Para ensinar, tem que ser apaixonado pelo que ensina. E ensinar música não é fácil. Tem que ter paciência com os alunos, que nem sempre são atenciosos e envolvidos.

Mas o que é melhor do que transmitir a sua paixão e fazer o seu trabalho?

Mais e mais pessoas estão a começar a  aprender música. Guitarra e piano, mas também violino são os instrumentos mais solicitados.

De qualquer forma, muitos lugares estão prontos para o receber como professor de violino. Conservatórios, associações ou como professor particular: tem apenas o trabalho da escolha. Descubra o que melhor lhe convier!

Professor de música, aulas em casa, aulas em grupo, aulas individuais, musicologia, escolha o diploma certo e decida a sua vida!

Dar aulas em escolas públicas

sala de escola com livros
Uma das suas opções é dar aulas numa escola de música ou conservatório| Fonte: pixabay.com

Uma primeira opção para o violinista é ensinar música nas escolas de ensino básico do país. Nesse caso, o professor pode dar aulas de música na pré-escola, no ensino primário ou no ensino básico.

Para ingressar no sistema de ensino público, os candidatos devem passar por concursos públicos promovidos pelo ministério da educação.

Hoje em dia, não é exigida uma formação específica em música para lecionar nas escolas básicas portuguesas. Em geral, podem lecionar no ensino básico professores graduados com licenciaturas nas áreas de ensino e pedagogia. Nas creches e pré-escolas e nos quatro primeiros anos do ensino primário, até se admitem por vezes professores com formação mínima na modalidade normal.

Estatuto do professor de música

Com a implementação do Decreto-Lei n.º 310/83 viu-se uma reestrutura dos planos e objetivos do ensino de música, dança, teatro e cinema das escolas públicas e privadas do país que tinham aulas com o objectivo de formar profissionalmente jovens artistas.

Este decreto visava proporcionar uma educação artística integrada "no âmbito mais geral dos planos de estudos e programas dos ensinos básico e secundário", considerando que essa educação devia ser proporcionada a todos os alunos.

No entanto, e embora esta iniciativa tenha tido muitas consequências positivas, a falta de regulamentação do ensino de nível superior, as dificuldades de articulação com o ensino geral e a situação dos professores continuam a prejudicar o ensino das artes como a música.

Segundo a DGAE Portugal tem apenas 15 cursos específicos para formação de professores em música, e não muitos mais de música na generalidade.

Conteúdo de música no ensino

O professor de música tem como objetivo assegurar certas competências e habilidades de música nos seus alunos. Conheça brevemente algumas delas:

  • Identificar e apreciar criticamente diversas formas e géneros de expressão musical;
  • Perceber e explorar os elementos constitutivos da música (altura, intensidade, timbre, melodia, ritmo etc.);
  • Experimentar improvisações, composições e sonorização de histórias, entre outros;
  • Analisar criticamente, por meio da apreciação musical, usos e funções da música nos seus contextos de produção e circulação;
  • Reconhecer e apreciar o papel de músicos e grupos de música portugueses e estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento de formas e géneros musicais.
  • Identificar e analisar diferentes estilos musicais;
  • Explorar e analisar fontes e materiais sonoros em práticas de composição/criação, execução e apreciação musical, reconhecendo timbres e características de instrumentos musicais diversos;
  • Explorar e identificar diferentes formas de registo musical (notação musical tradicional, partituras criativas e procedimentos da música contemporânea).

Dar aulas de violino em escolas de música

varios violinos numa sala
Se quer dar aulas de violino, uma das primeiras opções é dar aulas em escolas de músicas| Fonte: unsplash.com

Não existe lei que obrigue os conservatórios e as escolas de música particulares a exigirem diplomas ou certificados dos seus professores de música contratados. No entanto, sabemos que por controlo de qualidade, a maioria dessas instituições exige uma formação mínima em estudos superiores ou em música para que o candidato assuma o seu cargo de professor.

Saiba também que ser professor numa escola de música particular não é exatamente o mesmo que ser professor num conservatório de renome. Os estudantes são menos exigentes. De facto, muitos deles frequentam aulas de música apenas como hobby, enquanto que nos institutos de música e conservatórios, em geral, os alunos procuram construir uma carreira real na música.

De qualquer maneira, o fundamental é transmitir o gosto pela música, para evitar ter muitos desistentes, como podemos ver com frequência nas escolas de música. Isto acontece sobretudo nas aulas de piano e teoria musical, tidas como as mais "chatas".

Sobretudo com crianças e adolescentes, use o seu humor e a diversão entre duas aulas de solfejo, ensinando-lhes as músicas que elas querem e que gostam de ouvir. Embora para iniciantes nem sempre seja óbvio, existem muitos jogos educativos que contribuem na aprendizagem de música e do violino.

Os preços das aulas de violino variam dependendo da estrutura escolhida e os contratos de trabalho também.

Associações e institutos onde pode dar aulas de violino como professor

Além de escolas públicas, conservatórios e escolas particulares de música, outras organizações oferecem aulas de violino nas quais é possível trabalhar como professor. Este é particularmente o caso de instituições que promovem projetos sociais e artísticos acessíveis à comunidade.

