Alguns dos alunos que sentem mais dificuldades de aprendizagem não conseguem melhorar o desempenho escolar que levará então, no sentido contrário ao sucesso escolar, mesmo ao assistir a explicações particulares online com os seus professores. Perante esta situação, os jogos podem ser um poderoso recurso de aprendizagem.

De acordo com alguns dados históricos, as primeiras civilizações a entender que o uso dos jogos didáticos poderiam ser bons aliados à aprendizagem terão sido os gregos e os romanos. O próprio Platão reconheceu a importância da aprendizagem através de vários métodos diferentes que estimulem o aluno, em vez do uso da violência e da repressão.

Posteriormente, também Aristóteles se manifestou acerca da relevância de uma instrução com recursos lúdicos para a preparação da vida adulta, o que destacou a capacidade educativa dos jogos e das brincadeiras.

Os desenhos e o mundo interior das crianças nas aulas particulares de apoio ao estudo
A educação é essencial mas, existem vários métodos e formas que devem ser utilizados nas explicações particulares com o objetivo de atingir o sucesso escolar no futuro. | Fonte: Pixabay

Hoje em dia, uma das grandes questões sobre o envolvimento dos jogos na aprendizagem é como encontrar o seu ponto de equilíbrio, pois as actividades não devem ser desinteressantes ao ponto de perder o seu carácter lúdico mas, não devem também ser demasiado focadas apenas no divertimento e acabar por perder o contexto de sala de aula. 

Seguem então, algumas ideias de reforço para poder dar aulas particulares divertidas com uso de vários recursos!

Os melhores professores de Explicações disponíveis
1ª aula grátis!
Eulália marques
5
5 (3 avaliações)
Eulália marques
7€
/h
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (8 avaliações)
Isabel
6€
/h
1ª aula grátis!
Pedro
5
5 (15 avaliações)
Pedro
13€
/h
1ª aula grátis!
Samuel
5
5 (14 avaliações)
Samuel
3€
/h
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
1ª aula grátis!
Eugénia
5
5 (5 avaliações)
Eugénia
10€
/h
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (10 avaliações)
Susana
10€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (15 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula grátis!
Eulália marques
5
5 (3 avaliações)
Eulália marques
7€
/h
1ª aula grátis!
Isabel
4,9
4,9 (8 avaliações)
Isabel
6€
/h
1ª aula grátis!
Pedro
5
5 (15 avaliações)
Pedro
13€
/h
1ª aula grátis!
Samuel
5
5 (14 avaliações)
Samuel
3€
/h
1ª aula grátis!
Sandra
5
5 (30 avaliações)
Sandra
9€
/h
1ª aula grátis!
Eugénia
5
5 (5 avaliações)
Eugénia
10€
/h
1ª aula grátis!
Susana
5
5 (10 avaliações)
Susana
10€
/h
1ª aula grátis!
Francisco
5
5 (15 avaliações)
Francisco
15€
/h
1ª aula gratuita>

Os benefícios de aliar os jogos às explicações

Como já referimos, existem alguns alunos que por diversos motivos sentem dificuldades em acompanhar os colegas dentro da sala de aula, como se pode confirmar através dos resultados dos exames nacionais.

Estes resultados podem também ser explicados pela origem social desigual dos alunos na escola. Se o próprio plano delineado pelo Ministério da Educação não dá garantias de funcionar em todos os casos, porque não encontrar uma outra forma de poder atingir o sucesso escolar, seja através do ensino em casa ou de aulas de apoio escolar online?

Os jogos têm uma dimensão social importante, quando um aluno está a jogar, este experimenta o mundo e está a desenvolver a sua própria inteligência e forma de pensar. Sejam estes individuais ou colectivos, corporais ou sensoriais, cooperativos ou comunicativos, associativos ou competitivos, os diferentes aspectos dos jogos ajudam a melhorar o nível escolar das crianças.

Ao completar os exercícios interativos dos jogos, cada aluno explora um mundo diferente, constrói imagens mentais e crias as suas próprias conexões neuronais.

Os jogos lúdicos podem ser usados nas aulas de apoio escolar
Os jogos permitem que as crianças aprendam enquanto se divertem e desenvolvem a sua criatividade. | Fonte: Pixabay

Através do jogo cooperativo entre o professor e os alunos, estes aprendem a tomar decisões colectivamente, além de poderem também desenvolver um respeito mútuo e de solidariedade.

