No curso de contabilidade vai aprender a dominar a soma, a subtração, a multiplicação e a divisão de parcelas, mas não só.

Saiba que esta ciência contábil abrange muito mais do que o domínio das contas e parcelas pois o aluno desta matéria terá que aprender sobre gestão de empresas, análise de demonstrações e ainda sobre termos específicos usados pelo técnicos certificado das ciências contábeis, tais como conceitos de capital.

Assim, e se está a pensar fazer a matrícula ou inscrição durante o mês de agosto, num curso online ou nos cursos ead de contabilidade e já quer ter algumas noções sobre o que vai aprender no ensino de contabilidade, aconselhamos que leia este artigo!

Os melhores professores de Contabilidade disponíveis
Ana maria
5
5 (26 avaliações)
Ana maria
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Luís
5
5 (9 avaliações)
Luís
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (27 avaliações)
Diogo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Daniela
5
5 (5 avaliações)
Daniela
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Eddie
5
5 (7 avaliações)
Eddie
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana
5
5 (7 avaliações)
Ana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
Duarte
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (6 avaliações)
Gonçalo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana maria
5
5 (26 avaliações)
Ana maria
9€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Luís
5
5 (9 avaliações)
Luís
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Diogo
5
5 (27 avaliações)
Diogo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Daniela
5
5 (5 avaliações)
Daniela
20€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Eddie
5
5 (7 avaliações)
Eddie
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Ana
5
5 (7 avaliações)
Ana
15€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Duarte
Duarte
10€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Gonçalo
5
5 (6 avaliações)
Gonçalo
12€
/h
Gift icon
1ª aula grátis!
Vamos lá

Introdução à contabilidade e ao conceito geral de Capital

Primeiramente, é importante perceber que o capital de uma entidade coletiva é formado pelas entradas realizadas pelos proprietários, como os sócios ou acionistas, ou por meio de endividamentos, sendo que, no primeiro caso, a operação é realizada sob a forma de capitais próprios e no segundo exemplo, sob a forma de capitais alheios ou de terceiros.

Na contabilidade, o conceito de capital é uma das parcelas que deve constar no plano da análise da condição financeira de uma empresa, e significa o montante que é disponibilizado ao negócio em questão, e que deve ser utilizado nas atividades que esta mesma realiza para gerar as suas receitas e lucros.

Sabe qual a diferença entre capital próprio e capital de terceiros?
Nas explicações ou curso de contabilidade, o aluno das ciências contábeis vai saber destingir o capital próprio do capital de terceiros.| Fonte: Pexels

Este valor corresponde também ao património dessa mesma entidade coletiva que foi consequentemente financiada pelos seus proprietários ou por meio de dívidas.

Porém, existem vários tipos de capital, consoante esse mesmo financiamento:

  • Capital Próprio ou Património Líquido: é um dos termos aprendidos na ciência contábil nacional e aplica-se ao valor conseguido unicamente através do negócio, ou seja, que pertence e serve unicamente as necessidades da mesma;
  • Capital de Terceiros: é também uma das parcelas que deve constar no plano da análise da condição financeira de uma empresa e aplica-se quando uma entidade coletiva financia o seu capital por meio de dívidas para este ser utilizado nas atividades que realiza, como quando adquire empréstimos.

Para esclarecer um pouco melhor estas informações, podemos afirmar que o Capital Próprio corresponde aos valores financeiros do negócio que constituem o seu próprio património. Saiba que, estas parcelas devem aparecer no Balanço Patrimonial da companhia como Património Líquido e que este montante está incluído o Capital Social que é disponibilizado pelos sócios ou proprietários desde a criação da empresas, sendo que parte deste valor pode estar ainda estar em processo, se um ou mais dos sócios ainda não deu a sua parte.

Porém, os outros valores e parcelas também pertencem ao património próprio da instituição e estão representados como em lucros retidos, reservas ou em aumentos de capital feito pelos sócios.

