 40 ou 60 anos. Mais uma vez, alguns pianistas muito talentosos começaram o piano mais tarde. O fato de os dedos serem mais rígidos na idade adulta não é um argumento muito convincente. Os exercícios estão lá para desatar a flexibilidade da mão.

Qual a idade limite par aprender música?
Nunca é tarde demais para aprender o piano.

Uma criança, ao contrário de um adulto, ainda não possui dedos totalmente formados, especialmente do ponto de vista muscular. Com o exercício, seus dedos se transformam e adquirem força muscular que não tinham. Em relação aos dedos, os esforços feitos por uma criança são pelo menos tão importantes quanto para um adulto. A rigidez dos dedos não é uma fatalidade e não pode desencorajá-lo de tocar piano.

Na realidade, existem basicamente dois fatores que dificultam a aprendizagem do piano para um adulto: 1. Motivação e 2. Falta de tempo.

Motivação em primeiro lugar. Já vimos em que medida ela é absolutamente essencial para aprender a tocar piano e, em especial, progredir nos estudos. E muitas vezes motivação é o falta aos adultos. Os adultos, ao contrário de crianças muito novas, sabem que terão de trabalhar arduamente para atingir seu objetivo final: tocar bem no piano.

A perspectiva desse trabalho longo, regular e assíduo que é necessário aos estudos representa um desânimo poderoso e perigoso. É difícil listar aqui todos os motivos e argumentos certos para que você encontre a motivação necessária. Mas aqui vai um: um adulto altamente motivado tem muito mais habilidade para aprender do que uma criança. Se a motivação estiver presente, o progresso pode ser deslumbrante.

Nunca é tarde demais para se iniciar no piano!

Segundo fator: a falta de tempo. A maioria dos adultos têm uma atividade profissional e muitas vezes uma família, com crianças, uma vida de casal, etc. O que não ajuda muito. Como encontrar o tempo necessário para tocar piano em casa, uma vez que o trabalho regular é fundamental para avançar? A falta de tempo é uma barreira evidente, e difícil de ser vencida. Mas você tem que saber lidar com isso.

E, mais precisamente, na maioria das vezes é possível driblar isso. Uma pesquisa da GFk constatou que um adulto no Brasil passa, em média, cinco horas por dia na frente da televisão. Isso é um absurdo!

Todo mundo tem tempo livre. Basta querer encontrar esse momento (exceto em casos excepcionais). Às vezes, a falta de tempo é lá no fundo uma grande desculpa. Vale a pena parar e observar como você organiza seus dias. Será que você não consegue reservar uma hora a cada três dias para tocar piano? Você verá que é bem possível que sim.

Como você pode ver, não há idade para aprender a tocar piano, mesmo que cada idade tenha suas próprias restrições. Se você está motivado, tudo é possível, incluindo a realização de seus projetos pianísticos mais loucos!

Como são as aulas de piano?

Em função da idade e do nível do aluno, as aulas de piano duram têm durações variadas. Em geral, em uma escola de música, por exemplo, as aulas ocorrem uma vez por semana.

É claro, tudo depende da escola ou do conservatório. Mas sobretudo no início dos estudos, uma ou duas horas de teoria da musical podem ser dadas por semana, bem como um curso de formação musical ou uma prática coletiva em orquestra, por exemplo.

Teoria musical para piano
Com aulas de piano, você vai aprender a ler partituras como essa rapidinho.

A relação entre aluno e professor de música é igualmente importante. E isso porque é nessa relação que se cria uma base de confiança, que leva ao sucesso no aprendizado e influencia muito na motivação do aluno.

E lembre-se: é absolutamente fundamental que exista um bom feeling entre o professor e o aluno! Caso contrário, recomendamos trocar de profissional.

A evolução e o andamento do aprendizado acontece naturalmente se houver um bom entendimento, uma pedagogia adequada e uma relação que passe confiança ao aluno.

Aulas de piano: os objetivos variam de acordo com o nível

Você deve muitas vezes se perguntar: mas quais são as metas de uma aula de piano? Quais objetivos vou atingir depois do meu curso? Pois bem. Saiba que tudo isso vai variar em função do seu nível de estudos.

Caso você seja iniciante, seu programa de estudos certamente irá incluir:

as partes que compõem o piano

  • aprender o nome das teclas e das notas
  • praticar escalas e dedilhados
  • o posicionamento e a agilidade das mãos e dos dedos,
  • a independência de ambas as mãos
  • postura corporal
  • teoria musical,
  • o ritmo,
  • leitura de partitura,
  • definição dos ritmos que pretende estudar

Provavelmente esses serão os primeiros objetivos que você deverá alcançar ao longo de suas aulas.

Caso você seja um estudante mais experiente, as aulas de teclado podem ter dois objetivos distintos, às vezes complementares:

  • Consolidar seus conhecimentos práticos e teóricos (solfejo). É comum ouvir dizer que aprender a tocar piano é como aprender a andar de bicicleta: você nunca vai se esquecer. Pois bem, isso em parte é verdade, mas é sempre recomendado consolidar seus conhecimentos se você deseja retomar o estudo ou a prática. Por exemplo: caso você tenha aprendido a tocar quando criança ou adolescente e depois parou de praticar o instrumento, antes de voltar a estudar, é muito válido fazer várias aulas voltadas para que você se lembre do que já tinha aprendido. Isso vai ajudá-lo a se relembrar do que aprendeu no passado e economizar tempo. O educador pode aconselhá-lo sobre as formas de otimizar a recuperação do aprendizado do piano.
  • Aprofundar ou especializar certas técnicas e/ou conhecimentos. Se você tem a intenção de tocar mais depressa, ganhar fluidez, tocar músicas mais complexas, aprender a fazer um bom improviso, ou seja, progredir? Você vai precisar fazer aulas. É muito mais simples e mais eficaz do que estudar sozinho em sua casa, e correndo o risco de adquirir vícios e maus hábitos.

