Mesmo sendo a nossa língua materna e a que utilizamos todos os dias, não é difícil cometer erros de ortografia a escrever. Na verdade, o português é um língua difícil, com variados tipos de acentuação, as silabas tónicas das palavras e a sonoridade semelhante de diferentes consoantes.

No início da aprendizagem, é muito comum as crianças errarem a distinguir entre o "s", o "ss" e o "ç". Também têm bastante dificuldade em diferenciar entre o "à" e o "há" e em utilizar os acentos corretos. Já para não falar nas dificuldades em assinalar de forma correta a pontuação na separação das frases. Mas essas dúvidas prolongam-se até depois do final do percurso escolar.

Há adultos que mesmo nos dias de hoje ainda não sabem escrever corretamente, porque não foi dado ênfase suficiente ou foram utilizados métodos errados durante o seu ensino. O facto de aumentarmos o nosso vocabulário através da oralidade ou do contacto com conteúdo falado (como músicas ou séries de televisão) ajuda a que se cometam mais erros quando temos que escrever essas palavras.

Mas isso não é desculpa para não saber escrever sem dar erros ortográficos. Nos dias de hoje temos acesso a variados recursos que podemos utilizar, entre corretores automáticos e dicionários online, para perceber como se escrevem corretamente as palavras em português. Por isso, ficam aqui algumas das nossas dicas sobre como melhorar a escrita, a ortografia e evitar cometer erros ortográficos desnecessários.

aluno e professor a praticar escrita
A ortografia é algo que é trabalhado pelo professor em cada aula do curso de língua portuguesa, mas o método, material e exercícios utilizados para os estudos podem não ser o ideal para todos os alunos. | Fonte: Pexels.com

Sabe a importância que o curso de português tem no percurso escolar?

Os melhores professores disponíveis
Tiago
Tiago
5€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
5
5 (4 avaliações)
Duarte
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Anders
5
5 (1 avaliações)
Anders
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Prof. André lamounier
5
5 (7 avaliações)
Prof. André lamounier
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alberto
4,9
4,9 (34 avaliações)
Alberto
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (2 avaliações)
Mariana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Andrea
5
5 (25 avaliações)
Andrea
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Feodor
5
5 (9 avaliações)
Feodor
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Paul
5
5 (27 avaliações)
Paul
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fábio
5
5 (8 avaliações)
Fábio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Márcio
5
5 (8 avaliações)
Márcio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (31 avaliações)
Susana
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Kauê
5
5 (13 avaliações)
Kauê
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Catarina
5
5 (5 avaliações)
Catarina
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Cristiana
5
5 (36 avaliações)
Cristiana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (14 avaliações)
Teresa
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (12 avaliações)
Mariana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Tiago
Tiago
5€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
5
5 (4 avaliações)
Duarte
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Anders
5
5 (1 avaliações)
Anders
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Prof. André lamounier
5
5 (7 avaliações)
Prof. André lamounier
30€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Alberto
4,9
4,9 (34 avaliações)
Alberto
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (2 avaliações)
Mariana
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Andrea
5
5 (25 avaliações)
Andrea
17€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Feodor
5
5 (9 avaliações)
Feodor
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Paul
5
5 (27 avaliações)
Paul
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Fábio
5
5 (8 avaliações)
Fábio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Márcio
5
5 (8 avaliações)
Márcio
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (31 avaliações)
Susana
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Kauê
5
5 (13 avaliações)
Kauê
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Catarina
5
5 (5 avaliações)
Catarina
16€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Cristiana
5
5 (36 avaliações)
Cristiana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Teresa
5
5 (14 avaliações)
Teresa
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Mariana
5
5 (12 avaliações)
Mariana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Diferenças na ortografia após o acordo ortográfico

O português que conhecemos, falamos e escrevemos nos dias de hoje tem um aspeto muito diferente daquele que existia nos séculos passados e até mesmo daquele que era utilizado há algumas décadas atrás. Isto porque foi evoluindo e sendo alterado de acordo com as alterações da sociedade, as especificidades do idioma e a necessidade de unificação e uniformização com outros países de língua portuguesa.