A iniciativa pode ser de uma organização não governamental ou até de uma associação social. De qualquer maneira, o objetivo principal é democratizar o acesso às manifestações artísticas e incentivar crianças, jovens e adultos a apreciarem a música como um elemento de expressão importante na vida social.

Acessíveis por pessoas de qualquer idade e qualquer nível, as aulas em geral são oferecidas a preços baixos ou até gratuitamente. Nesse caso, frequentemente há um processo de seleção ou até uma entrevista devido à grande procura.

A sua experiência e formação podem ser mais valias na sua candidatura para dar aulas.

No entanto, um excelente nível de prática do violino sem qualquer diploma pode ser suficiente. Informe-se na sua cidade!

Então, quais são as associações em que pode ensinar violino em Portugal?

Bem, não podemos listar os milhares de associações, ONGs e grupos regionais localizadas por todo o nosso país, mas é bom termos uma noção de como procurar.

São mais fáceis de encontrar nas maiores cidades do país, mas também existem nas cidades menores, especialmente as que possuem grandes empresas ou centros universitários.

O que pode ensinar numa associação?

O país está cheio de lugares para aprender música e não é diferente com o violino. Selecionamos algumas opções para ter em conta quando estiver à procura da melhor opção para si:

  • Se quer privilegiar a prática instrumental coletiva, converse com os seus colegas de trabalho, vizinhos e tente procurar nos espaços de divulgação por apresentações artísticas na região. Isso é boa uma demonstração de que pode existir esse tipo de prática na área;
  • Pesquise na internet por aulas de violino, violoncelo, baixo, saxofone, oboé, clarinete, ukulele, tambores, oficina de jazz e improvisação, música de câmara ou canto. Com essas informações em mãos, fica mais fácil ter conversas com quem encontrar para falar sobre a sua preferência por aulas de um instrumento específico e o seu nível;
  • Se a sua ideia é ampliar a apreciação da música, teoria musical ou educação musical, procure por escolas de música e músicos profissionais que podem indicar esse tipo de iniciação. Eles podem trabalhar em alguma dessas associações ou conhecer o movimento da região.
violino em fundo branco
Se preferir dar aulas de violino em instituições também tem muito por onde escolher| Fonte: unsplash.com

As aulas de violino nas ONGs são produtivas?

Aprender a tocar um instrumento é algo muito trabalhoso, dependendo muito de como se dedica ao trabalho. E as suas aulas podem ser muito boas. O importante é criar uma boa rotina de aulas, criando uma programação para a aprendizagem global da música. É importante:

  • Encontrar um professor que atenda ao seu estilo musical e incentive os alunos a ouvirem mais músicas para que possam se inspirar e construir um bom repertório musical;
  • Crianças e adolescentes podem encontrar uma turma com a mesma faixa etária e dividir interesses além da música. Aproveitar as aulas em grupo e essa socialização pode ser algo muito rico;
  • Procurar horários que serão acessíveis para si e que serão cumpridos, evitando faltar ou remarcar. Pode até estar a ter aulas gratuitas ou com preços mais baixos, mas precisa de ter esse tipo de compromisso com a sua aprendizagem, tendo também uma rotina de exercícios.

Encontrar um professor numa associação pode ser bem mais simples do que imagina.

Basta procurar por “associação aulas de violino” no Google, por exemplo, adicionando a sua cidade de residência na pesquisa e pode encontrar o mapa dos grupos de referência com os respectivos meios de contacto.

É como nas aulas particulares, não há receita milagrosa: a única boa solução é tentar

Como dar aulas de violino numa associação?

Se quer tocar violino com precisão, mas o curso na escola de música é muito caro e também não pode pagar um curso com um professor particular, os grupos podem ser a sua salvação.

Memorize as notas, faça vibrar a caixa de som e aprenda pouco a pouco de uma forma divertida e não restritiva. Aqui estão os princípios da aprendizagem dentro de uma associação musical, que é mais leve e tranquila do que as aulas impessoais e distantes dos conservatórios musicais tradicionais para aprender violino.

mulher a tocar violino numa ponte
Aprender violino com a ajuda de um professor experiente é muito mais simples| Fonte: unsplash.com

E isso pode acontecer com qualquer idade, promovendo a integração da atividade musical no meio natural da vida da comunidade, seja uma criança, adolescente, adulto ou idoso.

Aprender ou retomar as aulas música quando não tem idade suficiente para se juntar a um conservatório ou estudar  violino num espírito de compartilha e convivência, é obviamente possível numa associação.

As possibilidades são muitas. Veja alguns exemplos do que pode ser feito:

  • Compreensão musical e das notas;
  • Desenvolvimento rítmico;
  • Teoria musical;
  • Cantar e acompanhar as notas para estimular o ouvido musical;
  • Estudar e compreender os conceitos de harmonia;
  • Composição;
  • Análise e cultura musical;
  • Improvisação clássica;
  • Aprender os diferentes estilos de música;
  • Trabalhar para evitar maus hábitos no estudo da música;
  • Desenvolver técnicas para tocar melhor (vibrato, pizzicato, movimentos lentos e rápidos);
  • Memorizar intervalos, etc.