E, embora o Património Líquido pertença também ao Capital Social da entidade coletiva, deve saber que o primeiro é calculado através da conta Ativos menos Passivos. Este valor é considerado como líquido, uma vez que identifica os recursos aplicados no empreendimento líquido do capital externo, ou seja, as dívidas da organização.

Saiba ainda que, os Ativos identificam as disponibilidades do negócio que formam, por consequência, a sua riqueza. São exemplo disso os maquinários, o dinheiro em caixa ou direitos de receber de clientes. Por outro lado, os Passivos incluem as dívidas do negócio, ou seja, os pagamentos a fornecedores ou ao banco, por exemplo. E é este último que é considerado, posteriormente como o  Capital de Terceiros.

Um contabilista deve saber explicar ao cliente o que é o capital social de um negócio.
Nas aulas ou curso de contabilidade online, o aluno vai aprender tudo sobre o que significa o capital social de um negócio. | Fonte: Pexels

Assim, podemos dizer que no final do curso das ciências contábeis, o técnico certificado deve estar preparado para falar sobre estes temas com os seus futuros clientes pois esta é uma das várias funções e competências do técnico certificado das ciências contábeis.

Curso contabilidade sobre Capital Próprio e capital de Terceiros

Como já percebeu, o capital que a entidade coletiva se financia por meio de terceiros é diferente do Capital Próprio porque neste último realizam-se entradas de capitais através de de sócios ou acionistas.

No curso de contabilidade virtual, presencial ou ead vai aprender que ao iniciar um empreendimento, o primeiro investimento feito pelos sócios é conhecido como Capital Social e é este que constitui o Património Líquido inicial. Nos momentos posteriores e à medida que surgirem mais investimentos por parte dos sócios ou acionistas, passa a existir um aumento de Capital Próprio.

Por outro lado, o Capital de Terceiros constitui numa outra maneira dos administradores conseguirem capital para investir por meio dos recursos externos, sem envolver novos sócios e com dívidas a serem pagas até um certo prazo. Ou seja, o Capital de Terceiros são os recursos externos que os negócios procuram para financiar suas atividades, a partir de empresas terceiras, como é o caso dos empréstimos.

Na contabilidade o capital de terceiros também constitui numa das parcelas que têm de constar no plano da análise da condição financeira de uma empresa e é formado por todo o Passivo Exigível e estes valores constituem as obrigações adquiridas por meio de contratos a crédito e são reembolsadas aos credores depois de um tempo determinado e este tipo de movimentos têm de constar sempre nas demonstrações financeiras feitas pelos técnicos certificados das ciências contábeis.

Porém, temos de deixar claro que existem algumas vantagens e desvantagens na utilização de capital de terceiros uma vez que isso influenciará obrigatoriamente o Capital Total à Disposição da Empresa, assim como a demonstração e o resultado do Património Líquido da mesma.

No curso de contabilidade vai aprender a fazer demonstrações financeiras.
O plano de ensino do curso ou cursos de contabilidade inclui a aprendizagem das parcelas de capital que devem constar nas demonstrações financeiras. | Fonte: Pexels

Vantagens do uso de Capital de Terceiros:

  • Uma vez que é constituído por recursos externos à entidade coletiva, possui um comprometimento apenas até o pagamento total das dívidas;
  • É um recurso recomendado para projetos que tenham retorno em longo prazo, ou seja, após a extinção da dívida ainda geram lucros para o negócio;
  • A dívida a ser paga deve ser exposta de forma clara e concisa através de um contrato, o que dá uma maior previsibilidade ao administrador da entidade.

Desvantagens do Capital de Terceiros:

  • Se houver um descontrolo de uso de capital de terceiros, o negócio poderá ficar numa condição financeira frágil pois quanto maior for o investimento, mais endividada estará a entidade;
  • Por norma, as dívidas contraídas por empresas possuem juros;
  • No caso da empresa não obter a rentabilidade esperada poderá comprometer o capital total à disposição da empresa, uma vez que a dívida tem a obrigatoriedade do reembolso.