O jogo lúdico (livre e espontâneo, motor da imaginação e criatividade), o jogo pedagógico (que segue um objectivo específico de aprendizagem) e o jogo educativo têm como principal objectivo associar o prazer ao trabalho, ao contrário dos livros escolares que podem ser vistos como algo enfadonho por vários alunos.

Em Portugal e também no mundo as escolas abandonam os jogos e a diversão a partir do momento em que a criança inicia o seu percurso escolar no ensino básico mas, no entanto, estes permitem que o aluno desperte a motivação pelo estudo.

O jogo é para a criança um espaço exploratório onde ela exerce livremente todas as suas possibilidades em todos os campos.

Brincar vai motivar o aluno, facilitar a sua concentração e também estimular a memória. Durante os exercícios interativos, o aluno é activo e descobre o seu próprio papel, as suas responsabilidades.

Jogar permite que este consiga desenvolver uma metodologia de trabalho e reduz ao mesmo tempo a perspectiva de falha e de erros, as duas armadilhas mais fatais para qualquer aluno.

Jogos e brincadeiras nas explicações infantis

Jogos de adivinhas, colagens, jogos de colorir, jogos em grupo, puzzles, actividades artísticas (pintura, desenho, iniciação musical), dominó, jogos de cartas, são tantos os jogos que podem ser oferecidos a uma criança em aulas de apoio escolar ou reforço em casa!

Seja na educação infantil ou no ensino básico, estas actividades proporcionam à criança uma ajuda personalizada, ao seu próprio ritmo.

Utilizando o exemplo do método Montessori, inserir os jogos na educação é um acto pedagógico. Seguem alguns exemplos do que um professor particular pode oferecer às crianças:

  • Tapetes de actividades com padrões geométricos com objetivo de estimular a memória visual;
  • Vários tipos de bola, para aprender formas, texturas, números, entre outros;
  • Arco-íris, que é uma ferramenta muito utilizada no método Montessori e serve para ensinar as cores, como empilhar, classificar e até a identificar diferentes dimensões;
  • As bonecas russas que servem para desenvolver várias habilidades como a motricidade fina e a autonomia de cada um;
  • Caixas de som que servem para estimular os cinco sentidos da criança;
  • Instrumentos musicas como a guitarra ou o piano ajudam a melhorar as capacidades de concentração, estimulam a criatividade e até melhoram a capacidade de apreender novas línguas;
  • Os espelhos, que são um instrumento fundamental de socialização para o autorreconhecimento e também reconhecimento de dimensão espacial e que permite os mais novos conhecerem-se a eles próprios.

Existem vários métodos diferentes para dar aulas de apoio escolar particulares desde cedo para diferentes professores. Isto, claro que terá alguns custos associados mas, sendo o sucesso escolar o objectivo principal de qualquer encarregado de educação, há sempre várias formas de conseguir o melhor para os mas novos.

Crianças e jogos didáticos para preparar o sucesso escolar
Os jogos didáticos são uma boa forma de ensinar as crianças e ajudá-las a desenvolver várias capacidades. | Fonte: Pexels

Com a Superprof, existem mais de 20.000 professores particulares em todo Portugal e os valores médios encontram-se nos 12 euros. Basta fazer uma boa pesquisa na plataforma para encontrar o professor particular ideal, de acordo com a idade, ano lectivo da criança e também ao orçamento dos pais.

Dar aulas e incluir as brincadeiras permitem um desenvolvimento pleno, aulas de matemática, aulas de português, aulas de inglês ou aulas de arte são algumas das possibilidades de os alunos poderem trabalhar os seus currículos. Utilizar os recursos online como alguns sites de reforço escolar poderão também ser um bom aliado do professor.