É preciso muita determinação e perseverança para evitar desanimar.

Dar aulas de violino na universidade

Outra opção para os profissionais mais adeptos à pesquisa é a carreira académica. Ou seja, tornar-se professor de música ou de violino no ensino superior. Esta profissão é adequada para os educadores que são voltados para a pesquisa, publicação de artigos e vida académica em geral.

Para trabalhar nas universidades públicas é necessária a aprovação em concurso público. Nas instituições privadas, os candidatos a professor passam por algumas etapas de seleção que envolvem a análise do currículo, prova prática de aula e entrevista de emprego.

Em suma, algumas dicas a esse respeito:

  • Para se tornar um professor de música do ensino superior, em geral é necessário um mestrado ou doutoramento numa área relacionada à música;
  • Em geral, o salário de um professor de música corresponde ao grau de educação que possui. Um professor iniciante com um mestrado irá ganhar mais que um professor iniciante com bacharelato;
  • Além do violino, procure saber tocar outros instrumentos. Saiba, também, como cantar e como interpretar notas musicais.

E que tal dar aulas particulares de violino?

Quer saber onde ensinar quando não tem o diploma necessário para as universidades ou conservatórios?

Existem muitas possibilidades disponíveis.

Porque não ficar no ramo de autodidatas e dar cursos de violino pela internet?

Pode perfeitamente lançar um site ou blog, expondo as suas melhores dicas de professor para aprender a tocar violino.

Ao ser autodidata e conversar com os amantes da música independente, ganha credibilidade.

Mas uma questão permanece sem resposta. Como ter lucro com um blog ou site?

Então, porque não cobrar pelas suas aulas e pelo conteúdo que disponibiliza?

Ser professor particular pode ser uma boa opção por diversas razões: liberdade, disponibilidade, autonomia, flexibilidade, etc.

mulher a dar concerto de violino
Se quer ser violista profissional, ter aulas com um professor particular pode ser uma ótima ideia| Fonte: unsplash.com

Hoje em dia muitas pessoas querem aprender um instrumento sem necessariamente se comprometer a longo prazo ou fazer cursos que não lhes sejam adequados. Essas pessoas contratam professores particulares.

Em casa ou em pequenos grupos na casa do professor, todas as opções são possíveis. Ao escolher um professor na nossa plataforma Superprof, é possível, por exemplo, ver o perfil de cada um antes de começar.

E não há necessidade de se formar para dar aulas particulares de violino!

Portanto, não importa se a sua especialidade é música clássica ou rock, os alunos interessados vão acabar por o procurar.

Poste seu anúncio em plataformas como a da Superprof. Redes sociais como o Facebook também podem ajudá-lo a tornar-se conhecido.

E como professor particular, pode ser uma grande ajuda para os estudantes em dificuldades ou que precisam de progredir rapidamente. Se ensina improviso, ritmo, jazz ou qualquer outro estilo de música, o seu conhecimento certamente ajudará muitos.

Além disso, cabe ao professor determinar o preço das suas aulas. Os nossos professores costumam cobrar em média 15€ por uma hora de aula. Cabe-lhe a si ver se isso é suficiente para desenvolver um trabalho de qualidade com o seu aluno, ajudando-o a superar as suas dificuldades e progredir gradualmente.

E quem sabe não começa a dar aulas a músicos avançados? Pode ser um grande desafio!

As vantagens de ter formação em musicoterapia

A arteterapia é um método de expressão artística usado no campo da medicina para aliviar certos sintomas dos pacientes.

O musicoterapeuta pode trabalhar em hospitais, clínicas, instituições de reabilitação ou centros de geriatria e este tratamento tem demonstrado bons resultados nas mais diversas neuropatias.

E, como um bom pedagogo, poderá interagir com os pacientes de diferentes formas como tocar música e ensinar violino.

O musicoterapeuta torna-se um elemento de grande importância na comunicação com os pacientes, uma vez que ajuda o paciente a comunicar não verbalmente e a exteriorizar os seus sentimentos.

Mas como obter o estatuto de musicoterapeuta? Sabe-se que ainda há pouco profissionais no mercado e, precisamente por isso, a procura é alta. A maior parte dos profissionais atua na área clínica, em consultório, muitas vezes em parceria com outros profissionais da saúde.

Poucas instituições oferecem este tipo de cursos em Portugal. Para ingressar não é preciso ter conhecimento prévio em música, mas é aconselhável possuir alguma familiaridade com a linguagem musical. No currículo, há disciplinas das áreas de música, neuro ciências e ainda aulas de instrumentos.

Precisa de um professor de Violino ?

Gostou deste artigo?

5,00/5 - 1 voto(s)
Loading...

Catarina

Eterna otimista, com um bichinho por viajar. Apaixonada por literatura e ficção. Metro e meio de pessoa, vivo pelo lema "Though she be but little, she is fierce". Trabalho atualmente como tradutora e redatora freelancer.