Nas aulas de contabilidade online ou ead irá perceber que, se num determinado momento da história fiscal do negócio, existirem mais dívidas do que ativos, a entidade coletiva se encontra com um Património Líquido negativo e por isso numa condição financeira muito frágil. Assim, e neste tipo de situações é possível dizer que a entidade coletiva se encontra com um "passivo a descoberto".

Podemos ainda acrescentar que, alguns exemplos de passivos que formam o Capital de Terceiros, além dos empréstimos, são ainda os financiamentos e as dívidas aos fornecedores e que quer o Capital Próprio, quer o Capital de Terceiros são parcelas que fazem parte do Capital Total à Disposição da Empresa.

Sabia que nas ciências contábeis existem muitas técnicas que devem ser aprendidas pelos futuros técnicos certificados? Pode aprender mais sobre isto no curso ou cursos das ciências contábeis já durante o mês de agosto, se se inscrever agora na Superprof!

Explicações de contabilidade sobre outros tipos de Capital

Um outro conceito que vai aprender nos cursos de contabilidade online ou ead é o do Capital Total à Disposição da Entidade.

Este tipo de capital representa todos os recursos que a entidade coletiva utilizou para estabilizar a sua condição financeira, e por isso, devem também constar no plano da análise da condição financeira, ao realizar-se a soma do Passivo e do Património Líquido. Desta operação vai nascer o resultado do valor conhecido como Ativo Total.

Na Superprof vai aprender a distinguir as parcelas do capital subscrito e do capital integralizado.
No curso ou cursos de introdução à contabilidade vai aprender como distinguir as parcelas do capital subscrito e do capital integralizado. | Fonte: Pexels

Assim, saiba que a entrada de capital de qualquer natureza acaba por ser investido em algum ativo, ou então ficará na caixa ou banco da empresa, sendo que, no caso de um empréstimo quando contratado se torna um passivo a ser pago, enquanto é investido na compra de um maquinário (ativo), por exemplo.

Não obstante, e na formação ou na expansão de um negócio em sociedade, os sócios informam o montante que darão de entrada no negócio e este valor pode ser dado em dinheiro, em bens ou em créditos, definidos em moeda nacional e é desta ação que nasce o conceito de capital subscrito.

O capital subscrito corresponde ao valor que o sócio se compromete a investir no negócio e ao definir o montante que pretende contribuir, o sócio também informa quando será transferida a sua parte. É isso que diferencia o capital subscrito do negócio e o capital social integralizado, ou seja, que já foi efetivamente transferido.

E agora? Está mais entusiasmado para fazer a sua matrícula ou inscrição no curso de contabilidade online agora no mês de agosto? Se está a pensar frequentar aulas ead ou através de mecanismos tecnológicos, aconselhamos que faça a sua inscrição ou matricula no site da Superprof! E pode ser já no mês de agosto!

A Superprof é uma plataforma virtual, online e de ensino ead, onde muitos profissionais certificados estão prontos a partilhar o conhecimento sobre sistemas de normalização contabilística e informações sobre como elaborar demonstrações financeiras, e muito mais.

Saiba que assuntos como a mensalidade, a carga horária do curso, o tipo de ensino (ead, virtual ou presencial) e muitos outros assuntos serão unicamente discutidos por si e o técnico certificado das ciências contábeis. Temos a certeza que aprenderá algo muito útil para um dia se tornar um profissional de sucesso!

Sabia que Portugal é o terceiro país europeu com menos capital de risco nas empresas?

>

A plataforma que conecta profes particulares e alunos

1ª aula gratuita

Gostou deste artigo? Deixe a sua avaliação!

5,00 (1 note(s))
Loading...

Marília

Sou licenciada em História da Arte e Mestre em Estudos Artísticos, na vertente de Teoria e Crítica da Arte. No passado, escrevi também alguns artigos para a revista Umbigo (online) e criei e geri todos os conteúdos da plataforma pensarte.pt.