Por esse motivo, foi sofrendo algumas alterações que influenciam a forma como escrevemos certas palavras, que anteriormente tinham uma ortografia ligeiramente diferente. Para que tenha uma melhor ideia de quais foram as alterações implantadas, seguem-se os acordos e reformas ortográficas mais importantes no país:

  • reforma ortográfica de 1919: esta foi a primeira reforma oficial em Portugal desde a reforma que deu surgimento à escrita autónoma no século XIII. Foi uma reformulação profunda da linguagem como era conhecida, uma vez que modificou completamente o aspeto gráfico da sua escrita e o aproximou bastante daquele que conhecemos e utilizamos nos dias de hoje;
  • acordo ortográfico de 1945: este acordo foi desenvolvido numa convenção ortográfica a 6 de outubro de 1945 em Lisboa, entre a Academia das Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras. Foi nele que se estabeleceram as bases da ortografia para todos os territórios da nação lusitana (que à data do acordo e até 1975 incluíam o território europeu de Portugal, continental e as ilhas, e as províncias ultramarinas que possuíamos na Ásia e em África);
  • acordo ortográfico de 1990: este novo acordo teve como objetivo instaurar uma ortografia oficial e que fosse utilizada em todos os países de língua oficial portuguesa, com o objetivo de pôr fim à maioria das diferenças existentes nas duas normas ortográficas oficiais distintas, uma utilizada no Brasil e outra nos restantes países;
  • reforma ortográfica em 2009: esta reforma ortográfica foi simplesmente a implementação do acordo ortográfico proposto em 1990, que ainda não tinha sido implementado em Portugal, e que se mantém como o acordo ortográfico em vigor até à atualidade.

A implementação deste acordo ortográfico trouxe um grande tumulto às aulas e ao ensino português, uma vez que ainda que fosse existente, era na verdade inutilizado. Foi necessário um grande período de adaptação, para que os alunos, e até mesmo os professores, se pudessem habituar à nova ortografia.

O "novo" acordo ortográfico foi visto como algo negativo por vários membros do ensino português, uma vez que não oferece a uniformização total que prometia (certas palavras continuam a ser escritas de forma distinta em português de Portugal e em português do Brasil, por exemplo fato e facto) e certas regras parecem ser aleatórias, como é o caso da hifenização ou não-hifenização de certas palavras.

Todas estas questões, aliadas ao facto de que grande parte da população já não se encontrava na escola aquando da implementação do novo acordo, fizeram aumentar as dúvidas em relação à ortografia correta e facilitaram a proliferação de erros ortográficos naquelas pessoas que já tinham dificuldades anteriormente.

linhas escritas em caderno
A ortografia é uma parte muito importante da educação e deve ser praticada nas aulas juntamente com a leitura e interpretação de textos, os verbos e a gramática e a redação escrita. | Fonte: Pexels.com

Sabe como a matéria da aula de português pode ajudar nos exames nacionais?

Empobrecimento da ortografia com as novas tecnologias

Juntamente com o novo acordo ortográfico, também as novas tecnologias vieram empobrecer as capacidades de ortografia dos portugueses, piorar a sua qualidade de escrita e aumentar a quantidade de dificuldades. Com isto não queremos dizer que as novas tecnologias são obrigatoriamente prejudiciais ou que influenciam os utilizadores a escrever mal. Nada disso, aliás as tecnologias e os recursos online são grandes aliados na aprendizagem.

No entanto, a popularização das mensagens escritas, da comunicação por email e nas redes sociais, alterou a forma como se comunica e como se escreve. É raro ver-se uma SMS ou um comentário ou publicação numa rede social que não inclua abreviações ou substituições de consoantes por outras que tenham a mesma sonoridade ("q" ou "c" por "k", "ss" ou "ch" por "x").