Superar as dificuldades graças aos jogos das aulas de apoio escolar

(...)  brincar é, portanto, uma atividade natural, espontânea e necessária para as crianças, constituindo-se numa peça importantíssima na sua formação, o seu papel transcende o mero controle de habilidades. É muito mais abrangente. A sua importância é notável, já que, através dessas atividades, a criança constrói o seu próprio mundo. (SANTOS, 1995)

Para Piaget (1978), os jogos podem ser divididos em três grandes tipos: jogos de exercícios (0 a 2 anos), jogos simbólicos (2 a 6 anos) e jogos de regras ( a partir de 6 anos). Segundo o autor, é “a função é que vai diferenciar esses jogos que não têm outra finalidade a não ser o próprio prazer do funcionamento” (PIAGET, 1978). A seguir, uma pequena explicação de cada um destes tipos de jogos:

  • Jogos de exercício: é a primeira forma de jogo que a criança conhece e aparece antes do desenvolvimento verbal completo. Tem como característica o fato de a criança brincar pelo prazer do conhecimento do objeto, da exploração, do desenvolvimento motor ou, como o próprio nome diz, do puro exercício. Nesta fase, a criança brinca basicamente sozinha ou com a mãe, ou quem representa a figura materna.
  • Jogos simbólicos: é uma forma de jogo em que a criança faz de conta que é outra pessoa ou se imagina em outra situação, ou atribui outra função a um objeto. Por exemplo: A Maria brinca às casinhas, faz comida a fingir; O João que tem um prato de papelão imagina que é o volante de um carro. A Maria, que está a brincar às casinhas retrata o papel da mãe em casa, enquanto o João vivencia o papel do pai. O jogo simbólico é de certa forma uma maneira de a criança comunicar ao outro aquilo que sente;
  • Jogo de regras: é caracterizado pelo conjunto de leis que é imposto pelo grupo. Dessa forma, necessita de parceiros que aceitem o cumprimento das obrigações definidas nas regras. É um jogo estritamente social.

Brincar permite aos mais novos melhorarem a aquisição do conhecimento dentro da sala de aula, ao cantar a música do alfabeto, por exemplo, que auxilia à sua memorização.

Aprender com diversão nas aulas de apoio ao estudo
Alguns dos maiores desafios do professor é conseguir equilibrar a brincadeira e a aprendizagem dentro da sala de aula. | Fonte: Pixabay

O jogo permite também consolidar o conhecimento em assuntos científicos e literários (aritmética, geometria, gramática, vocabulário, ortografia, história, geografia, entre outros.)

Para aprender a somar, um professor particular podia dar duas maçãs, duas laranjas e dois guardanapos aos seus alunos e dar as seguintes indicações:

  • Colocar as maçãs num guardanapo;
  • Colocar as bananas no outro guardanapo;
  • Quantas frutas existem nos guardanapos? (O professor aponta cada fruta enquanto as conta em voz alta);
  • Escrever o sinal de soma (+) entre ambos os guardanapos e dizer: Temos duas maçãs mais (+) duas bananas;
  • Adicionar de seguida o símbolo de igual (=) e de seguida, quatro frutas;
  • O professor acabou de dar a entender que acabaram de fazer uma soma;
  • Colocar as outras frutas noutro guardanapo;
  • Perguntar o que pode ser feito para adicionar as outras frutas;
  • Escrever novamente o sinal de soma (+) para deixar explícito que está a fazer uma soma, antes de dar o resultado.

Nas aulas de apoio ao estudo particulares de português ou reforço, os alunos podem aprender o vocabulário da rotina diária com pequenos jogos de dados e cartas, em vez de utilizar as fichas portugues 7o ano gramatica.

Exemplificando, para fazer exercícios online, para aprender a ver as horas, descrever as roupas e assimilar a conjugação dos verbos em português (o verbo ser e o verbo ter).

Dar asas à imaginação é essencial para conseguir dar aulas de apoio ao estudo de uma forma didática, para conseguir prender a atenção dos alunos e ao mesmo tempo conseguir fazer com que o conteúdo programado para essa aula particular seja dado aos seus alunos.

Precisa de um professor de Explicações ?

Gostou deste artigo?

5,00/5 - 1 voto(s)
Loading...

Cláudia

Sou uma pessoa dedicada e empenhada a 100% a todos os projetos, quer sejam eles de carácter mais pessoal quer sejam a nível profissional. Sou licenciada em Assessoria e Tradução de todo o tipo de matérias e para além disso sou especializada na língua inglesa e alemã. Tenho uma grande paixão pela leitura e escrita. Sou muito curiosa e aberta ao conhecimento o que me faz querer saber, aprender e partilhar mais sobre, na verdade, tudo um pouco.