Quer um conselho? Quando for escolher o profissional que irá ensiná-lo piano, leve primeiro em consideração o seu nível.

Sabia que alguns educadores dão aulas apenas para iniciantes ou então para intermediários. Antes de decidir definitivamente quem será seu formador, pergunte se o conteúdo que ele dispõe está alinhado ao seu nível e a seus objetivos pessoais.

Mesmo que você pretenda aprender o piano somente para tocar na sua casa, saiba que os objetivos variam muito em função do nível de estudos e do que você realmente tem como meta pessoal.

É possível aprender a tocar piano sem um professor?

Vamos encarar a realidade: iniciar seus estudos de piano sem um tutor ou uma ajuda de algum profissional especializado exige dedicação e esforço. A menos que você se chame de Mozart, Beethoven ou Bach, claro!

E quando o assunto é estudar sozinho, método e organização são requisitos fundamentais.

É preciso, simultaneamente e constantemente, preparar as aulas de piano, praticar e avaliar a si mesmo para poder corrigir seus erros.

Nem todos conseguem essa façanha: em geral a preparação da aula e a avaliação fazem parte das principais habilidades e funções dos pedagogos. Sem um curso de piano iniciante ministrado por um educador, é possível que você encontre muitas dificuldades de progredir com eficácia.

Conheça algumas possíveis barreiras que você pode encontrar no caminho:

  • Os erros de digitação são comuns e facilmente corrigidos por um educador. Mas como um autodidata, você precisará ser muito rigoroso para vencê-los, antes que se tornem um vício;
  • Nem sempre é fácil seguir um ritmo: daí a importância de investir em um metrônomo;
  • O mau posicionamento dos braços ou pulsos, além de prejudicar o seu desempenho, pode deixá-lo com dores. Um professor vai corrigi-lo desde o início, e fazê-lo sozinho será mais difícil. Não hesite em se filmar para verificar sua postura.

Mas não desanime! É sim possível aprender piano sozinho. Mas saiba que você vai precisar de algumas habilidades: autoavaliação, observador e autocrítico, paciente, organizado.  Enfim, alguém multitarefa!

E lembre-se: veja vídeos online, aprenda e faça cursos e tutoriais no youtube com professores (muitos são gratis), pesquise partituras e acordes..... A internet está aí para complementar seus estudos!

Os desafios do auto-aprendizado do piano

Umas das maiores causas de desistência de aulas de piano online (ou presenciais) não é a motivação, mas a falta de organização.

E isso é fato: seja no aprendizado de qualquer conteúdo, qualquer conhecimento, a prática, a persistência e a paciência devem prevalecer. E para facilitar esse processo, nada melhor do que estabelecer pequenas atitudes no dia a dia. E essa teoria se aplica bem quando o assunto é aprender piano online.

Dominar um instrumento não acontece da noite para o dia: isso, aliás, é válido para tudo na vida. Uma boa dose de motivação é fundamental para dar os primeiros passos. E é preciso que essa motivação se mantenha forte até que se tome gosto pela novidade em questão.

Uma grande dificuldade encontrada por muitos na modalidade online é que você se torna seu próprio professor: ninguém está ali para impor um ritmo ou cobrar dedicação aos estudos: tudo isso depende exclusivamente de você.

Não quer se render ao desânimo? Nosso conselho é que você estabeleça uma agenda de dias e horários a serem cumpridos, e faça de tudo para segui-los rigorosamente. Além disso, elabore uma lista de exercícios e atividades condizentes com o seu nível. São atitudes que podem contribuir e facilitar para o seu aprendizado.

Por fim, nossa última e não menos importante dica: divirta-se ao estudar! As aulas de piano devem ser uma atividade prazerosa para você, uma parte "leve" em seu dia a dia. Nunca uma obrigação! Caso contrário, poderá fazer com que você perca o entusiasmo rapidamente.

Aprender a ler uma partitura sem um curso de piano é complicado, mas o autodidata ainda se fará outras perguntas.

Aprenda algumas músicas de piano acessíveis a principiantes

Para progredir, é importante escolher músicas que você goste, de acordo com seu estilo de música preferido. Mas elas também não podem ser muito difíceis de tocar.

Mesmo que você esteja frequentando aulas em uma escola, é muito importante prosseguir seus estudos também em casa, para progredir e evoluir no aprendizado do piano.

Aqui estão algumas canções de piano perfeitamente acessíveis para os pianistas aprendizes para ajudá-lo:

  • Mistral gagnant, de Renaud;
  • Let It Be, dos Beatles;
  • My heart will go on, de Celine Dion;
  • Gymnopédie, de Erik Satie;
  • Für Elise, de Beethoven;
  • Aleluia, de Leonard Cohen;
  • My baby just cares for me, de Nina Simone;
  • No surprises, do Radiohead;
  • Imagine, de John Lennon;
  • Dream on, de Aerosmith;
  • A maioria de Yan Tiersen;
  • Breakfast in Amercia, do Supertramp;
  • Angie, dos Rolling Stones;
  • Someone like you, de Adele;
  • Back to black, de Amy Winehouse.
Precisa de um professor de Piano ?

Gostou deste artigo?

0 voto(s)
Loading...

Ricardo

Marketeer. Professor. Country Manager. Redator. Dedicação a 200% em tudo o que me comprometo ao longo da minha vida. Adoro as diferentes personalidades existentes em ambiente profissional e social. Em constante transformação. Escrevo para partilhar o meu conhecimento e entusiasmo aos leitores que queiram ver respondidas as suas questões ou aprofundar algum tema.