Como acontece com qualquer outra capacidade, quanto menos vezes treinarmos a ortografia mais difícil será lembrar-nos de como se escreve corretamente. Por isso, a utilização de ortografia ou linguagem incorreta no contexto online pode ter efeitos graves na sua utilização do dia a dia.

Isto não quer dizer que não possa utilizar uma abreviação quando precisa de enviar uma mensagem breve ou com pouca informação. No entanto, deve evitar fazê-lo muitas vezes ou durante um longo período de tempo, de forma a não correr o risco de fazer disso um hábito. Também não é necessário evitar os corretores automáticos, são uma ótima ferramenta para verificar se estamos a escrever corretamente e sem cometer erros ortográficos. Aquilo que não devemos fazer é confiar cegamente neles ou depender da sua utilização para poder escrever corretamente.

folha branca e lápis
Atualmente temos disponível recursos online que corrigem a ortografia e, por isso, a professora da escola foca-se mais noutras questões da educação dos alunos. | Fonte: Pexels.com

Sabe qual é a influência do português na aprendizagem de uma criança?

Dicas para escrever sem erros ortográficos

Tendo em conta o novo acordo ortográfico e tentando não utilizar o corretor automático pode parecer impossível escrever sem cometer erros ortográficos, principalmente se isso for algo é que não foi dado ênfase suficiente durante as aulas. Mas o facto de já não estar a estudar na escola e não ter o apoio de um professor, não quer dizer que não seja possível treinar para não cometer erros ortográficos.

Vamos começar pelo básico, e aquilo que foi alterado pelo acordo ortográfico. Escrevem-se apenas as letras que se pronunciam, ou seja, continuamos a ter um "traje de fato" e "constatações de facto". Por outro lado, passamos a ter "exceções" e "objetos", uma vez que o "p" e "o" c eram silenciosos. Não é assim tão difícil pois não?

No caso do hífen, os casos mais comuns que deve manter em mente são os das palavras formadas por prefixos que terminam em vogal e o segundo elemento começa pela mesma vogal, como micro-ondas, formadas pelos prefixos "hiper", "inter" e "super", quando o segundo elemento começa por "r", como "inter-regional" e nos termos que designam espécies botânicas e zoológicas, como "feijão-verde", por exemplo. No que diz respeito às letras maiúsculas e minúsculas, passam a ser escritas com letra minúscula os nomes dos meses e das estações do ano e os pontos cardeais. Nos restantes termos não existe alteração ou a opção é facultativa.

A melhor forma de praticar para cometer menos erros ortográficos é escrever muito e incentivar a leitura. Uma boa opção é escrever sem corretor automático mas num sistema que tenha dicionário integrado (atualizado ao novo AO) que lhe permita perceber quais são os erros que comete mais frequentemente e que deve corrigir. Além disso, sempre que ouvir uma palavra nova deve verificar a sua ortografia num dicionário, seja físico ou online, para garantir que a escreve sempre corretamente.

palavras num caderno
Devem ser realizados exercícios de verbos e componente verbal, de leitura e de redação, mas também de ortografia para garantir que os alunos escrevem mais do que o básico durante o curso. | Fonte: Pexels.com

E se sentir que precisa de ajuda para entender todas estas regras, independentemente de ser um aluno que ainda está a aprender na escola ou já ter terminado os estudos, pode optar por ter aulas particulares de português para ter ajuda com as questões de ortografia em que tem mais dúvidas e ter acesso a apoio personalizado.

Um professor particular irá estruturar cada aula de acordo com as necessidades específicas de cada aluno e terá disponível material de apoio e exercícios para poder treinar a ortografia, mas também a leitura e interpretação de textos, os verbos e a gramática portuguesa ou até mesmo a redação se forem essas questões que precisa de estudar fora da sala de aula.

Este apoio com aulas personalizadas permite estudar e aprender o conteúdo que achar necessário com acesso a um professor disponível apenas para ajudar o aluno, independentemente de ser durante ou depois do curso.

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.